Tron: Uma Odisséia Eletrônica | Cinema de Buteco
Críticas de filmes

Tron: Uma Odisséia Eletrônica

por Wendel


iTunes now playing – Kraftwerk

Quando fiquei sabendo do Tron Legacy, fiquei curioso em ver o seu antecessor de 28 anos. E á fui eu na locadora uTorrent pegar o clássico Tron! Bom, se vc só viu o trailer de seu sucessor, vai estranhar bastante este filme. Mas relax! Estamos falando de um filme de ficção científica de 1982! Acredite ou não, apesar de hj parecer bem trash, na época revolucionou o cinema. Conversando com a Ju e uns amigos um tempo atrás, os anos 80, musicalmente falando, foram marcados pelo fundo verde. E Tron é meio assim, um filme com 90% de fundo verde!


Falando da história, não tem nada de mais. Kevin Flynn (Jeff “Garotão” Bridges) perde seu emprego numa empresa de softwares depois que Ed Dillinger (David “Sark” Warner) rouba suas idéias de jogos e lança como se fossem seus. Desde então, Flynn tenta um modo de invadir o sistema da ENCOM usando seu programa hacker chamado CLU (a idéia q achei mais interessante com relação ao filme, foi o fato do “mundo virtual” ter aquela coisa bem “computador” e mesclar com humanos, que seriam os programas) que é interpretado pelo próprio Bridges. Com a ajuda de sua ex, a Dra. Lora Baines (Cindy Morgan) e seu atual namorado Alan Bradley (Bruce Boxleitner), Flynn consegue invadir a ENCOM. Ao tentar hackear o Computador Central, o próprio computador joga Flynn pra dentro da rede, onde ele encarna a pele (ou seriam bits/bytes?) de CLU, seu próprio software hacker! Lá ele descobre que o Computador Central rouba programas do mundo todo para fazer jogos de vida ou morte, ou delete! Lá ele conhece o programa Tron (do próprio Alan e interpretado por ele) que quer libertar os programas das garras virtuais de Sark (o Ed Dillinger) e do Computador Central. A única coisa q os programas não contavam era q CLU/Flynn na verdade era um usuário digitalizado! Daí pra frente são fortes emoções e mt aventura com essa turminha da pesada!

Os (d)efeitos especiais, como eu disse, são bem toscos. Mas pra época, revoluciou. Acho q li em algum lugar que a idéia do filme surgiu depois que o diretor viu o jogo PONG e queria fazer um filme com essa idéia. E realmente a idéia foi boa. Tron é uma mistura de ação e aventura no melhor estilo video-game, e de fato rendeu uns 2 jogos depois do filme. Apesar de todo mundo no filme ser azul ou laranja, depois de um tempo você se acostuma com os efeitos e até começa a distinguir quem é quem no filme! Não se deixe enganar pelos efeitos toscos. afinal, assistir Matrix hj não tem a mesma graça de quando foi lançado é 1999 né? Se tiver um tempinho e goste de video-games, assista este filme antes de ir aos cinemas ver sua sequência em IMAX 3D! 7 chopps no buteco!

Nome Original: Tron
Direção: Steven Lisberger
Produção: Donald Kushner
Roteiro: Steven Lisberger
Elenco: AJeff Bridges
Bruce Boxleitner
David Warner
Cindy Morgan
Barnard Hughes
Dan Shor
Lançamento: Julho.1982
Duração: 96min

Wendel

Wendel Wonka largou o curso de Letras Port/Inglês na UERJ pra trabalhar como Técnico Telecom na Oi. O hobbie de DJ acabou virando profissão alternativa e às vezes ganha um trocado com isso. No meio disso tudo, faz resenhas críticas (ou não) e revisão de texto no CdB. Ah, também está tentando o vestibular de novo, só que pra ADM. Faz parte do site desde a sua formação Beta e integra a ala carioca do Buteco (e queria colocar uma foto na horizontal).

Comentários