Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Filmes Que Fizeram a Nossa Infância

Conheça um pouco da infância de alguns dos autores do Cinema de Buteco


A Cidadela dos Robinson

ddc- A cidadela dos RobinsonA Cidadela dos Robinson me foi mostrada pelo meu pai, ali nos meus 8, 9 anos. Esse filme marcou a vida do velho, que quis causar em mim o mesmo impacto que o foi causado na infância pela obra. É Disney, né? Disney sessentista, com aquela essência familiar, aquela coisa de final feliz e perfeito. E que mesmo assim dá muito certo porque é um filme leve, divertido, emocionante, que tem os elementos clichês do gênero aventura que a gente adora: naufrágio, ilha deserta, juventude bagunceira, natureza (e por consequência uma fotografia fantástica)… Já foi refilmado várias vezes, em versões blasfemes e bobas. Boa mesmo é a de 1960! Fiquei apaixonada e já o assisti inúmeras vezes. Desperta em mim as lembranças infantis mais remotas, e uma vontade louca de construir uma casa na árvore tamanho XXG.

Fernanda Minucci


Big – Quero ser Grande

big“Eu Conheci uma Gatinha…Ela Disse o que Queria…Ice Cream Soda com muita cobertura…oooh, que legal…sou bom, bonito e muito mais que isso…agora vou provar…”. (musiquinha cantada pelos dois amigos Josh e Billy). Big é uma parte gostosa da minha vida, sabe? Aquele filme fofo cheio de coisas surreais, com um menino que não podia entrar na roda gigante por conta de sua altura e que fez um pedido a uma máquina de desejos: “QUERO SER GRANDE!”. Revi inúmeras vezes este filme tão querido e fiz questão de apresentá-lo a minha filhinha, que hoje em dia curte tanto quanto eu. Ele é simples, divertido e ensina que é importante valorizar todas as fases da vida, principalmente a nossa infância. Uma menção honrosa a cena tão querida do piano na loja de brinquedos. Big tem um lugarzinho exclusivo no meu coração.

Thais Vieira


- Advertisement -

E.T. – O Extraterrestre

ETPerdi as contas de quantas vezes assisti a este filme entre os meus 3 e 5 anos. Sempre que ia com meus pais visitar meus padrinhos, a primeira coisa que pedia era “põe o E.T. pra mim”. Sempre ficava triste quando ele ia embora no final, e até mesmo sentia frio ao ver o Elliot acordando na manhã do dia seguinte, após a tentativa frustrada de contactar os “irmãos” Aliens.
A minha cena favorita do filme, sempre foi a corrida de bicicletas… Me lembro bem como ficava com vontade de pelo menos saber pedalar… Enfim, este com certeza será um filme “obrigatório” para meus filhos.

Joubert Maia


Flash Gordon

flashgordonEm um certo período entre a minha primeira e terceira série, eu via Flash Gordon quase que diariamente. Eu chegava da escola, almoçava e ia lá ver televisão, assistia alguns desenhos e depois colocava o DVD do filme e me deliciava com essa obra extremamente divertida que é Flash Gordon. O filme é sobre o astro de futebol americano Flash Gordon (Sam J. Jones) que é levado pela terra por uns aliens e acaba que salva a terra do malvado Ming (Max Von Sydow). Além de ser bastante divertido, o filme conta com uma música composta pela banda Queen.

João Golin


Labirinto

labirintoQuando eu era criança, assistia aos filmes que meu pai via. E ele adorava filmes lúdicos e o Labirinto era seu favorito. Como eu amava aquele mundo e aquela estética. E olha que na época nem sabia quem era David Bowie! Eu via quase sempre e ainda lembro da cena da Jennifer Connelly vestida de bolo, num baile com o David Bowie e quebrando o espelho com “As the world falls down” no fundo… Ah, como me apaixono! s2

Bia Quadros


Twister

twisterEm 1996, com apenas 11 anos de idade, me lembro de sair da escola um dia e ir direto para o shopping com a minha avó. Assistimos Twister e depois daquilo virou uma tradição ir ao cinema pelo menos uma vez por semana – mas só depois das aulas.

Um dia tomarei coragem para uma revisão. Acho que Twister merece uma crítica especial na página do Cinema do Buteco. Não é sempre que assistimos a vacas voando loucamente.

Tullio Dias


Comentários