Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Lanterna Verde

E MAIS UM MEMBRO DA LIGA DA JUSTIÇA FOI APRESENTADO. Lanterna Verde, mais conhecido como o Guardião esmeralda, estreia hoje nas principais salas de cinema do Brasil e já promete grande bilheteria. Sim, porém isso não significa que o filme é bom, e nem vai achando que o 3D com as super luzes verdes, vôos, brigas magníficas e a direção do Martin Campbell (do bom 007 – Cassino Royale) vão salva-lo. É lamentável fazer essa descrição ao tal filme tão esperado, mas ele não chega aos pés de um dos Sete magníficos já apresentados, O Capitão America.

Enfim chega de churumelas, vamos a historia do não tão popular e não tão querido lanterna verde. O personagem, Hal Jordan, vivido pelo ator Ryan Reynolds, é um piloto de provas arrogante, filho de outro aviador morto em um acidente aéreo. Ao testar até o limite um novo caça, passa a sentir sintomas estranhos, com a imagem do pai insistindo em voltar à sua memória. Ele, que sempre foi destemido, repentinamente se sente inseguro e amedrontado. Travado em suas ações, consegue com dificuldades ser ejetado do aparelho, antes da queda.



- Advertisement -

Arrasado, Hal não consegue explicar à sua parceira de provas o que aconteceu. E começa a duvidar de suas habilidades. Pior, sente que o medo está tomando conta de suas emoções. (SIM O MEDO)

Em outro planeta, uma legião de protetores do universo, conhecidos como Lanternas Verdes, se depara com um poderoso inimigo, Parallax, que se fortalece com a energia de cor amarela gerada pelo medo. Fica tão poderoso que os Lanternas não conseguem contê-lo com sua arma poderosa, um anel que emite uma energia esverdeada. Ao fugir de Parallax, a nave do líder dos Lanternas Verdes cai na Terra. Gravemente ferido, ele precisa escolher um humano corajoso a quem passará o anel e a difícil missão de se juntar aos demais Lanternas para barrar Parallax. E o eleito é o piloto, que demora a entender os motivos de sua escolha, pois não se considera à altura da missão.


Além dessa “super” história para dar inicio as aventuras do herói o drama conta com romance vivido entre Hal e sua colega de infância e também piloto Carol Ferris (Blake Lively a Serena do Seriado Goosp Girls).

Como é mostrado O bem e o mal estão devidamente simbolizados pela força de duas cores de luz: a verde e a amarela, respectivamente; mas cada uma delas funciona de maneira diferente. Enquanto a verde ganha força com base na vontade de vencer do Guardião que a manipula, a amarela se alimenta do medo dos seus inimigos.



Ou seja, para vencer o mal é preciso deixar de lado qualquer vestígio de
covardia, o que se revela o maior problema de Hal Jordan, um cara que foge de seus problemas assim como o diabo foge da cruz. É ai, que encontramos um tipo de moral para a história, um incentivo à força de vontade, à superação das dificuldades e assim por diante.


É nesse ponto que queria chegar, erro no roteiro, direção, atuação e etc. Campbell faz de seu filme algo tão óbvio e clichê que parece que uma montagem de cenas de vários filmes já vistos (posso estar doida, mas vi ali a Mary Jane, o Homem Aranha, o Super Man entre outros.). Ele poderia fazer de Lanterna Verde uma franquia muito mais empolgante quanto à dos X-Men, Homem Aranha, mas limita-se ao roteiro fraco e ao ator escolhido para viver Hal Jordan. SIM, minhas companheiras ele não convence. Apesar do físico impecável, de ser gato e de ter sido casado com Scarlett johansson (Sim, acho ela gata e por isso a odeio) o canadense Ryan Reynolds, não tem o mesmo carisma de Robert Downey Jr. na série Homem de Ferro ou a presença imponente de Hugh Jackman como Wolverine.

Não querendo acabar com as expectativas do filme, mas se você, que é fã do guardião, vá ao cinema conferir o desempenho dos atores e do diretor, e se divirta. Agora aguardo ansiosa com o restante da trupe. Espero que não me decepcione.!!






Comentários