Enterrado Vivo | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

Enterrado Vivo

.
.
.
buried Enterrado Vivo
Eletrizante, agonizante e estridente do começo ao fim. É assim que podemos classificar este roteiro. Uma obra de arte pós-moderna que une elementos da cultura contemporânea à uma locação que poderia ter sido rodada tranquilamente à cinquenta anos atrás. Então, sabe aquela sensação que se tem quando alguém arranha um quadro negro? Ela te acompanha durante todo o filme. Um misto de tensão, nervosismo e revolta envolve o espectador em “Enterrado Vivo”, que faz coro ao extenso número de thrillers de suspense que 2010 nos proporcionou.

Os ingredientes são muito simples: um caixão de madeira, um homem vivo dentro e muita adrenalina pra tentar escapar. Seria apenas isso, apenas um basicão de suspense americano, não fosse a mente brilhante do roteirista Chris Sparling (desconhecido até então). Ele adicionou ao caixão, um isqueiro, um celular, pílulas contra ansiedade, birita, lanterna, entre outras; e adicionou ao filme contextualização, discussão sobre a política pós-moderna (lê-se 11 de setembro), debate sobre a atitude militar com reféns no Iraque, dando ao filme uma dimensão muito maior do que apenas mais um filme de suspense.

.
.
.

Traduzir para o censo comum problemas reais enfrentados por soldados e civis em terras iraquianas, em uma linguagem que fosse interessante e que prendesse a atenção do espectador. Pra mim esse foi o principal objetivo do filme. Após os cinco primeiros minutos de desespero, é dada a notícia ao personagem que ele foi vítima de um seqüestro enquanto levava suprimentos para tropas iraquianas. E por isso está enterrado e terá que correr contra o tempo para conseguir cinco milhões, se quiser sobreviver.

Outro objetivo atingido também por Chris foi o de mostrar a indiferença do sistema mediante a tragédia humana. Porque convenhamos que o desespero do personagem frente a toda burocracia do sistema é agonizante, é de irritar qualquer um. Isso mesclado ao uso de aparelhos eletrônicos contemporâneos insere o espectador mais ainda dentro desses 88 minutos de agonia, sofridos juntamente com Paul Conroy. Dá a entender que estando em uma situação parecida à de Paul, mesmo com todos os recursos que tivermos, receberemos o mesmo tratamento do sistema.

.

.

.

buried Enterrado Vivo

O thriller é realmente emocionante e mesmo se passando o tempo todo dentro de um caixão consegue transmitir ao espectador a mesma adrenalina que um “Velocidade Máxima” conseguiria. O jogo de câmera, conforme cada descoberta e acontecimento dentro do caixão, também é muito bem feito; e somado à trilha sonora consegue pregar uns bons sustos em quem está assistindo. A revolta do personagem que xinga quarenta por cento da história, também é um ótimo elemento pra trazer o público para dentro do filme e fazer coro com ele, afinal ninguém passaria por essa situação com uma linguagem politicamente correta.

O filme sem dúvidas é um dos ápices de 2010, por toda a emoção e adrenalina transmitida e, acredite se quiser, até um Ryan Reynolds com uma atuação melhorzinha. Com certeza vale apena ir ao cinema sofrer, roer as unhas e se emocionar com Paul Conroy. E claro que além de tudo não deixa de ser um guia de sobrevivência. Porque afinal, o que você faria se fosse Enterrado Vivo?

buried Enterrado Vivo


Nome Original: Buried

Direção: Rodrigo Cortés

Roteiro: Chris Sparling

Elenco: Ryan Reynolds

Ano: 2010

Duração: 1h e 28 min.

Jairo Borges

Comentários

  1. eu tbm. já fiquei pensando em como deve ser desesperador estar enterrado vivo. deve ser tão ruim quanto morrer queimado ou afogado.

    mas uma coisa que eu não entendi… como ele sobreviveu tanto tempo (quer dizer, nem sei quanto tempo ele fica lá tentando sair) sem oxigênio? pq, né, não deve chegar muito e o pouco que tem ele respira tudo, po!
    alguém me esclarece por favor?

  2. haha! isso nem assistindo dá pra entender Honey! é quimicamente impossível! afinal alem de respirar ele liga o isqueiro 19283948 vezes! Coisas de filme!…

  3. hahahaha pois é, então o filme é bacana, segundo o jairo, mas agora já me irritou hahaha

    tt, seu lindo, não eh spoiler, … pessoas precisam de O2 pra respirar, e coisas precisam de 02 pra queimar. CO2 eh produto da respiração e da queima. é isso que eu queria entender… se o cara vai ficar la embaixo um tempo, ele vai respirar todo o O2… e depois ainda vai acender isqueiro? … foi só essa a minha duvida: como ele sobreviveu dias respirando gás carbônico?!

  4. ta bom, deixa eu te dar um exemplo bem, mas bem grosseiro: vc gosta de respirar fumaça de carro?
    já ouviu falar de gente de morre dentro de garagem fechado pq ficou respirando fumaça de carro?
    é tipo isso. em bem menor escala, mas como os dias debaixo da terra devem ter sido o suficiente…
    entendeu?

  5. Mas… então, o que você está dizendo? O Ryan Reynolds é o Lanterna Verde, cara! Ele tinha um respirador invisível! Você e o Jairo que não conseguiram enxergar. Assim que eu assistir o filme, mostro para vocês…

  6. esse filme não é do lanterna verde, ok?
    vou ver o filme e prestar atençao nesse detalhe… pq ainda n to acreditando que se esqueceram disso!

  7. LOL gnt! filme é assim msm… assistam… é tudo mt subjetivo, derrepente vcs acham q é tmpo suficiente, derre pente ñ! hauahuahua

  8. eu vi a chamada deste filme ontem na tv.
    e acabei ver o trailer.

    este é um filme que eu nao teria a menor paciencia de assistir.
    vamos la
    1 – Como ja foi dito ali em cima, o isqueiro dentro de uma caixa lacrada e enterrada com suprimento de ar contato é tenso.

    2 – qual aparelho e operadora que ele está usando? pq assim, o meu celular nao pega em lugares muito menos digamos…. Cobertos…

    e pra finalizar o meu comentário e explicar para o 2t

    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20071217052536AAtCNd1

  9. Temos um 10 Perguntas em andamento, é isso?

    Sinceramente, vocês todos estão equivocados. Aceitem. O cara tinha uma planta de maconha escondida em algum lugar. Tudo não passou de uma alucinação. Estraguei tudo.