Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Melhores lançamentos de Setembro

Suspenses recheados de reflexões são destaque no mês: confira nossa lista dos melhores lançamentos de setembro nos cinemas!

 

5- O Fantasma da Sicília

o fantasma da sicilia

- Advertisement -

Filme de abertura na Semana da Crítica de Cannes em 2017, produção italiana foi exibida na Festa do Cinema Italiano em Belo Horizonte antes de chegar aos cinemas da capital. É um longa independente que não deve ter grande abrangência no mundo, mas recomendamos a sessão para aqueles que o virem sendo exibido em salas locais.

“Apesar de todo mundo saber que há inúmeras maneiras de falar sobre o mesmo fato, ainda é adorável quando nos deparamos com uma obra que aborda um assunto pesado e o narra de maneira sensível. O Fantasma da Sicília, da dupla Fabio Grassadonia e Antonio Piazza, tem essa característica. Ao final do filme, há a revelação, feita de uma maneira breve, do que aconteceu ao jovem que inspirou o filme. É quando temos a certeza de que somente alguém com muito tato ao falar com o público poderia conceber o filme” (Graciela Paciência, Cinema de Buteco)

“Baseado no triste destino de um jovem italiano nos anos 90, o filme faz uma leitura extremamente sensível e impactante do fato. Não é fácil acompanhar tudo, pois, por mais que seja um longa conduzido com delicadeza, é uma história triste e que faz parte de muitas realidades por aí. Mas vale o tempo pelo elenco, fotografia e reflexão que nos faz ter sobre a vida (Dani Pacheco, Cinema de Buteco)

4- Feito na América

feito na américaTom Cruise é Tom Cruise. Já fez todos tipos de filme na sua carreira, interpretando os mais diversos personagens. Se nos últimos anos o vimos em blockbusters como Nação Secreta, No Limite do Amanhã e A Múmia, agora, o ator protagoniza uma comédia sobre o piloto Barry Seal. Como de se esperar, encanta com sua presença na tela e adiciona mais um sucesso no currículo.

“Feito na América escancara alguns problemas inerentes aos Estados Unidos, país notório por meter o dedo nos conflitos dos outros. E, invariavelmente, essa intrusão causa mais problemas do que ajuda, além de gerar aberrações como Barry Seal. Esta é uma ótima chance para levantar questões, mas é também um grande veículo para Cruise gastar seu enorme carisma e mostrar que ainda é um astro do primeiro escalão. E não deixa de ser um aquecimento, já que ele voltará em breve a pilotar aviões na continuação de Top Gun (1986)” (Marcelo Seabra, O Pipoqueiro)

“Feito na América” é um filme de ação, suspense e que entrega boa comicidade para contar a trajetória do sujeito que enganou o Cartel de Medelin, a CIA, a Casa Branca e governos de diversos países por anos seguidos. E, de quebra, dá uma aula de política internacional, mostrando, mesmo que de forma superficial, como eram tratados o apoio militar dos EUA a movimentos rebeldes na América Central e do Sul, o combate às drogas e a “troca de favores” com os governantes aliados (até onde interessava)” (Maristela Bretas, Cinema no Escurinho)

3- mãe!

Darren Aronofsky retorna após Noé, dividindo a crítica com força. Com um elenco de peso que inclui Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Michelle Pfeiffer e Ed Harris, o diretor provoca e choca o espectador mais uma vez na carreira. Nós aprovamos a ousadia e é por isso que mãe! ganhou medalha de bronze na lista de setembro.

“Mãe! é um filme do tipo “ame-o ou deixe-o” porque confunde, agride, bate na cara e faz pensar sobre o caminho que o ser humano está tomando, com a perda de moral, respeito, dignidade e humanidade. Como muitos de meus amigos, ainda estou digerindo o filme e a cada conversa com outras pessoas que já assistiram, vejo uma nova abordagem. E concordo com a maioria: trata-se de um dos melhores suspenses deste ano e um dos melhores filmes dirigidos por Darren Aronofsky, apesar de tudo” (Maristela Bretas, Cinema no Escurinho)

“Recomendo mãe! para qualquer pessoa interessada em assistir a um filme capaz de entrar na sua cabeça e te fazer cagar tijolos. Esse é um daqueles casos em que ficamos horas e dias pensando no que assistimos, enquanto a obra vai crescendo mais e mais, criando uma vontade incontrolável de ir ao cinema novamente. Infelizmente, verdade seja dita, não é um trabalho fácil para qualquer pessoa, especialmente quem vai ao cinema dar uns beijos ou mexer no celular” (Tullio Dias, Cinema de Buteco)

2- As Duas Irenes

as duas irenesDestaque nos festivais de Berlim e Gramado em 2017, o drama é o primeiro longa de Fábio Meira. Sua recepção mostra que o brasileiro tem um futuro promissor no cinema, ganhando uma merecida medalha de prata nos lançamentos do mês.

“Os elementos que compõem As Duas Irenes como infidelidade, adolescência, descobertas e família, transformam o filme em uma obra para o público jovem, sem deixar de lado os mais experientes. A trilha sonora, com músicas que deixam o clima dos anos 1960 no ar, transmite o estado de espírito dos personagens” (Graciela Paciência, Cinema de Buteco)

 

 

 

1- It: A Coisa

Acho que não é surpresa nenhuma o grande destaque de setembro. A primeira adaptação cinematográfica da clássica obra de Stephen King (a versão de 1990 foi uma série para TV) conquistou a crítica, fãs e já ultrapassou a marca de $ 600 milhões nas bilheterias. Andy Muschietti comanda um filme que equilibra muito bem o humor e o terror, fazendo uma poderosa reflexão sobre os nossos medos e como eles alimentam o mal.

“Como de costume na obra do mestre do terror, não faltam sustos e situações de tensão, muito bem entrecortados por momentos de humor. Mas isso não é o principal: há vários temas sendo desenvolvidos e o roteiro o faz lindamente. O amadurecimento, as dúvidas da juventude, o primeiro amor, a importância da amizade e a superação de traumas e dificuldades são alguns deles” (Marcelo Seabra, O Pipoqueiro)

“Apesar de ser um terrorzão dos brabo ,”IT – A Coisa” tem seu lado cômico, com piadas e tiradas sem noção que provocam gargalhadas no público” (Maristela Bretas, Cinema no Escurinho)

“Ao lado de Under the Shadows e A Autópsia, It: A Coisa se destaca como um dos principais exemplares do gênero no ano – e fatalmente estará no topo do ranking de melhores filmes de terror de 2017. Fãs de Stephen King finalmente terão um motivo para querer abandonar suas leituras e conferir nas telonas essa adaptação sensacional e imperdível para quem aprecia bons filmes” (Tullio Dias, Cinema de Buteco)

“It: A Coisa nos convida a enfrentar nossos medos, a dar valor às amizades e a busca pela coragem de quebrar laços para que enfrentemos os grandes desafios da vida. É uma história de passagem para a vida adulta; uma que terá seus próprios desafios” (Tiago Paes Lira, Um Tigre no Cinema)

 

 

Comentários