Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Escola de Rock

Antes de encerrar a semana especial de filmes de rock com chave ouro (provavelmente teremos alguns outros filmes sobre o tema no decorrer do mês) com mais uma participação especial da Juliana Wonka Ruiva em um post sobre Quase Famosos, nada melhor (e mais justo) que falar de uma produção recente que homenageou o rock de uma maneira que nenhum outro filme jamais conseguiu: Escola de Rock.

- Advertisement -

O filme é estrelado pelo maluco do Jack Black e dirigido por ninguém menos que o sujeito responsável por ter feito o casal perfeito do cinema em Antes do Amanhecer e Antes do Por do Sol, o norte-americano Richard Linklater. Uma parceria improvável que acabou se transformando em um dos maiores sucessos da carreira de Jack Black e virou filme obrigatório para os fãs de boa música, afinal praticamente todas as grandes bandas de rock são mencionadas. Led Zeppelin, AC/DC (principalmente), The Doors, Jimi Hendrix… estão todos lá. Ou seja, Escola de Rock tem uma trilha sonora de fazer inveja até mesmo para os filmes de Cameron Crowe.
Para quem nunca viu antes, Escola de Rock conta a história de um rockeiro fracassado que começa a se passar de professor em uma escola. A verdadeira intenção do falso mestre é criar uma banda de rock para participar e vencer um concurso musical e provar para todo mundo que ele consegue ser bem mais que aparenta.
Apesar de ter diversos erros de continuidade, Escola de Rock não é um filme com grandes pretensões. Richard Linklater fez a sua própria homenagem ao rock e só precisou do adicional do carisma de Jack Black para criar o sucesso em cima da história, que não tem nada de novo ou lá muito original. Mas que acaba casando perfeitamente com o conceito de que não existem bandas de rock boas atualmente. Pessoalmente, discordo bastante da opinião de quem pensa assim. Porém é impossível negar que depois do Nirvana, nenhuma outra banda causou um impacto tão grande na música mundial. Sobram apenas as lembranças de época dourada. E que época.

Comentários