Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Moonrise Kingdom

MOONRISE KINGDOM É UM FILME DE WES ANDERSON. Não é preciso dizer muito mais que isso para se ter a ideia de que esta vai ser uma história no mínimo inusitada. E, muito provavelmente, com o Bill Murray.

Moonrise Kingdom é os dois. Tanto que se passa em uma ilha com casas de cerca branca onde vivem famílias desajustadas. Murray é Walt, marido de Laura (lembram da Frances McDormand?) e pai de Suzy (Kara Hayward). Ela foge de casa aos 12 anos para se encontrar com Sam (Jared Gilman), um escoteiro que também foge do acampamento e mobiliza seu superior (Edward Norton) e a polícia em uma busca por toda a New Penzance.

- Advertisement -

Eles estão, é claro, apaixonados. E é aí que Moonrise vai além da “turminha que entra na maior confusão no acampamento de verão”. Todos já vimos esse filme. Este é sobre um amor tão diferente, que ninguém dá crédito – nem mesmo você. Entre o espectador e a tela paira uma bagagem que te diz que nessa idade você também achava que tinha encontrado o amor da sua vida, e que aprendeu, a duras penas, que não é assim que funciona.

Mas Sam e Suzy não têm muito a perder. Os dois levam vidas sem grandes estímulos – a não ser pelos livros que a menina fez questão de levar em sua aventura. Nada como a obstinação da adolescência para fazê-los fugir floresta adentro em direção à liberdade que tanto almejam. Por isso, quando o espectador menos percebe, se vê torcendo para que a polícia, o serviço social, os pais da menina e os escoteiros os deixem em paz.

Os atores estreantes estão cercados de gente bastante experiente. Jason Schwartzman, Bruce Willis e Harvey Keitel estão entre os veteranos. Murray, McDormand, Norton, Tilda Swinton e Bob Balaban completam um time respeitável. Eles têm em comum aquela pitada de esquisitice inerente a toda a filmografia do diretor.

Roman Coppola voltou a colaborar no roteiro. Quem também ajuda a dar o tom do filme é o fotógrafo Robert D. Yeoman, que trabalha com Anderson desde Três é Demais e dialoga bem com o que o diretor propõe: uma atmosfera de aventura e nostalgia, com cores que complementam bem a direção de arte. Se os sets e objetos e figurinos não deixam claro, o estilo de fotografia retrô indica: estamos nos anos 60.

Mas, mais que uma aventura de época, Moonrise Kingdom é um conto sobre amor e inocência, resignação e amizade. Não que a moral seja o objetivo da obra de Wes Anderson. Ele conta fábulas fantásticas cujas peças fazem sentido, pois falam de pessoas e sentimentos reais. O amadurecer sempre esteve presente em seus filmes, e é uma idiossincrasia, ora trágica, ora cômica, mas muito própria que dá sentido ao seu mundo. O mérito de Anderson está em criar um universo tanto estranho quanto familiar. Talvez porque de loucos, todos temos um pouco.

Título original: Moonrise Kingdom
Direção: Wes Anderson
Produção: Wes Anderson
Roteiro: Wes Anderson, Roman Coppola
Elenco: Kara Hayward, Jared Gilman, Bill Murray, Frances McDormand, Edward Norton, Bruce Willis, Tilda Swinton
Lançamento: 2012
Nota:[quatro ]

Comentários