Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Zumbilandia

Se não consegue roubar a coroa de rei dos filmes toscos de zumbis, pelo menos o diretor estreante Ruben Fleisher, chega bem perto da façanha. Seu Zumbilandia é quase tão sem noção quanto Fome Animal (clássico dirigido por Peter Jackson) e Todo Mundo Quase Morto. Mas ao contrário das outras duas produções mencionadas, Zumbilandia tem na idiotice extremamente mongol, o seu maior trunfo. Dificilmente existirá um filme tão idiota sobre zumbis (e aqui incluo o cabuloso Zumbis no Avião ou algo do tipo, sei lá o nome certo) que supere a linha tenue do idiota legal e idiota desprezivel.

- Advertisement -

O melhor do filme é que ele não se leva a sério em momento algum. O diretor e seus dois roteiristas, perceberam que seria um grande erro tentar criar uma versão cômica de Extermínio (de Danny Boyle) e criaram uma Zumbilandia hilária e com personagens temperamentais e com grande carisma, como o fortão interpretado por Woody Harrelson: tudo que ele queria era um docinho especial. Não importa se seria arriscado entrar em um supermercado abandonado, desde que existisse a possibilidade de saciar o desejo pelo doce. E mais engraçado ainda é ver este mesmo personagem, um eximio matador de zumbis, relembrando os velhos tempos em que vivia, apaixonadamente, com seu cachorro. Típico contraste que consegue arrancar gargalhadas daquele público menos exigente (e mais inclinado a aceitar besteiras). Já o personagem do jovem ator Jesse Eisenberg é um timido adolescente que sempre viveu sozinho e que criou as mais estranhas manias. Por acaso, o seu jeito diferente o fez sobreviver por tanto tempo e criar um manual de regras de sobrevivência, o qual não deixa de seguir em momento algum.
Ao longo da jornada da dupla para encontrar o docinho favorito de Tallahassee (e de quebra sobreviverem), eles esbarram em duas irmãs da pesada e em um pirado Bill Murray. Tudo com direito a muitas piadinhas com outros atores e o status da galerinha de Hollywood. E pensar que a história toda começou por conta de um mero hamburguer contaminado…
O melhor momento, sem dúvidas, é a introdução. Ao som de For Whom The Bell Tolls do Metallica, assistimos as cenas mais sem noção e ridiculas. Em diversas sequencias em slow motion, o diretor oferece as mais bizarras perseguições e mortes de humanos e zumbis. Impossível não sorrir, pelo menos. Felizmente eu sou da parcela de público que rachou de rir com a história e que vejo graça nas histórias mais clichês do mundo. Zumbilandia fez o meu dia e merece quatro caipirinhas.
Ficha Técnica:
Zumbilandia (2009)
Dirigido: Ruben Fleisher
Roteiro: Rhett Reese, Paul Wernick
Genêro: Comédia
Elenco: Jesse Eisenberg, Woody Harrelson , Abigail Breslin
Trailer

Comentários