Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Os 10 piores Found Footages

o último exorcismo - Found Footage

O QUE É FOUND FOOTAGE? Não sei mais se consigo responder a esta pergunta respeitando completamente o conceito original. A princípio, trata-se daqueles filmes dotados de linguagem documental, cujas câmeras eventualmente foram perdidas pelos personagens e supostamente encontradas por alguém em um momento posterior. Entretanto, nem todos os filmes que recebem o rótulo seguem à risca essa lógica – o que não é o caso, por exemplo, de A Bruxa de Blair, longa de 1999 que ajudou a fomentar e popularizar os found footages. Aliás, um dos grandes problemas do subgênero está entranhado em sua essência: pra alguém ter perdido uma câmera com filmagens aterrorizantes, coisa boa não deve ter acontecido – o que torna os desfechos razoavelmente previsíveis.

Graças a limitações como essa e à carência de originalidade, o surgimento de filmes pavorosamente ruins não é raro – e, nesta lista, você será apresentado aos 10 Piores Found Footages já assistidos por este que vos fala. Na última sexta-feira, dia 10 de maio, O Último Exorcismo: Parte II desembarca nos cinemas brasileiros escapando da lista por um triz: não que não seja ruim, porque é, e bastante; apenas chutou o found footage do filme anterior pra escanteio e resolveu contar a continuação da história de possessão da garota Nell da forma convencional. Ruinzinho, mas espertinho.

 


- Advertisement -

Menção Honrosa:

30 Noites de Atividade Paranormal Com a Filha dos Homens Que Não Amavam as Mulheres

Sim, você leu certo. 30 Noites de Atividade Paranormal Com a Filha dos Homens Que Não Amavam as Mulheres é o mais novo trabalho de Craig Moss, picareta responsável por atrocidades como A Saga Molusco – Anoitecer e Bad Ass – Acima da Lei e cuja obsessão por títulos gigantes (também é dele Um Virgem de 41 Anos Ligeiramente em Apuros, do original The 41-Year-Old Virgin Who Knocked Up Sarah Marshall and Felt Superbad About It) reflete sua absoluta falta de habilidade de unir sátiras diversas de forma digna – e este novo filme só não entrou oficialmente (e bem posicionado) nesta lista porque Moss é incompetente demais até mesmo para escolher uma linguagem e manter-se fiel aos princípios dela. Pra se ter uma ideia, em certo momento, o Bane de Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge, as personagens de Missão Madrinha de Casamento e Effie Trinket de Jogos Vorazes dividem o mesmo cenário e são abduzidos (!) por uma dupla genérica de Caça-Fantasmas. Segundos antes, um dos personagens centrais havia perguntado: “O que diabos está acontecendo?”. Confesso que também não saberia dizer.

Piores Found Footages - 30 Noites de Atividade Paranormal Com a Filha dos Homens Que Não Amavam as Mulheres

10) Fenômenos Paranormais

Em uma das primeiras noites filmadas por Kate e Micah em Atividade Paranormal, a porta do quarto do casal move alguns centímetros sozinha. Já em Fenômenos Paranormais, a certa altura, um dos personagens cai em uma banheira cheia de sangue e simplesmente desaparece – e, em outro momento, a porta que antes dava acesso ao lado externo do hospital psiquiátrico (supostamente) assombrado que sedia a história passa a abrir para um corredor que  não existia antes.

Em suma, Fenômenos Paranormais apresenta eventos tipicamente vistos em filmes de terror tradicionais, porém registrados através da tal filmagem documental. Não demora muito, entretanto, para que a lógica seja ferida, principalmente no que diz respeito à explicação para as cenas de terror: a possibilidade de que os personagens estejam enlouquecendo e, com isso, tornando-se os grandes responsáveis pelas bizarrices que acontecem, parece ser deixada no ar. Se algum ou vários deles estão imaginando a maior parte daquilo, a linha documental não deveria permitir que enxerguemos as mesmas maluquices que eles. Por fim, se o edifício maligno tem por hábito aprisionar em seu interior pessoas enxeridas, nos resta a seguinte dúvida: como as filmagens perdidas foram tiradas de lá?

