Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Pague Para Entrar, Reze Para Sair

- Advertisement -

Nunca vou conseguir entender o que faz um filme ser cult. Pague Para Entrar, Reze Para Sair me foi recomendado como um “clássico” imperdível do terror. “O queeeee? Você nunca viuuu?”. Hoje eu percebo que a tal pessoa responsável pela dica, podia estar de sacanagem com a minha cara, né? A produção é tipicamente oitentista. Além dos motivos óbvios, como a maquiagem e o figurino, existe também o apelo ingênuo dos personagens. Mesmo com os hormônios em polvorosa e pagando peitinhos, os adolescentes da vez acabam sofrendo por conta da própria ingenuidade e curiosidade.

Dirigido por Tobe Hooper e estrelado por um bando de pseudo atores que ninguém nunca viu ou ouviu falar, o longa-metragem (pelo menos) tem uma premissa bem curiosa. Dois casais de amigos decidem se esconder dentro de um parque de diversões e virar a noite brincando de montanha russa em cima do outro. A aventura sexual inconsequente dos jovens vira um pesadelo depois deles presenciarem um assassinato e serem perseguidos por uma família de malucos digna dos Hewitt de O Massacre da Serra Elétrica.

As semelhanças entre os dois filmes não podem ser consideradas apenas como coincidências: Hooper também dirigiu O Massacre da Serra Elétrica original. Pena que foi incapaz de repetir a fórmula com sucesso e fugir das listas de bombas dos anos 80. É muito curioso ouvir tantos comentários sobre Pague Para Entrar, Reze Para Sair e todos serem positivos. Tudo bem, é um bom filme para se comer pipoca ou rir junto dos amigos. Só que o que diabos faz dele um cult?

Pague Para Entrar, Reze Para Sair deve ganhar um remake em breve. Claro que não podemos esperar o mesmo charme do filme original. Infelizmente teremos que lidar com mais um filme de terror velho com roupagem moderninha. Espero queimar a minha língua. Ou não, vai saber. Sou eu que vou pagar mesmo, então…


The Funhouse, 1981
Direção: Tobe Hooper
Roteiro: Lawrence Block
Elenco: Jeanne Austen

Comentários