Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Crítica: Mulher Solteira Procura (1992)

Poster Mulher Solteira ProcuraO Cinema de Buteco adverte: o texto a seguir possui spoilers e deverá ser apreciado com moderação.

MORAR SOZINHO É SEMPRE UMA AVENTURA ARRISCADA. Nós nunca sabemos exatamente o que esperar quando convidamos uma pessoa para dividir um apartamento, exceto que tudo é possível. Pessoas são esquisitas. Algumas são até perigosas, como é o caso de Jennifer Jason Leigh no provocante suspense Mulher Solteira Procura (Single White Female, 1992), de Barbet Schroeder.

Allison (Bridget Fonda) está alugando um quarto no seu apartamento e recebe a tímida Hedra (Leigh) para morar no local. Aos poucos as duas se tornam inseparáveis, mas Allison começa a desconfiar que a sua colega de quarto esconde muitos segredos e pode representar uma séria ameaça a sua segurança.

- Advertisement -

O grande trunfo da obra é quando Hedra deixa evidente que é uma psicopata. Primeiro com a situação envolvendo o cachorro, que primeiro é levado para casa como maneira de medir o seu poder. Depois ela agride o animal com um chute numa cena e, finalmente, temos a triste conclusão da participação do cãozinho no filme. Essas pistas deixam Allison (e o espectador) preocupado e com sérias desconfianças até ter a certeza de que a garota é uma louca psicótica que só pensa em si mesma. Jennifer Jason Leigh dá um show e ofusca a sua companheira de cena, que o tempo inteiro fica com carinha de coitada. Leigh mostra uma Hedra delicada e insegura numa cena e a transforma numa pessoa fria e agressiva em outra. É incrível.

Nos minutos inicias da história temos uma transa delicada entre Allison e seu namorado. Eles fazem juras de amor eterno, mas são interrompidos pela ligação da ex-mulher dele. Em plena madrugada. Ligando para a casa da atual do ex. Que mulher. Enfim. A conversa entre os dois fica no vivavoz e Allison descobre que foi traída. O que me chama a atenção nessa cena é a questão da nudez representando o estado vulnerável da personagem, que busca uma maneira de se cobrir, como se fosse uma defesa diante ao que acabou de saber.

Mulher Solteira Procura é famoso por causa de uma intensa cena de masturbação da personagem de Leigh. No melhor estilo Natalie Portman em Cisne Negro, Hedra se toca em busca de prazer e é acidentalmente observada pela sua roomie. Entra em cena o lado voyeur da produção, que o tempo inteiro dá pistas dessa tensão sexual entre as duas garotas. Não precisa ser menino para ficar ofegante e trocar de posição no sofá nessa hora. Uau!

Mulher Solteira Procura é um belo thriller sobre gente possessiva e psicótica. Lembrando um pouco de Invasão de Privacidade, Cova Rasa e até o clássico O Inquilino, a produção agrada como um entretenimento básico e consciente de suas limitações. Justamente por não inventar moda e trabalhar a sensualidade de suas atrizes com sabedoria, que a obra não se torna um fiasco completo.

Comentários