Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Os Melhores Filmes de 2016

#5

Os Oito Odiados (The Hateful Eight, Quentin Tarantino, 2015) Em Os Oito Odiados, Tarantino volta a flertar com o velho oeste e também com o seu primeiro trabalho, Cães de Aluguel, lançado no começo dos anos 1990. A produção narra as desventuras de um grupo de oito homens obrigado a fazer uma parada numa cabana no meio de uma nevasca. Nenhum deles é flor que se cheire, especialmente John Ruth (Kurt Russell) e Major Marquis Warren (Samuel L. Jackson), dois caçadores de recompensas que se unem para não correrem riscos com os outros seis indivíduos.

Recomendado para quem gosta de: Quentin Tarantino, diálogos espertos, tensão, traições, mentiras, surpresas, sangue e uma das melhores vilãs de 2016

- Advertisement -


#4

poster a bruxa melhores filmes do primeiro semestre de 2016A Bruxa (The Witch, Robert Eggers, 2015) Raramente tenho o hábito de assistir a um filme duas vezes no mesmo ano, mas A Bruxa é tão bom que me senti obrigado a conferir uma segunda vez para garantir que não estou louco de considerar a obra como uma das melhores do ano – não apenas no gênero terror.

O filme conta a história de uma família na idade média que se muda para uma casa no meio da floresta e começam a sofrer com uma série de eventos trágicos.

No entanto, é preciso fazer uma pequena ressalva e dizer que não se trata de um longa-metragem fácil ou agradável para qualquer fã do gênero. Não esperem ver cenas de violência gráfica, nudez, sustos forçados ou outras características tão comuns entre produções de terror. A Bruxa é lento. Se trata de uma narrativa que vai evoluindo gradualmente até deixar seus espectadores com o cu na mão durante os minutos finais.

Mais do que cenas de susto descartáveis, A Bruxa nos faz sentir muito medo. E não sei você, mas o que mais me atrai em filmes de terror é justamente sentir a necessidade de dormir de luz acesa durante alguns dias. Aquela porra de Black Phillip me dá calafrios até hoje! Céus!

Recomendado para quem gosta de: se arrepiar, ocultismo, cinema, trilha sonora arrepiante, bode do capiroto


#3

Rua Cloverfield, 10 (10, Cloverfield Lane, Dan Trachtenberg, 2016) Uma das grandes surpresas da temporada foi essa continuação de Cloverfield. Primeiro foi a forma como o longa foi anunciado. Ninguém tinha a menor ideia de que os estúdios estavam produzindo um novo Cloverfield até a divulgação do primeiro teaser. Depois a surpresa foi em constatar que o produto oferecido era ainda melhor que o original.

Estrelado por Mary Elizabeth Winstead e John Goodman, Rua Cloverfield, 10 é um thriller claustrofóbico que arrasta o público para dentro da história até nos deixar sem ar.

Recomendado para quem gosta de: vilões, fim do mundo, nem tudo é o que parece, monstros, cativeiro, Alien, o Oitavo Passageiro


#2

Aquarius (Kleber Mendonça Filho, 2016) O pernambucano Kleber Mendonça Filho causou em Cannes e chegou ao Brasil envolvido em uma polêmica por conta do protesto a respeito do processo de impeachment, que comoveu de Reinaldo Azevedo a Alexandre Frota. Tretas políticas a parte, o longa é centrado num problema que vem atingindo Recife nos últimos anos: especulação imobiliária.

Moradora do último apartamento de um prédio que já teve todas as outras residências vendidas, Clara (Sônia Braga) resiste à pressão de uma construtora e se mantém firme em seu lar. Essa trama central, porém, não é único enfoque do roteiro que aborda temas como empoderamento feminino, sexualidade na terceira idade e a relação das pessoas com suas memórias afetivas. O filme talvez se alongue em algumas questões menores e acelere em alguns momentos, atrapalhando assim a trama principal, mas a presença de Sônia Braga na tela compensa esses pequenos defeitos.

Aquarius é um filme que define o atual momento do Recife, mas ainda assim poderia ser feito em qualquer cidade do Brasil. (Geraldo de Fraga, do blog Toca o Terror)

Recomendado para quem gosta de: cinema nacional, empoderamento, política, nordeste, conflito entre o novo x velho, filme bom


#1

A Chegada (Arrival, Denis Villeneuve, 2016) Numa disputa acirrada com Aquarius, o trabalho mais recente de Denis Villeneuve se garantiu como o primeiro colocado no ranking do Cinema de Buteco de melhores filmes de 2016.

A Chegada usa uma visita extra-terrestre como disfarce para contar uma bela história sobre o poder de nossas escolhas. Estrelado por Amy Adams e Jeremy Renner, o filme também conta com um trabalho excepcional na trilha sonora.

Villeneuve definitivamente colocou o seu nome como um dos principais cineastas em atividade em Hollywood atualmente. Imperdível. Que filme lindo!

Recomendado para quem gosta de drama, invasão extraterrestre, comunicação com ET, Contato, Interestelar, filmes motivacionais, Steven Spielberg em sua época dourada de Contatos Imediatos de Terceiro Grau