O Alvo | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

O Alvo

vandamme460 O Alvo
Bem que a gente tenta dar uma chance para certos nomes de Hollywood. Quando eu era mais novo, era fácil ver qualidade em obras estreladas pelo Jean Claude Van-Damme. Era mais fácil ainda encontrar algo para elogiar nos filmes do John Woo. Mas depois de assistir O Alvo nessa última semana, especialmente para o Cinema de Buteco (ou você acha que eu iria parar para ver um filme desses só porque tive um lapso de ausência intelectual?), pude comprovar que nenhum dos dois artistas merecem tanto respeito. O diretor é um picareta que repetiu as mesmas cenas dessa sua primeira aventura em solos norte-americanos (na época, ele só havia dirigido filmes no Oriente) nas suas produções seguintes. Aquela parte que o Tom Cruise usa e abusa de uma motocicleta em Missão Impossível 2 nasceu em O Alvo; e o mesmo pode ser dito da sequência do espelho em A Outra Face.
Tentei lembrar o significado de algumas anotações (lições do mestre Villaça) que fiz enquanto me castigava com o Van Damme e seu cabelo de fazer inveja ao Steven Seagal, mas infelizmente não consegui decifrar a minha letra. Mas sinceramente? Quem é que se importa em ver um post sério e que faça uma séria análise do roteiro (?) e direção de O Alvo? Se for o seu caso, desculpe-me. E` praticamente impossível esperar alguma coisa séria desse filme, já que as cenas são muito podres (Van Damme consegue chutar e atirar ao mesmo tempo; na sequência em que ele ajuda a mocinha, dá certa dó do cara. Ele até tenta mostrar um pouco do sex-appeal que alguns miopes enxergam nele, mas o sotaque belga carregado torna tudo extremamente ridiculo) e não há nada que mereça ser mencionado. Infelizmente.
Porém uma coisa é digna: sempre que menciono O Albergue, lembro desse filmezinho ruim do Van Damme. O motivo? A história de O Alvo se parece muito com a que Eli “Urso Judeu” Roth inventou para a sua produção sanguinária. Imaginem que existam pessoas ricas o bastante para pagar por um entretenimento tão peculiar e que isso de fato, pode acontecer em certos lugares. Sei que para quem não gosta de O Albergue, fica muito difícil ver alguma qualidade no roteiro, mas é bem verdade que nós, humanos, somos capazes de muitas coisas crueis e assassinar outro humano é uma delas. Não existem limites para a “diversão” de algumas pessoas e de algum lugar o roteiro de O Alvo ou de O Albergue devem ter saído. Ou será que esses diretores são tão psicóticos assim?
vandamme460 O Alvo

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.

Comentários

  1. sério mesmo que o van damme está mordendo o chocalho da cobra?existe essa cena nesse filme?!pqp…nao me lembro de ter visto esse filme nao, até pq quando vejo esse nome (van damme) passo longe! não sou muito fã de o albergue nao…mas com certeza é melhor do que qualquer coisa do van damme….

  2. Cara eu adoro filmes de ação, desses bem burros! É como comida gordurosa e açucarada, sabemos que faz muito mal porém simplesmente gostamos. Apesar de gostar dos filmes do início da carreira do belga não tem como negar, o cara com um baita sotaque é ridículo! Esse filme é uma grande forçação de barra, para um filme tosco de ação a trama até que não é das piores. É de 1993, quando V. Damme estava no auge da carreira, mas não precisa olhar bem pra ver o us exagerado de dublês em cenas bobas, como aquela em que Boudreaux salta no capô do carro para escapar das balas. Ali já sinalizava o iníci da queda do cara, afinal um cara que é especialista em artes marciais precisa usar dublês pra dar um saltinho de 50cm?