Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Especial: As bandas do Lollapalooza no Cinema

lollapalooza-2013
O Brasil receberá a segunda edição do Festival Lollapalooza durante o próximo final de semana, em São Paulo. Serão três dias de shows, com apresentações de Franz Ferdinand, Criolo, The Killers, Black Keys, Queens of the Stone Age, Pearl Jam, dentre inúmeras outras atrações. Aproveitando a desculpa oportuna para falar de música nas páginas do Cinema de Buteco, conheça um pouco mais de cada banda e como é que elas se relacionam com o cinema.

Confira:

Confesso não conhecer quase nada do Passion Pit, mas nem por isso deixarei de acompanhar a apresentação. Acredito que não existe maneira melhor de se conhecer/amar uma banda do que assistindo ao show. De qualquer maneira, vale a pena indicar o vídeo de “Carried Away”, que conta com o trabalho do diretor de fotografia de Indomável Sonhadora. Existe até uma historinha romântica digna dos filmes de Michel Gondry no clipe. Muito divertido.

- Advertisement -

Dizem que o show do Flaming Lips é de tirar o fôlego. Pretendo descobrir a veracidade das informações na sexta-feira, pouco antes de fazer um esforço tremendo para assistir ao The Killers. O Flaming Lips colocou a faixa “Revenge” em Amor a Toda Prova, estrelado por Ryan Gosling, Emma Stone e Steve Carell, mas legal mesmo é cantar “Yeah Yeah Yeah Song”:

Quando falo em “aguentar” o The Killers não é mais um exemplo da minha ironia estranha. De fato, o The Killers se tornou uma banda chata e perdida nas ambições do vocalista em ser o novo Bono Vox. A banda que eu amava, a que tinha “When You Were Young” e “Read My Mind” não existe mais e foi substituída por uns bregas de Las Vegas. No entanto, as luzes da esperança estão acesas e parece que o último disco, Battle Born” não dominará a apresentação. Assim espero.

O Killers conseguiu a proeza de contar com o trabalho de Tim Burton em dois vídeos (detalhe é que o cineasta nunca havia trabalho com o mundo dos videoclipes) muito elogiados: na animação “Bones” e reencontrando a atriz Winona Ryder em “Here With Me”. David Slade (30 Dias de Noite) comandou o vídeo de “Goodnight, Travel Well”, e Anton Corbijn foi o diretor da versão norte-americana de “All These Things That i`ve Done”. Corbijn também dirigiu Control, cinebiografia do cantor Ian Curtis. O Killers gravou uma versão de “Shadowplay” especialmente para o filme.

Bones

Here With Me

Shadowplay

Eu pensei em pular o Cake, mas é uma das apresentações que estou mais ansioso para assistir na sexta-feira. A comédia Eu Queria Ter a Sua Vida é uma das várias obras que incluíram “Short Skirt/Long Jacket” em suas trilhas. A versão épica de “I Will Survive” está no drama BDSM Secretária, com Maggie Gyllenhaal. Só que você irá ouvir “Never There”. Gente, vai ter bolo no Lollapalooza!!!

O Franz Ferdinand nunca foi uma banda muito presente no cinema, mas emprestou duas faixas para o polêmico 9 Canções. Durante o filme, que narra o tórrido romance (com cenas de sexo explícito) entre um casal que passa a vida curtindo shows, dá para ouvir “Michael” e “Jacqueline”, ambas do disco homônimo de estreia. A banda liderada por Alex Kapranos já é arroz de festa nos palcos brasileiros e promete apresentar canções inéditas durante a aguardada apresentação.

Michael

Ulysses

A Perfect Circle é um dos headliners da segunda noite do Lollapalooza. A banda não é tão popular quanto as outras atrações, como Franz Ferdinand ou Black Keys, mas possui um belo currículo se tratando de cinema. O vídeo de “Judith” é dirigido por ninguém menos que David Fincher (Clube da Luta e A Rede Social). A faixa “Passive”, uma composição que conta com os dedos de Trent Reznor (Nine Inch Nails), é o tema principal de Constantine, aquele filminho mais ou menos com o Keanu Reeves e a Rachel Weisz. Também é possível ouvir A Perfect Circle nas trilhas de Resident Evil 4 – Recomeço, Anjos da Noite, O Invisível, e O Sequestro do Metro 123.

Judith

Passive

3 Libras (porque essa música é incrível)

Com cd novo com previsão de lançamento para o segundo semestre, o Queens of the Stone Age fará sua terceira apresentação no Brasil. A banda de Josh Homme é considerada como uma das melhores em atividade atualmente, além de Homme ser um produtor requisitado e que trabalhou recentemente com o Arctic Monkeys. Diversos filmes utilizaram faixas do QOTSA na trilha sonora. Um dos primeiros exemplos foi a continuação de A Bruxa de Blair, que colocou “Feel a Good Hit For The Summer” no meio da história. Até Vin Diesel teve que ouvir “Millionaire” em Triplo X.

