Tiras em Apuros | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

Tiras em Apuros

O que mais gosto nessa vida de manter um blog sobre cinema, é quando gosto de um filme que a maioria das pessoas falou mal. Uma das políticas do Cinema de Buteco é que cada pessoa tem a sua opinião e portanto vale a pena falar de filmes repetidos e criar uma boa discussão e refletir um pouco mais sobre a qualidade de uma produção. Em Tiras em Apuros, a discussão rola solta. De um lado um monte de gente falando que o filme é muito ruim (até mesmo o diretor deu umas declarações estranhas sobre o que achava do longa) e de outro, uma boa parte elogiando e comentando sobre as várias cenas engraçadas que Bruce Willis e Tracy Morgan protagonizam. Não sei se para o bem ou para o mal, estou incluso nesse segundo grupo. Tiras em Apuros definitivamente está longe de ser o melhor filme da carreira de Kevin Smith e o roteiro ficou nas mãos de uma dupla chamada Robb Cullen e Mark Cullen, ou seja, apesar de existirem, não espere encontrar as piadinhas geniais e nerds de Smith em todas as cenas.

Afinal de contas, o que torna um filme engraçado ou não? Tiras em Apuros me fez rir muito. Logo no começo acontece uma sequência de homenagens a grandes clássicos do cinema (incluindo Duro de Matar) e só mesmo uma pessoa que consegue dar azia em sonrisal para não achar graça das patéticas tentativas de Paul (Morgan) em conseguir bancar o policial malvado. Bruce Willis é um ator que consegue conciliar o humor com a porrada de uma maneira que poucos conseguem. Ele transpira ironia e indiferença. O diretor conseguiu pegar o melhor da dupla e homenageou grandes filmes de ação dos anos 80/90 de uma maneira muito interessante. Claro que existem momentos forçados e que poderiam ser descartáveis, mas quem foi que disse que uma comédia não pode ter exageros? Se é comédia, a única obrigação é fazer rir e isso, Tiras em Apuros consegue fazer.

Tiras em Apuros conta a história de dois policiais desastrados que acabam suspensos depois de uma série de incidentes. Jimmy (Willis) fica sem dinheiro e decide vender uma figurinha rara de beisebol para conseguir pagar o casamento de sua filha, mas acaba sendo roubado por um ladrão maluco (Sean William Scott). Decidido a recuperar a figurinha e evitar que o novo marido de sua ex-esposa pague o casamento, Jimmy e seu parceiro (Morgan) acabam descobrindo que a figurinha está nas mãos de um perigosos gangster. Diversão garantida.

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.