Meninas Malvadas | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

Meninas Malvadas

por Bia
meninas_malvadas_2004_g Meninas Malvadas
Atenção: este texto pode conter spoilers.

Para início de conversa, é preciso alertar que Meninas Malvadas não é uma nova versão de As Patricinhas de Bervelly Hills. Se o filme que fez uma geração dos anos 90 fala apenas do mundo das riquinhas de uma cidade americana, este é diferente.

Cady Heron, muito bem interpretada por uma ainda inocente Lindsay Lohan, frequenta, pela primeira vez  na vida, uma escola. O motivo é ela ter vivido seus primeiros 16 anos na África. No segundo dia de aula ela conhece Damian e Janis, uma dupla de amigos que realmente não se importam em não serem populares. E assim começa toda a trama.

Janis Ian se aproveita da falta de noção de realidade de Cady e faz com que ela participe do seu plano vingativo contra Regina George, interpretada brilhantemente pela irreconhecível Rachel McAdams. Regina faz parte de um grupo denominado “As Poderosas”, do qual também participam a metida Gretchen Weiners e a burra – porém doce – Karen Smith (este é um dos primeiros filmes de Amanda Seyfried). Como se pode imaginar, “As Poderosas” é o grupo de meninas populares da escola, e por mais que todo mundo fale mal delas, todos querem ser elas. Sim, isso é MUITO abordado nos filmes adolescentes americanos em sua grande maioria, mas nenhum fala da forma que este fala.

meninas_malvadas_2004_g Meninas Malvadas
O filme é irônico. Muitas das piadas são politicamente incorretas (como numa das primeiras cenas, quando a professora de matemática – interpretada por Tina Fey, também produtora do filme -, descobre que há uma aluna que veio da África e acaba se referindo à aluna negra) e ninguém é bom (inclusive a Cady). A história toda mostra a falsidade rolando solta, da pior forma possível. Outro fato interessante do filme são os relatos dos outros personagens em relação ao grupo de meninas populares.

Claro que todo o destaque do filme fica para Regina George. Não por ser má e manipuladora, mas pelo fato de que sempre está sorrindo quando está fazendo alguma de suas maldades. Claro, o telespectador tem a opção de ficar com muita raiva dela, mas a forma como a personagem é interpretada por McAdams faz com que você torça para que Regina se dê bem no final.

Diferentemente de Patricinhas, aqui todo mundo é falso. Todos falam mal de todos. E quando é sacaneado por trás, faz questão de se vingar da pior forma. Claro que todo mundo se dá bem no final, mas o recheio do filme é o que há.

Bia

Comentários

  1. bah! Vou confessar que agora que me dei conta que a Amanda Seyfried faz esse filme, E QUE a Rachel McAdams que interpreta a Regina! Uau!!! São elas mesmo….. Ta certo que eu vi esse filme faz tempo, mas nunca me dei conta das atrizes!! shame of me!

    O filme é bem divertido ;p
    Um mundo de falsidades, fato! No fim eu já não sei se torcia pra todas, ou pra nenhuma se dar bem :p
    Bem lembrado esse filme, fiquei afim de rever =]

  2. Sabe quando a gente julga um filme pelo título? Pois é… hahahahhaha

    Não vi. Mesmo com a Rachel McAdams e Amanda Seyfried no elenco…