Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Previsões do OSCAR 2013 – Parte I, por Tullio Dias

São nada mais nada menos que 85 edições do Oscar. E mais do que nunca, sabemos exatamente quais são os grandes favoritos para vencerem nas categorias principais e isso tira muito da graça de torcer ou esperar por uma ou outra surpresa – embora elas ainda aconteçam. A premiação de 2013 terá pelo menos um grande diferencial: Ben Affleck, rejeitado pela Academia na categoria de Melhor Diretor, poderá subir ao palco e ganhar o prêmio mais importante da noite. É muito raro isso acontecer, mas tudo indica que Affleck vai sambar na cara da Academia no domingão.

Outro detalhe curioso desta edição do Oscar é saber que dois recordes foram quebrados na categoria de Melhor Atriz: a pequena Quvenzhané Wallis, de apenas 9 anos de idade, é a atriz mais jovem a ser indicada ao prêmio. Ela disputa o prêmio com Jessica Chastain, Jennifer Lawrence, Naomi Watts, e Emmanuelle Riva, de 85 anos, que se tornou a atriz mais velha a receber uma indicação ao Oscar na categoria principal. Ou seja, temos a atriz mais velha concorrendo contra a mais nova. Pena que nenhuma delas deverá ofuscar a noite de Lawrence.

O Oscar terá apresentação do comediante Seth McFarlane, criador do desenho Uma Família da Pesada e diretor de Ted. Apesar de todo o conservadorismo da Academia, existe a esperança do comediante se destacar com boas piadas – quem sabe até coisas politicamente incorretas. Alguém aposta em algum comentário maldoso envolvendo Django Livre?

- Advertisement -

No mais, vamos à minha lista com os votos para os meus favoritos (sei que perderei novamente no bolão do blog, mas tanto faz):

 

Filme: As Aventuras de Pi

Ok, eu sei que estou perdendo pontos de graça aqui. Talvez eu devesse mudar minha escolha. Não sei. Sou incapaz de votar apenas para garantir a vitória (sim, estou olhando para vocês que nem consideram Argo como o verdadeiro merecedor do Oscar de Melhor Filme e só votaram para poder vencer o Bolão. Há). O filme dirigido por Ben Affleck é ótimo, sem dúvidas, mas Argo é desprovido do fator humano que conduz As Aventuras de Pi e o torna especial. Ang Lee se preocupou com detalhes para contar a história de uma pessoa em busca do seu lugar no mundo, e como a fé funciona como o grande remédio para lidar com a cruel realidade.

Diretor: Ang Lee, por As Aventuras de Pi

ANG LEE INDICADO AO OSCAR

SE Ben Affleck tivesse recebido uma indicação, o meu voto iria para ele. SE Quentin Tarantino tivesse recebido uma indicação, meu voto iria para ele. Se o Tom Hooper tivesse recebido uma indicação, eu teria mandado ele pra puta que o pariu. Ang Lee comandou um show de imagens inesquecível em As Aventuras de Pi, e por mais que eu aprecie David O. Russell e seu trabalho incrível com os atores, não tenho outro candidato que não o homem que dirigiu O Tigre e o Dragão e O Segredo de Brokeback Mountain.

Ator: Joaquin Phoenix, por O Mestre

Daniel Day-Lewis, seu lindo, sai quebrando porque Presidente não é Mestre de nada na minha lista de favoritos. Lincoln é tão chato, mas tão chato que até você fica meio over em alguns momentos. Claro que seu trabalho poderá ser reconhecido com o careca dourado, afinal, eu não mando droga nenhuma na Academia, mas Lincoln é a versão 2013 de A Mulher de Ferro, ou sei lá o nome daquele longa horroroso com a Meryl Streep. Já o Joaquin Phoenix, que não come peixe, é incrível do princípio ao fim em um filme de qualidade indiscutível. Ele é um gigante em cena. Repare nas caretas que ele faz quando está mentindo, na maneira como destruiu metade da sua cela, e mesmo a parte em que tenta colocar em prática os ensinamentos de Philip Seymour Hoffman. Genial. Existem outros candidatos nesta categoria?

Atriz: Jennifer Lawrence, por O Lado Bom da Vida

O VERDADEIRO LADO BOM DA VIDA

Eu sou um cara com bom senso. Não estou nem aí se a Naomi Watts viveu o impossível e carregou um filme inteiro nas costas. Ser linda e ruiva não mudará o meu voto, querida Jessica Chastain (mas eu quero descobrir a hora mais escura do seu lado uma noite dessas…). Problema de vocês terem resolvido quebrar recordes na noite da Jen, nanica Hushpuppy e Emmanuelle Riva. Não posso fazer nada por vocês, exceto dar o meu sinto muito. Esse é o verdadeiro lado bom da vida, Brasil!

Ator Coadjuvante: Richard Parker, por As Aventuras de Pi

Sério. Torço pelo dia em que a Academia largará de frescura e criará uma categoria para atores digitais. O Gollum merecia um Oscar por As Duas Torres; o Ted merecia um Oscar Para Maiores; e o tigre Richard Parker merecia uma consideração ainda maior com a indicação na categoria de Melhor Ator Coadjuvante. No entanto, o mundo não é justo nem no cinema. Torço para o Alan Arkin soltar um “Argo fuck yourself” em rede nacional para a nossa alegria. Ele rouba a cena como o alívio cômico do tenso Argo, de Ben Affleck.

Atriz Coadjuvante: Jacki Weaver, por O Lado Bom da Vida

Se eu quisesse ganhar essa joça, votaria na Mulher-Gato imitando a Camila daquela novela das oito antiga. Só que eu não acredito em certezas no mundo. Do contrário, não continuaria torcendo para o Atlético – MG ou pararia de beber absinto para procurar as fadas verdes (ou azuis, tanto faz. A cor está nos olhos do bêbado). Portanto, Anne Hathaway, minha linda, você só receberia meu voto se estivesse com aquela sua roupa de couro de O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Jacki Weaver ganhará o Oscar para provar a força de David O. Russell como um excelente diretor de atores, além do fato de Weaver ser uma atriz incrível.

Só para não dizer que eu não dei moral nenhuma para a Anne Hathaway…  

Roteiro Original: Quentin Tarantino, por Django Livre

Enquanto escrevo, reflito sobre os motivos que me fizeram votar no Tarantino. Tá, eu sou fã boy dele, mas vamos lá. Django Livre é do caralho, e só. Acredito que, por mais arrastado que seja, A Hora Mais Escura oferece um trabalho mais interessante, especialmente no que diz respeito ao desenvolvimento de seus personagens. Mark Boal não é nenhum roteirista exemplar, o Tarantino dá um pau nele, mas estou sentindo que deveria trocar o meu voto. Django Livre não precisa de “prêmio de consolação”.

Roteiro Adaptado:  Chris Terrio, por Argo

Tá, eu também não quero perder de lavada, né? Chris Terrio adaptou um artigo publicado em uma revista e transformou na matéria prima para que Ben Affleck pudesse mergulhar e nadar de costas, borboleta e cachorrinho. Se Argo tem mais de 90% de chances de abocanhar todos os prêmios da noite, pelo menos aqui eu garanto os meus pontos. Embora tenha certeza que David O. Russell tenha boas chances de se dar bem na categoria.

Acompanhe os palpites da equipe do Cinema de Buteco aqui.

 

[cinco]

Comentários