Philomena

philomena

DE TODOS OS INDICADOS AO OSCAR DE MELHOR FILME EM 2014, Nebraska e Philomena são considerados os mais humildes. Isso não significa que sejam obras menores. Além de superarem Trapaça, os candidatos menos favorecidos do Oscar também superam Capitão Phillips. Ou seja, possuem qualidade de sobra para agradar ao público, especialmente no caso de Philomena, produção dirigida por Stephen Frears (Alta Fidelidade).

Com um senso de humor afiado e uma atuação perfeita do seu elenco, o mérito principal de Philomena é combinar os momentos mais leves com o drama vivido pela personagem de Judi Dench. A história, para quem não sabe, é inspirada em fatos, e apresenta a tentativa de uma mãe reencontrar o seu filho 50 anos depois dele ter sido adotado.

Philomena (Dench) é a encarnação da alegria e esperança. Uma doninha extremamente simpática, que faz questão de interagir com todas as pessoas ao seu redor, do cozinheiro ao jornalista mais ranzinza. Ela trata todos com o mesmo carinho, respeito e atenção, e isso faz dela um exemplo a ser seguido. Ainda mais em tempos em que a educação e o amor parecem extintos. Mas uma personagem tão bem escrita no roteiro não funcionaria se não tivesse uma atriz tão competente em cena. Dench nos emociona do princípio ao fim com a sua capacidade de nos fazer rir e chorar, quase que ao mesmo tempo. O ator Steve Coogan começa meio chatinho, mas cresce muito com o desenvolvimento da trama.

judi-dench-philomena-movie

O roteiro não fica com pena (e nem medo) da Igreja Católica, e questiona os valores religiosos. Causar tanta dor para uma pessoa é realmente o caminho do Senhor? O filme investe pesado nesse assunto, e não deixa de abordar também a negação da sexualidade, dentre outros hábitos presentes na igreja. Com isso, Philomena não é apenas um longa-metragem investigativo, mas também busca causar a reflexão dos espectadores diante um caso tão cruel.

Atenção especial para o trabalho do compositor Alexandre Desplat nas músicas da obra, que recebeu uma merecida indicação ao Oscar de Trilha Sonora. Ao contrário do score de John Williams (A Menina Que Roubava Livros), Desplat oferece temas que contribuem para a narrativa e consegue emocionar o público nos momentos certos, e sem precisar apelar. Philomena pode até não vencer na categoria (afinal, a trilha sonora de Ela é linda e o Arcade Fire merece o prêmio), mas seria uma agradável surpresa.

Frears apresenta um cinema simples e de qualidade. Qualquer pessoa com um mínimo de sensibilidade, conseguirá se deliciar e apreciar a bela lição de vida (E amor) ensinada por Philomena.

Philomena_poster

Título original: Philomena
Direção: Stephen Frears
Gênero: Drama
Roteiro: Steve Coogan e Jeff Pope
Elenco: Judi Dench, Steve Coogan, Sophie Kennedy Clark, Michelle Fairley
Lançamento: Fevereiro de 2014
Nota:[tresemeia]

 

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.