Minha Vida Sem Mim | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

Minha Vida Sem Mim

minha-vida-sem-mim-poster02 Minha Vida Sem Mim

Minha Vida Sem Mim foi recomendação da minha amiga Isabelle (do site Muse Brasil). Ela disse que era uma história linda e que merecia ser vista. Pelo que pesquisei sobre o filme, tinha tudo para ser uma daquelas histórias tristes que te fazem chorar até secar a fonte. Mas fiquei apenas na expectativa. Parece que a diretora Isabel Coixet sofreu do mesmo mal de David Fincher em O Curioso Caso de Benjamin Button: faltou pegar pesado no drama e atacar direto na emoção do espectador. A bela história da personagem acaba não emocionando tanto quanto deveria. Uma pena.

Scott Speedman (que está a cara do Kurt Cobain) interpreta um marido em busca de emprego. Tem duas filhas e mora em um trailer atrás da casa da sogra, uma reclamona de marca maior. Sarah Polley interpreta Ann. Ela é esposa, mãe, filha e ainda tem que lidar com um emprego dificil. Embora nunca tenha reclamado da sua vida ao lado do marido, ela se sente vazia e então descobre que vai morrer em três meses. Pronto. Todo o clima para uma história dramática (sem exageros. afinal, não é preciso exagerar na dose para se fazer um filme emocionante) está aí, mas Coixet preferiu uma coisa mais sutil e reflexiva. Longe de dizer que o filme é ruim, definitivamente não é, mas senti falta de uma dose mais pesada de drama. Tudo fica no ar, é fácil absorver, mas não conseguiu me fazer refletir sobre o quanto a vida é importante e rara (amo o Lenine mesmo). Talvez outras pessoas consigam apreciar mais do que eu e só por isso que recomendo!

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.

Comentários

  1. Quando eu assisti a primeira vez, faz um tempão já, eu chorei muito no final. Acredito que eu consegui pegar esse lance que vc não pegou. Talvez não era o momento certo para vc assistir o filme, é que nem aqueles livros que pegamos e não entendemos, depois de um tempo se vc pegar pra ler novamente, ele faz sentido.

  2. Nossa, ja vi algumas vezes e em todas chorei demais! Mas faz muito tempo, na época não conhecia das técnicas de cinema como conheço hj e chorei pq sou chorona mesmo, achei a história toda bem triste. Já até pensei em revê-lo, mas ainda não fiz isso justamente com medo de me decepcionar com um filme que eu gosto bastante.