Os 10 Melhores Filmes de 1976

O Cinema de Buteco escolheu os 10 melhores filmes de 1976. Confira o resultado logo abaixo, após a introdução do nosso redator Leonardo Lopes:

Rocky
Há uma longínqua edição do Oscar que provoca discordâncias e polêmicas no universo cinéfilo até a atualidade; a razão é clara: naquele ano, Rocky fora premiado com a principal estatueta da noite, enquanto outras grandes obras como Taxi Driver, Rede de Intrigas e Todos os Homens do Presidente também foram indicadas – a lista é uma das mais fortes de todos os tempos – e, consequentemente, batidas pela magnum opus de Sylvester Stallone. Independentemente de qual entre estes seja o seu favorito, é inegável que todos são filmes memoráveis.

A supracitada edição ocorreu no ano de 1977, ou seja, refere-se às produções lançadas em 1976. Será necessário expor mais algum motivo para que este seja considerado um ano tão importante para a sétima Arte?

Trama Macabra - Alfred Hitchcock - Melhores Filmes 1976

10- Trama Macabra (Family Plot, Alfred Hitchcock)

Do que se trata:
O título traduzido engana, pois a obra – nada macabra – é uma comédia de humor negro que flerta, a todo instante, com o pastelão. O filme é o último trabalho de Alfred Hitchcock e narra a história de Blanche Tyler (Barbara Harris) e George Lumley (Bruce Dern), um casal de golpistas, que precisam encontrar um homem desaparecido, para ganharem dinheiro de uma milionária idosa. Nesta empreitada, acabam envolvidos com um outro casal de criminosos, Fran (Karen Black) e Arthur Adamson (William Devane).

Por que é especial:
As atuações espirituosas do elenco proporcionam momentos divertidos ao espectador e, juntamente à trilha de John Williams e uma bizarra sequência automobilística, são os principais pontos positivos da trama. Apesar de conter elementos característicos da carreira do diretor e manter um competente clima de suspense do início ao fim, Trama Macabra é leve e despretensioso, diferentemente de seu antecessor Frenesi. Um encerramento sutil para uma carreira estrondosa. (Carvalho de Mendonça)

Assalto a 13 DP - John Carpenter - Melhores Filmes 1976

9- Assalto à 13ª DP (Assault on Precinct 13, John Carpenter)

Do que se trata:
O filme narra a história de um policial que é convocado para cuidar de uma Delegacia de Polícia que está prestes a ser desativada. O que ele não esperava é que um ônibus trazendo três criminosos deixaria a noite um pouco mais movimentada. Pouco depois, um homem invade a delegacia dizendo que está sendo perseguido e então começa a ação, com uma gangue de malucos atirando para todos os lados e deixando um rastro de destruição.

Por que é especial:
Fã assumido de Howard Hawks e do filme Rio Bravo, o roteiro de Carpenter foi considerado como uma mistura do clássico estrelado por John Wayne com outra produção história: A Noite dos Mortos-vivos, de George Romero, lançado quase 10 anos antes. O comportamento da violenta gangue que tenta matar as pessoas que estão dentro da delegacia foi influenciado pelos zumbis de Romero. Até mesmo pelo fato das pessoas ficarem presas dentro de uma casa evoca o principal filme de zumbis já realizado. Dentre as outras homenagens presentes na produção, Carpenter usou o mesmo nome do personagem de Wayne em Rio Bravo para assinar os créditos de montagem do filme. (Tullio Dias)

Rede de Intrigas - Sidney Lumet - 1976

8- Rede de Intrigas (Network, Sidney Lumet)

Do que se trata:
Na década de 70, o magistral Sidney Lumet nos conduz pela história de Howard Beale (Peter Finch), um âncora de telejornal que promete cometer suicídio em frente às câmeras. A partir de então, os executivos da emissora, especialmente uma inescrupulosa Faye Dunaway, utilizam vidas, sentimentos, grupos sociais e até sexo para alçar pontos no Ibope e a carreira de Beale do inferno ao céu.

Por que é especial:
O resultado do thriller (quase terror) é um envolvente soco no estômago. O elenco é tão sensacional que cinco atores foram indicados ao Oscar, com três vencendo (Beale, Dunaway e Beatrice Straight), assim como o brilhante roteiro de Paddy Chayefsky”. (Larissa Padron)

Fuga no Seculo 23 - Melhores Filmes 1976

7- Fuga no Século 23 (Logan’s Run, Michael Anderson)

Do que se trata:
O mundo vive em paz no século 23 e toda a população do mundo tem direito a apreciar as coisas boas da vida. No entanto, ninguém pode viver por mais de 30 anos. Logan (Michael York) é o encarregado de cumprir a lei, mas decide fugir quando ele mesmo completa seu trigésimo aniversário.

Por que é especial:
Com toda a sua premissa de um futuro distópico em que existe um prazo de validade precoce para o fim da vida, Fuga no Século 23 nos apresenta conceitos interessantes. Independente de uma atuação um tanto cafona de um protagonista canastrão, o longa-metragem acerta no seu design e por trabalhar a narrativa com fluidez e simplicidade, mas sem nunca deixar de lado o teor sci-fi sobre manipulação e poder do governo em relação ao seu povo. (Tullio Dias)

A Profecia - Richard Donner - Melhores Filmes 1976

6- A Profecia (The Omen, Richard Donner)

Do que se trata:
Após a esposa ter dado a luz a um natimorto, o marido adota uma criança para que ela não saiba a verdade. Mas o menino tem origens satânicas e a vida dessa família não será mais a mesma.