O clipe de “3`s & 7`s” é quase que a versão musical do projeto Grindhouse, de Quentin Tarantino e Robert Rodriguez.


Make it Wit Chu

The Lost Art of Keeping a Secret

Assim como o A Perfect Circle, o Black Keys nunca fez nenhum show no Brasil. A primeira visita da banda acontece logo no auge do duo de rock liderado por Dan Auerbach e Patrick Carney. Com músicas simples e animadas, o Black Keys é facilmente um dos shows mais aguardados do Lollapalooza. O duo, que chegou a ser comparado com o White Stripes quando surgiu nos anos 2000, já foi ouvido em vários filmes: “Set You Free” toca em Escola de Rock e Eu Te Amo, Cara; “Chop and Change” está em Saga Crepúsculo: Lua Nova; e assim por diante. Recentemente, a banda gravou o clipe de “The Baddest Man Alive” para The Man With the Iron Fists, de RZA.

O vídeo de “Tighten Up” consegue ser mais divertido e engraçado que a maioria das comédias produzidas em Hollywood atualmente. Vale a pena perder alguns minutinhos para assistir e decorar pelo menos uma parte da letra. Basta assobiar, fácil, exceto se você não souber como tirar aquele som maldito dos seus lábios. Meu caso, confesso.

Agora, imperdível mesmo é o hilário clipe de “Lonely Boy”, que foi gravado em apenas um take. Dirigido por Jesse Dylan (filho do Bob Dylan, e diretor de American Pie: O Casamento), a intenção era imitar os passos de John Travolta em Pulp Fiction e Os Embalos de Sábado a Noite. Aposto que você também se sentirá tentado a imitar os passinhos musicais de um dos vídeos mais divertidos dos últimos anos:

The Baddest Man Alive

Tighten Up

Atração do domingo, o The Hives é uma banda sueca que faz rock sem enrolação. Você provavelmente reconhecerá a banda pelo sucesso “Hate to Say i Told You So”, que até hoje é o cartão de visita dos caras. A música “Tick Tick Boom” foi utilizada em diversas obras, como Jumper, Sexta-feira 13 e Busca Implacável.

Hate to Say i Told You So

Se você gosta de apresentações empolgadas, sugiro não perder o Kaiser Chiefs no domingo. Será a segunda vez que a banda do aloprado Ricky Wilson toca no Brasil, e só mesmo durante o show para descobrir se eles ainda tem uma performance tão elétrica quanto aquela apresentada em 2008, no Festival Terra. O vídeo de “Never Miss a Beat” é um belo exemplo do quanto adolescentes podem ser perigosos. E “Everyday I Love You Less and Less” é a música que deverá fazer o público se animar mais durante o show. Aliás, tem como resistir e controlar o movimento do ombro ouvindo essa canção? Só não cante perto da(o) namorada(o) para não deixar ninguém chateado no dia da Páscoa.

O Pearl Jam representa a experiência no Lollapalooza. Talvez seja por isso que o domingo seja o dia mais procurado pelo público. Será a terceira visita da banda de Seattle ao Brasil e a expectativa é de um show longo e imprevisível. O PJ merece o respeito por ser uma das poucas bandas que realmente varia os repertórios, deixando até mesmo os próprios fãs escolherem as músicas do show. Em relação ao cinema, o PJ foi convidado por Tim Burton para escrever “Man of the Hour” especialmente para a trilha sonora de Peixe Grande, mas o grande lance da banda de Eddie Vedder com a sétima arte está no trabalho do cineasta Cameron Crowe.

Fã de música, Crowe dirigiu os vídeos de “Not for You” e “The Fixer”, além de ter trabalhado com a banda no longa-metragem Singles (sobre a cena musical de Seattle) e dirigido o elogiado documentário Pearl Jam Twenty. Para quem quiser saber mais, clique aqui para ler a crítica do doc e aqui para ler sobre Cameron Crowe e Pearl Jam.

Not For You

The Fixer

Man of the Hour

Para representar o Brasil, e manter essa relação com o cinema, encerrarei o texto com “Queimando Tudo”, do Planet Hemp. A música está na trilha sonora do longa-metragem O Diabo a Quatro, de 2004, estrelado por Maria Flor. A banda de Marcelo D2 e BNegão ficou anos parada, e voltou especialmente para uma série de shows. Infelizmente não há nada certo quanto a um disco de músicas inéditas.

[cinco]

1 comentário
  1. Juliana Cuenca Diz

    Nenhum filme com Alabama Shakes? #xatiada

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.