Filmes Inspirados nos Livros de Stephen King

Reunimos uma série de filmes inspirados nos livros de Stephen King

Filmes inspirados nos livros de Stephen King

APROVEITANDO QUE O REMAKE DE CARRIE, A ESTRANHA já está em cartaz nos cinemas brasileiros, nada melhor que relembrar algumas das várias adaptações da obra de Stephen King para as telas. Felizmente, boa parte dos trabalhos de adaptação foram positivos e foram poucos os fiascos completos – que não serão comentados nessa nossa lista especial. Confira abaixo as recomendações para aqueles que ainda não se aprofundaram no universo de King e viram poucos filmes inspirados em seus livros.

Carrie, a Estranha

Carrie a estranhaCom direção de um certo cineasta chamado Brian De Palma, que na época ainda começava a consolidar o seu sucesso pós-Irmãs Diabólicas, a adaptação original do romance de Stephen King é uma verdadeira história de bullying e vingança. Carrie é uma mocinha bobona, completamente alienada no que diz respeito à vida de uma adolescente comum, que sofre pela criação abusiva da mãe e a tiração de sarro das coleguinhas de escola. Como se fosse um conto de fadas, ela é convidada por uma versão magrela (e mais feia) do Thor para ir ao baile de formatura, mas a história se transforma num verdadeiro filme de horror.
Tullio Dias

O Iluminado

o iluminadoStephen King declarou diversas vezes o quanto torceu o nariz para o trabalho de Stanley Kubrick em O Iluminado. A verdade é que além de Kubrick ter compreendido a obra de uma maneira que desagradou o autor, ele era outro sujeito com o ego lá nas alturas e não iria mudar de opinião apenas para agradar King. O resultado é uma obra-prima, que para alguns superou até mesmo o texto original, com uma atuação arrebatadora de Jack Nicholson e a sensação de que não é seguro visitar um hotel deserto durante uma nevasca.
Tullio Dias

Louca Obsessão

Louca Obsessão é um suspense como poucos, que segura o espectador até o final, tem ótimas atuações, e embora tenha alguns momentos um pouco previsíveis (nem por isso menos interessantes), é um filme pra entrar na lista de melhores adaptações de obras do escritor Stephen King (juntando-se a Carry a Estranha e O Iluminado, na minha opinião).

É a história de Paul Sheldon (James Caan), famoso escritor que fez sua série de livros sobre a personagem Misery alcançar o status de best seller. Ao sofrer um acidente, é resgatado por Anne (Kathy Bates, perfeita), uma enfermeira que se diz “sua fã número um”, mas que descobre ao ler a última obra publicada de Paul, que sua personagem preferida, a tal da Misery, morre. Começa então um jogo de submissão e tortura para que o escritor reescreva o retorno da personagem, enquanto fica, imóvel, sob o poder de uma admiradora louca.
João Andrade

Cujo

A maioria das pessoas tem uma imagem positiva do cachorro da raça São Bernardo, mais conhecido como Beethoven. Mas para alguns cinéfilos fãs de filmes de horror, esse simpático cãozinho é o capeta encarnado. Em Cujo, uma família é quase que mastigada pela raiva do bichinho do tinhoso.

“O filme conta a história de uma família que decide levar o carro para o conserto num mecânico que fica bem distante da cidade. O marido é um publicitário que tem que lidar com uma crise no seu serviço e a esposa adultera, está tendo um caso com o marceneiro. A criança é um clone loiro do filho de Jack Nicholson em O Iluminado e em sua primeira cena, já mostra que tem verdadeiro pavor do escuro. O pequeno Tad corre pelos corredores de sua casa, enquanto teme pelo “monstro” escondido dentro de seu armário. Tudo isso acontece com uma péssima trilha sonora, que infelizmente acompanha o filme inteiro. O problema é que o cachorro do mecânico está com raiva e se torna no verdadeiro monstro dos pesadelos de Tad, matando e mordendo tudo que aparece pelo seu caminho.”
Tullio Dias

Um Sonho de Liberdade

Sonho de liberdadeStephen King é conhecido como o mestre do terror. E ele de fato o é. O cara escreveu livros que viraram alguns dos melhores filmes do gênero da história. Mas ele não para aí. Um Sonho de Liberdade é um drama sobre um cara que pega prisão perpétua injustamente. É uma grande obra sobre esperança, um longa extremamente emocionante e surpreendente. Não é a toa que está em primeiro lugar no top 250 do Imdb (não que eu concorde com isso ou goste do ranking).
Joao Golin

O Nevoeiro

Há muito tempo não se via um filme de terror (atual) tão bom quanto O Nevoeiro. Nada de fantasmas de garotinhas, ou serial killers. Aqui o diretor Frank Darabont fala de monstros, que assustam mesmo sem ser toscos. Mas cuja crueldade (se é que seres irracionais tem essa qualidade) não se compara a do homem.