Por que é especial:
Acredito ser muito mais um terror psicológico – principalmente por tocar em temas tabus da época, como satanismo – do que um filme para assustar (apesar de ter seus momentos de gritos e pulos). O garotinho Damien é digno de pesadelos, junto de uma trilha sonora de arrepiar. Um clássico do terror sem dúvidas. (Natalia Ranhel)

O Inquilino - Roman Polanski - Melhores Filmes 1976

5- O Inquilino (Le locataire, Roman Polanski)

Do que se trata:
Parte da trilogia do apartamento de Roman Polanski, o filme apresenta a história de um homem que aluga um apartamento em um antigo edifício residencial e passa a ser observado com um misto de desprezo e suspeita pela sua vizinhança, formada especialmente por idosos.

Por que é especial:
Uma forma boa de justificar a presença da obra em nossa lista seria resumida em duas palavras: Roman Polanski. No entanto, mais do que a assinatura de um dos principais cineastas de todos os tempos, o longa é um suspense tenso que mostra o declínio de um homem consumido pela sua culpa e loucura. Clássico obrigatório!

Todos os Homens do Presidente - Melhores Filmes 1976

4- Todos os Homens do Presidente (All the President’s Men, Alan J Pakula)

Do que se trata:
Tudo começou com uma dúvida, uma informação desencontrada, uma pulga atrás da orelha. O faro jornalístico de Bob Woodward e Carl Bernstein, repórteres do Washington Post, levou a um dos maiores escândalos políticos da história dos Estados Unidos e culminou na queda de Richard Nixon.

Por que é especial:
Embora Todos Os Homens do Presidente passe por muitos cenários de poder da capital americana, este não é um filme (apenas) sobre política, mas sim uma busca implacável por respostas, uma parceria marcante entre fonte e repórter e sobre a imprensa exercendo o seu dever de informar sem desviar o olhar do que for menos conveniente – o que não deixa de ser também uma forma de poder. (Nathália Pandeló)

Carrie a Estranha - Brian De Palma - 1976

3- Carrie, a Estranha (Carrie, Brian De Palma)

Do que se trata:
Carrie White (Sissy Spacek) é uma jovem adolescente que desenvolve poderes paranormais logo que têm a sua primeira menstruação. Depois de ser zombada pelos colegas de classe, a jovem inicia uma sangrenta vingança.

Por que é especial:
Primeira adaptação de um livro de Stephen King para o cinema (e uma das mais bem-sucedidas) Carrie é não apenas um ótimo e competente filme de horror, mas também um dos melhores da carreira de Brian DePalma. A história de Carrie White, uma adolescente introvertida com poderes telecinéticos oprimida pela mãe beata e perturbada consegue surpreender até hoje, 40 anos depois de seu lançamento, conseguindo agradar o próprio King, que nem sempre se mostra satisfeito com adaptações de suas obras. Grande parte do sucesso do filme se deve sem dúvida à excelente performance de Sissy Spacek, que se manteve afastada do restante do elenco durante a maior parte do período entre gravações para se manter no papel, esforço que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar, O filme também tem o mérito de ser um dos primeiros a falar sobre bullying e suas consequências. (Lucas Victor)

Rocky 1976

2- Rocky: Um Lutador (Rocky, John G. Avildsen)

Do que se trata:
Vencedor de três Oscars, incluindo diretor e filme, Rocky conta a história de um boxeador amador que recebe uma oportunidade única de deixar o anonimato para desafiar o grande campeão dos pesos pesados Apollo Creed na disputa pelo cinturão da categoria. O roteiro escrito por Sylvester Stallone foi responsável por uma das 10 indicações que a produção recebeu ao Oscar na ocasião.

Por que é especial:
Rocky provavelmente não entra na lista de “obras primas” do cinema, seja lá o que isso signifique – não é cult ou artístico ou experimental o suficiente. Mas ainda assim se tornou um dos filmes mais notáveis de 1976 por contar uma história simples, pé no chão e com muito coração. Esse último item foi decisivo para tornar Sylvester Stallone um nome respeitado no meio de tantos Coppolas e Scorseses, mostrando que criar uma boa história é algo bem menos complicado do que se parece. Usando elementos da boa e velha jornada do herói, Stallone consegue transformar um clichê numa história de superação que conquistou público e crítica graças à sua boa construção de personagens, por quem a gente torce e com quem nos identificamos. Rocky foi o primeiro passo pra uma franquia que teve lá seus altos e baixos, mas criou dois heróis improváveis: Balboa e Stallone. (Nathália Pandeló)

Taxi Driver - Robert De Niro careca

1- Taxi Driver: Motorista de Táxi (Taxi Driver, Martin Scorsese)

Do que se trata:
Travis Bickle (Robert De Niro) é um veterano do Vietnã que passa a ocupar suas madrugadas insones dirigindo um táxi por uma Nova York suja, escura e cheia de perigos.

Por que é especial:
Maior clássico da carreira de Martin Scorsese, que me perdoem os fãs de Touro Indomável e Os Infiltrados, Taxi Driver é um daqueles filmes obrigatórios para a formação de qualquer cinéfilo que se preze. Com uma atuação quase perfeita de Robert De Niro, acompanhamos uma verdadeira jornada rumo aos limites da sanidade de um psicopata completamente biruta com seu senso de justiça.  Imperdível e merecidamente, no topo da nossa lista de melhores filmes de 1976.

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.