Piores Found Footages - Fenômenos Paranormais


9) [Rec]² – Possuídos

Não lembro de ter sentido necessidade de explicações ao final de [Rec] – e mesmo aquelas dadas pelas filmagens expositivas de Ángela Vidal no terceiro ato do primeiro filme eram dispensáveis. Não era disso que a obra se tratava; o susto e a tensão, propiciadas por uma infecção sobre a qual pouco sabíamos, eram os grandes atrativos da produção espanhola. Agora, nesta continuação, acompanhamos a operação de uma equipe de bombeiros que rompe a quarentena do prédio infectado para investigar o que de fato ocorreu por lá – e, sem ter muita história pra contar, os roteiristas quebram a estrutura e introduzem uma segunda linha narrativa, que acompanha um grupo de jovens que resolve xeretar a edificação. A essência da obra original é diluída com teorizações sobre a contaminação, interesses escusos de personagens novos e o mal uso dos elementos de sucesso do primeiro filme. No fundo, é bastante frustrante que não tenha funcionado.

Piores Found Footages - Rec 2 Possuídos


8) Atividade Paranormal 4

Atividade Paranormal. Trata-se de um título bastante genérico que reflete justamente o desconhecimento que Kate e Micah tinham a respeito da natureza dos eventos que começaram a assombrá-los. Quando os produtores resolveram lançar uma sequência – que na verdade é uma prequel -, optaram por descartar a possibilidade de explorar outros tipos de atividades paranormais utilizando o peso comercial da marca em tramas originais. Trazer a mesma assombração para o segundo filme deu início ao definhamento do elemento surpresa, que terminou de ser assassinado quando, no terceiro longa (também uma prequel), já sabemos, em linhas gerais, o modus operandi do demônio (mover objetos, abrir e fechar portas, hipnotizar criancinhas…) e até mesmo seu nome: Toby. Por isso, no quarto filme, não há muito mais a ser feito: as desculpas dos personagens para filmar suas próprias rotinas são esquizofrênicas, os sustos são requentados, a trama não é nada instigante e até mesmo uma criança sinistra – tirada diretamente do baú de clichês do gênero – precisa ser inserida pra segurar as pontas. E prepare-se: Atividade Paranormal 5 vem aí!

Piores Found Footages - Atividade Paranormal 4


7) Inatividade Paranormal

Depois que filmes de terror, desastre, super-heróis, comédias românticas, musicais, Crepúsculo e até mesmo blockbusters em geral ganharam paródias pavorosas ao longo da última década, era apenas uma questão de tempo até que o subgênero found footage entrasse na jogada. Marlon Wayans (dos dois primeiros Todo Mundo em Pânico e do horroroso Bobeou Dançou, que quase chegou ao Brasil como Ela Dança Com Meu Ganso) resolveu escrever (ao lado de Rick Alvarez), atuar e convidou o estreante Michael Tiddes para dirigir.

O resultado é ligeiramente surpreendente, diante do que vem sendo produzido em termos de paródia. Antes de mais nada, os roteiristas acertam ao escolher poucos filmes para satirizar, reduzindo a bagunça que a narrativa poderia se tornar: o arco dos três primeiros Atividade Paranormal recebe pinceladas de Filha do Mal e apenas mais algumas referências menos intrusivas a outros filmes. Além disso, é admirável que os realizadores consigam manter a linguagem found footage nos eixos na maior parte do tempo, maneirando nas gags excessivamente nonsense – e em meio à imbecilidade habitual e comprometedora da família Wayans (com conteúdo sexual e escatológico garantido), algumas boas sacadas se salvam: o momento em que a personagem possuída de Essence Atkins resolve passear com o cachorro morto ou a cena hilária em que o casal simplesmente decide ignorar as atividades paranormais, na esperança de que o demônico desista de assombrá-los, sãos os melhores exemplos disso – ou, se bobear, os únicos.

