Filme: O Tigre e o Dragão (2000)

O Tigre e o Dragão_01

O Tigre e o Dragão (Crouching Tiger, Hidden Dragon) é um filme chinês lançado no ano 2000. O diretor Ang Lee se baseou na história do livro de mesmo nome escrito por Du Lu Wang, uma história wuxia.

Wuxia é um gênero literário originário da China que mistura fantasia e artes marciais. Wuxia significa cavaleiro honrado, ou ainda herói militar. Um tema constante das histórias wuxia é quando o herói transcende suas habilidades ao máximo através da concentração, da repressão de suas emoções e de muito estudo. Existem dois estilos para se atingir isso, o Wudan (que usa a força interior) e o Shaolin (que usa a força exterior), apesar de algumas diferenças ambos pregam a busca do equilíbrio. O gênero Wuxia no cinema é bastante tradicional, mas no caso de O Tigre e o Dragão temos uma quebra de paradigma, tanto na qualidade da produção, quanto no alcance mundial que o filme obteve.

O filme venceu 4 prêmios Oscar, melhor filme estrangeiro, melhor fotografia, melhor direção de arte e melhor trilha sonora, além de ter sido indicado em mais seis categorias.

A sinopse não revela muito sobre o enredo, ela diz que o filme conta a história de duas mulheres exímias lutadoras, e cujas vidas se encontram na época da Dinastia Qing. Os destinos das duas conduzem a uma jornada violenta e surpreendente, e que as obrigará a fazer escolhas que poderão mudar as suas vidas.

A história começa com o retorno do mestre e guerreiro Li Mu Bai de seu retiro, ele está ficando velho e deseja se aposentar. Porém o roubo de sua espada, a Destino Verde, desperta nele a necessidade de uma última missão, vingar a morte de seu mestre matando a assassina Jade Fox.

CROUCTIGER-CTIT-5-25

O filme possui várias camadas, mas a temática principal é a vingança. Só que uma escalada de vingança nunca acaba a menos que alguém tenha a sabedoria suficiente de romper o ciclo de ódio e sede de justiça. Durante o filme podemos observar o padrão bem descrito por Michael Corleone em o Poderoso Chefão III: “Por mais que eu tente sair eles me puxam de volta!”. Li Mu Bai, apesar de sua grande sabedoria não se desligou totalmente de suas emoções e sua amargura o fazem perseguir Jade Fox para vingar a morte de seu mestre, acarretando assim mais mortes. A verdadeira sábia no filme é Yu Shu Lien, que apesar de ter perdido seu grande amor, decide romper o ciclo de violência, e mesmo num momento de dor dá a Jen um grande conselho, ir a Wudan e seguir seu coração.

O Tigre e o Dragão_02

Outro padrão muito claro na história é a dupla encruzilhada de Jen. A primeira é em relação a sua vida amorosa, ela deve casar-se com um aristocrata que não ama por conta da pressão da sociedade machista que ela vive? Ou deve abandonar tudo e viver seu verdadeiro amor com Nuvem Negra? Ao mesmo tempo, uma vez versada nas artes marciais e nos segredos do Wudan, ela deve ter um mestre (a) para continuar seu aprendizado. Ela continua com Jade Fox, uma assassina temida e procurada pela polícia, ou por Li Mu Bai, um mestre guerreiro respeitado por todos? Vocês percebem a semelhança desta encruzilhada com a de Darth Vader? Teria George Lucas se inspirado nas antigas histórias wuxia para escrever o seu Star Wars? Sou capaz de apostar uma latinha de refrigerante que sim.

A origem de toda a escalada de vingança é o machismo. Aparentemente Wudan não aceitava mulheres, e Jade Fox, que se “deitava” com o mestre de Li Mu Bai, acabou matando seu amante para roubar o manual Wudan e aprender os segredos das artes marciais. Quantas histórias não acontecem por conta das diferenças entre homens e mulheres?

