Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Guerra ao Terror – Post 2


Esqueça o nome do filme ok?
Incrivel como uma má divulgação pode estragar a imagem de um filme bom. “The Hurt Locher” é o exemplo mais claro disso!
Ver o filme pensando que teremos mais uma história de guerra simples, onde há a já batida critica política, o soldado paranóico, o soldado negro que cresceu na periferia e aquele que não se preocupa com nada é realmente um equivoco causado pelo título do DVD.
The Hurt Locker (Algo como “Armário da Dor”) é um filme que SIM, mostra tudo isso que os outros filmes de guerra mostram, mas de uma forma diferente, tão sutil, que no final, você se surpreende e vê que tudo faz sentido naqueles personagens (tá talvez não tenha a crítica política que os outros filmes do genero costumam ter, afinal política não vende e Guerra ao Terror já não vendeu muito neh?)
É um filme sobre como se lida com a guerra. Alguns se apavoram, outros vêem como a chance de ser alguém, outros necessitam dela para se sentirem alguém. Isso somado as cenas de tensão constantes, nos trazem uma visão diferente do tema.
Como vocês devem ter lido no post do 2W: http://www.cinemadebuteco.com/2010/02/guerra-ao-terror.html – O filme é tenso, se passa em torno do sargento James, e sua equipe Bravo, que tem pouco mais de 1 mês antes de serem mandados de volta para suas casa. Esse pouco mais de 1 mês é vivido cada segundo em tensão e com cuidado. Com a morte espreitando em cada esquina, cada sacola vazia largada na rua é vista como possível bomba, é a função da equipe do Sgt James desarma-las.
876 bombas depois, como você se sentiria?
O filme é como um bom livro, tem que ser visto com calma e atenção, prende mesmo até o fim, não é chato e assim como um bom livro, você não pode ver a ultima página, senão estraga tudo! xD

Bom, recomendo que vejam e tirem suas conclusões, há cenas que devem ficar na memória por muito tempo, cheias de simbolismos, e que COM CERTEZA, daqui a anos farão lembrar do filme, como um clássico, tal como foi Platoon, Resgate do Soldado Ryan e outros… Destaque para o PENTE sujo de sangue, o banho de farda, o sono de capacete, a Pipa… São muitas cenas carregadas de simbolos que dariam uma palestra sobre o que há por trás do “Armário da Dor”
Díficil falar do filme sem spoillers (né 2W?). Mas acho que é mais do que uma história de/sobre guerra contada. É sobre como lidarmos com nossas responsabilidades, nossas escolhas e nossa vida.
Afinal, não temos consciencia disso o tempo todo, mas sabemos que no nosso dia a dia, um passo errado e “BUM!” muita coisa pode ir por água abaixo.
Vejam, dou 5 caipirinhas, e mereceu sim o Oscar.
Vejam e comentem!
X_X

- Advertisement -

Comentários