Filme: Férias Frustradas

Espécie de remake disfarçado de continuação, o reboot de Férias Frustradas arranca boas risadas. 

Férias Frustradas review

O Cinema de Buteco adverte: o texto a seguir possui spoilers e deve ser apreciado com moderação.

ED HELMS CONQUISTOU O PÚBLICO NA PELE DO DESASTRADO STU, na trilogia Se Beber, Não Case. Com o fim da franquia, Helms tem a sua chance dourada de estrelar uma comédia que possivelmente poderá se tornar uma nova franquia, se assim for o desejo dos executivos de Hollywood (e se os números na bilheteria forem significativos, óbvio). Em Férias Frustradas (Vacation), o ator interpreta Rusty, o filho mais velho de Clark Griswold (Chevy Chase) mais de trinta anos após os eventos do longa-metragem original lançado em 1983. E essa questão possibilita uma boa discussão: afinal, estamos diante um remake ou uma continuação?

Ainda nos minutos iniciais, o roteiro faz uma piadinha para tentar esclarecer essa questão. Infelizmente, talvez seja uma das piadas mais legais e que apenas aqueles que acompanharam a produção do longa-metragem entenderão. Assim como em Débi e Lóide 2, os produtores receberam várias críticas ao anunciarem sua intenção de produzir um remake de uma das comédias mais clássicas dos anos 80. Assim, nada mais justo que repetir a ideia usada na continuação das trapalhadas de Jim Carrey e Jeff Daniels e aproveitar para fazer piada com isso: segundo Rusty, as coisas são diferentes, já que trinta anos atrás era um garoto e uma garota, e agora são apenas dois garotos. Respondida a questão? Brincadeiras a parte, Férias Frustradas é um remake disfarçado de continuação, mas que funciona perfeitamente como um reboot para possibilitar novas sequências.

Cansado da mesmice de sempre durante as férias da família, Rusty convence sua esposa (Christina Applegate) a repetir a lendária (e desastrada) viagem da família Griswold para um parque de diversões. No caminho, Rusty, sua esposa e seus dois filhos passam por muitas situações surreais e precisam redescobrir os valores familiares e o amor que sentem uns pelos outros.

Em 2013 tivemos o lançamento de Família do Bagulho, que inclusive conta com Helms no elenco. A comédia era cheia de piadas politicamente incorretas e se influenciou demais em Férias Frustradas. E se formos comparar, talvez ela seja até superior ao reboot. A proximidade entre os dois filmes pode gerar alguma reclamação, mas mesmo com tantas semelhanças, se tratam de obras com diferenças: em Família do Bagulho, além do tráfico de drogas, temos um garoto e uma garota, ao contrário dos dois moleques bagunceiros de Férias Frustradas. Talvez não sejam tão diferentes assim, afinal.

A falta de originalidade do reboot também é percebida na reciclagem de piadas presentes no original: assim como no longa de 1983, a aventura começa com a compra de um carro novo de qualidade duvidosa; ao invés de uma tia velha sem noção, temos uma visita – que corta um pouco do ritmo, ainda que seja divertida – à irmã de Rusty, Audrey, que está casada com o almofadinhas parente do Kid Bengala Stone (Chris Hemsworth).;e uma breve cena em que Rusty flerta na estrada com uma garota super sensual, assim como seu pai também havia feito. Por ser um remake disfarçado de continuação, até conseguimos aceitar essas repetições, ainda mais quando funcionam em benefício da narrativa. De original mesmo (se é que podemos dizer isso, já que nesse ponto Férias Frustradas se aproxima de ser um clone de Família do Bagulho), temos a completa mudança de tom: em 1983 existia espaço para piadas bobinhas e um humor inocente, coisa que praticamente não existe mais nos tempos atuais. Hoje nós preferimos ver coisas mais escrachadas, politicamente incorretas etc. Existe uma mensagem implícita para a possível homossexualidade de James (Skyler Gisondo) e que motiva o bullying praticado pelo seu irmão mais novo, o encapetado Kevin (Steele Stebbins). Como todo road movie trata de amadurecimento, é divertido perceber a evolução que James sofre e como isso modifica sua relação com a família.

Os cinéfilos ficarão felizes de notar a homenagem a Encurralado, de Steven Spielberg. Durante a viagem, os Griswold acabam ofendendo um motorista de caminhão que começa a segui-los pela estrada. Para quem não sabe, Encurralado foi o primeiro longa-metragem de Spielberg e contava a história de um homem sendo perseguido por um caminhoneiro psicopata pelas estradas dos Estados Unidos. Ah, vale dizer que há uma bela surpresa quando descobrimos a identidade do caminhoneiro de Férias Frustradas: e quem conhece o ator em questão entenderá como isso funciona para tornar o momento ainda mais interessante.

A música desempenha papel fundamental em boa parte da narrativa. “Kiss From a Rose” vira o tema principal, inclusive numa cena importante na conclusão. Ela é a catarse da família Griswold. Também podemos citar o tema “Holliday Road”, que toca de cinco em cinco minutos no filme original e reaparece justamente no momento em que Chevy Chase entra em cena. E por último, Charlie Day marca sua presença com uma interpretação de corpo e alma para “Without You”, numa das melhores cenas do filme.

Férias Frustradas é uma comédia recomendada para meninos e meninas que buscam filmes engraçados para passar o tempo. O excesso de piadas politicamente incorretas certamente agradará ao público menos exigente, mas provavelmente será visto como um motivo a mais para aqueles que cresceram assistindo ao original. Para esse pessoal, esse remake disfarçado de continuação será apenas uma obra ruim e oportunista, como todas as refilmagens costumam ser. Pessoalmente, acho o filme original datado e não me incomoda em nada ver Ed Helms liderando uma nova franquia, desde que ela me faça rir como, mesmo com todos seus defeitos, Férias Frustradas fez.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.