Outro detalhe importante a ser dito sobre Jade Fox é a sua dedicação e por assim dizer dependência de Jen. Não é a toa que a descoberta sobre o fato de Jen não compartilhar todos os detalhes do manual com sua mestre soaram como uma grande traição, traição esta que renderia uma tentativa de assassinato no final do filme. Aliás, neste filme fica bem claro pra mim que envenenamento é a forma mais traiçoeira de se matar alguém. Precisa ser muito covarde para usar de tal artifício.

Agora, um dos pontos altos do filme são as lutas e coreografias. Destaque para a primeira luta do filme, com Lien perseguindo Jen, tentando fazer com que esta não fuja. O jogo de pernas, praticamente uma segurando a outra no chão para estender o combate é fantástico. Já na segunda luta temos uma veia cômica forte, o soldado trapalhão mais atrapalha do que ajuda na captura de Jade Fox. Já na luta de Li Mu Bai contra Jen, eu fico impressionado com o mestre não faz um movimento desnecessário sequer, destaque ainda para a cena onde ele dá a primeira lição a ela, lutando com um graveto. Eu conheço algumas pessoas que lutam Ken-Do e até onde eu compreendi, dado um mesmo nível de dedicação à arte marcial, uma pessoa mais velha é sempre superior a uma com menos tempo de prática, exemplificando, independente da idade ou forma física, uma pessoa com 25 anos de prática sempre será superior a uma com 15 anos de prática. Acho que esta cena do graveto ilustra bem este conceito. A última cena de luta entre as duas no salão da casa, com várias armas diferentes é a minha preferida, e na minha opinião uma das melhores cenas de luta de artes marciais do cinema, uma verdadeira aula.

Para analisar a última cena do filme, não podemos perder de mente que o filme se aproxima de uma fábula. Jen se reencontra com Nuvem Negra e pede que ele faça um pedido e ele revela que gostaria de voltar para o deserto. Ela então decide se jogar do penhasco conforme a lenda. Aí você se pergunta: mas ela ficou com ele? Ela se matou? Eles voltaram para o deserto juntos? Resposta: não importa! Esta é uma cena aberta a interpretações. Se você acredita que a fábula é verdadeira, então acredita que eles voltaram juntos para o deserto, mas se você não acredita talvez ache que ela se arrependeu e se matou, ou ainda que a encenação é só um simbolismo… De novo, não importa! A interpretação final é sua!

Não é surpresa que os filmes de cultura oriental possuam fotografia tão boas. A cultura oriental se preocupa muito com a apresentação da comida, por exemplo, ou ainda da decoração de jardins, interiores e fachadas. Esta obsessão pela beleza e apresentação nada mais do que migrou do cotidiano para as telas a partir da produção de filmes. Meus dois destaques são para a cena em que Jen e Li Mu Bai lutam entre as árvores e, uma cena despretensiosa, mas muito importante, pouco antes do assassinato do policial, temos uma cena em que uma revoada de pássaros voa de uma árvore a noite por estar assustada com a luta que está por iniciar.

E para terminar eu fecho a análise elogiando a trilha sonora e a língua utilizada no filme, o Mandarim. Eu gostaria de ter mais conhecimento técnico para fazer esta justificativa, mas não o tenho. Só sei que tentei assistir o filme dublado em inglês e português e simplesmente não deu certo.

 

Trailer

Texto inicialmente publicado no Art Perceptions

 

Informações Técnicas

  • Diretor: Ang Lee
  • Roteiro: Du Lu Wang
  • Gênero: Ação, Drama, Romance
  • Ano: 2000
  • Duração: 2h00
  • Elenco: Yun-Fat Chow, Michelle Yeoh, Ziyi Zhang

 

Referências

O Tigre e o Dragão

Leonardo Carnelos

Leonardo Carnelos é engenheiro mecânico aeronáutico, árbitro de tênis e responsável pelo blog Art Perceptions (www.artperceptions.com). Paulista, paulistano e palmeirense, acredita que a vida não faz sentido sem o estudo da Arte.