O roteiro foi adaptado do conto de Stephen King pelo próprio diretor (que também dirigiu as adaptações do escritor em Um Sonho de Liberdade e À Espera de um Milagre), e conta a história da população de uma cidade que nunca sabemos exatamente onde fica, mas que percebe numa certa manhã, estar envolta num misterioso nevoeiro. Aos poucos o perigo se revela e cada um se cuida como pode. Acompanhamos então um grupo de pessoas que fica presa num supermercado. A dúvida dá lugar ao pânico quando (numa cena assustadora) descobre-se que a névoa esconde seres desconhecidos, mas famintos e perigosos. Só resta se abrigar no local até que uma solução apareça. Se é que isso é possível.
João Andrade

Conta Comigo

conta_comigo_1986_posterGordie Lachance (Wil Wheaton) é um escritor que resolve revisitar o ano de 1959, quando as férias de verão fizeram sua vida mudar. Junto com os amigos Chris Chambers (River Phoenix), Teddy Ducchamp (Corey Feldman) e Vern Tessio (Jerry O’Connell), ele vive uma jornada em direção à vida adulta, enfrentando uma cidade conservadora e sem graça. Seus pais fingem que ele não existe, devido ao luto pela morte do filho mais velho. Seus três amigos são considerados fracassados – um foi acusado de roubo na escola; outro tem o pai extremamente violento e o terceiro é um gordinho bobo, sempre zoado pelos companheiros. O quarteto é constantemente incomodado pelo grupo liderado por Ace Merrill (Kiefer Sutherland), formado por jovens rebeldes, cujo passatempo é jogar beisebol com as caixas de correio da cidade. Em meio ao tédio do verão, Vern traz a notícia: um garoto que estava desaparecido foi morto, atropelado pelo trem. A polícia ainda não encontrou o corpo, mas o irmão de Vern, da turma de Ace, sabe onde o cadáver está. O quarteto, então, decide partir ao encontro da notoriedade: serem os primeiros a encontrar o corpo, dar entrevistas, aparecer nos jornais.

Conta Comigo é recheado de ritos de passagem e fala de amizade, lealdade, companheirismo, desafio, amadurecimento.
Aline Monteiro

À Espera de um Milagre

À Espera de um MilagreÀ Espera de Um Milagre é uma das obras do Stephen King que não é de terror, embora tenha elementos fantásticos nela. O filme conta a história de um homem (Michael Clarke Duncan) preso nos anos 30 no EUA por ter supostamente estuprado e assassinado duas garotinhas. Com o tempo, o guarda da prisão (Tom Hanks) percebe que o prisioneiro tem alguns poderes, sendo capaz de realizar alguns milagres. E ele se encontra nessa encruzilhada, por um lado ele tem que realizar o trabalho dele e por outro ele acha errado matar um indivíduo com um dom tão magnífico. O longa é mais uma prova de que o King não só sabe fazer terror, como sabe fazer drama, e o faz muito bem.
João Golin

Christine – O Carro Assassino

Christine é a adaptação ao cinema do livro de mesmo nome de Stephen King. O filme passava no Cinema em Casa com tanta frequência quanto A Lagoa Azul. A diferença é que a história era macabra e deixava a criançada com pesadelos (pelo menos era esse o caso da autora deste post). Decepcionante rever o filme depois de velha e descobrir que ele é simplesmente bobo. Não dá pra ser injusto com Christine, ele é legal e marcou a infância de muita gente ai que cresceu com a televisão na década de 90. Vale lembrar que sua trilha sonora também é excelente. O filme é daqueles que dá vontade de rever sempre que possível, uma opinião válida para diversos filmes de John Carpenter. Christine erra por ser fraco e previsível, mas não dá pra explicar muito este detalhe, assista o filme e entenderá.
Uma pérola do cinema juvenil dos anos 1980 que precisa sempre andar ao lados dos demais filmes de Carpenter, Joel Schumacher, Steven Spielberg e John Hughes.
Thais Vieira

[cinco]

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.