Piores Found Footages - Inatividade Paranormal


6) Home Movie

Este conta a história de uma família que vive em uma casa isolada, cercada por mata e cujas crianças começam a apresentar um comportamento estranho, tendendo à psicopatia. Os pais, por outro lado, parecem acometidos por algum tipo de retardo mental – e só isso explicaria a falta de ação de ambos com relação à insubmissão demoníaca dos filhos. Além de demasiadamente episódico, o filme também falha em um ponto fundamental: o amadorismo acaba conferindo à narrativa um tom mais próximo da comicidade involuntária do que de apreensão ou tensão.

Piores Found Footages - Home Movie


5) Apartamento 143

Psicocinese (do grego ψυχοκίνηση, Psico: mente; cinese: movimento): pseudociência que sustenta a viabilidade de mover ou afetar objetos sem nenhum contato físico, usando apenas a mente – de forma voluntária ou não.

Facilitarei o trabalho de pesquisa de vocês: psicocinese não existe no mundo real. X-Men é ficção. Poder Sem Limites, idem. Mister M é um charlatão, caso não saibam. Harry Potter tem uma varinha, então é um caso à parte. Eis que Apartamento 143 chega e, com o pezinho na realidade exigido pela linguagem documental, insiste que os diversos eventos bizarros – todos, reforço, devidamente registrados em vídeo – que ocorrem na residência que dá título ao filme são resultado da atividade mental da adolescente Caitlin, filha rebelde e supostamente esquizofrênica do proprietário. Pra se ter uma ideia, uma corrente de vento furiosa arrasa o apartamento e uma força misteriosa eleva a garota, com a coluna encurvada (típico, não?), a cinco palmos do chão – e o Dr. Helzer bate na tecla: é psicocinese. Não, não é, meu caro. É preguiça de roteirista, do grego τεμπέλης συγγραφείς.

Piores Found Footages - Apartamento 143


4) Filha do Mal

No início de Filha do Mal, somos informados que o Vaticano não concordou e nem apoiou o lançamento do filme – e por que diabos deveria ou precisaria concordar e apoiar? Já no final dos créditos, uma caixa de texto aponta que “O caso Maria Rossi nunca foi concluído”. Uma das grandes conquistas desse terror de baixo orçamento (cuja bilheteria multiplicou o custo de produção por cem) foi ter convencido uma fatia significativa do público que aqueles eventos são mesmo reais – e, não à toa, recebo semanalmente em meu blog pessoal sobre cinema acessos de internautas que buscam no Google expressões do tipo “Maria Rossi caso real”. A curiosidade dessas pessoas, de certa forma, é pertinente: o filme é repleto de pontas soltas ou pistas que não levam a lugar nenhum e seu terceiro ato é demasiadamente curto – isto é, assim que o filme parece ter estrando na rota do desfecho, a narrativa é encerrada abruptamente. Gostaria de poder dizer pessoalmente a cada uma desses pessoas que o texto de abertura do filme é apenas uma insinuação do conteúdo supostamente transgressor que estamos prestes a assistir, enquanto os dizeres que encerram a projeção são uma desculpa desonesta e esfarrapada para a promessa não cumprida.

Piores Found Footages - Filha do Mal


3) Projeto Dinossauro

O legal de Projeto Dinossauro é que ele não tenta te enganar. Logo na abertura do filme, o texto introdutório deixa duas coisas bem claras: 1) as imagens que estamos prestes a ver são reais e não sofreram qualquer tipo de intervenção na pós-produção e 2) nós, espectadores, estamos sendo tratados como idiotas por sermos obrigados a ler isto – e como idiotas seremos tratados até o último segundo de projeção. E não é só por isso que o filme já começa todo errado: o formato de tela adotado (2.35:1) não é usual em filmagens documentais (praticamente sempre rodadas em 1.85:1, com o quadro mais aberto na altura), revelando a absoluta falta de cuidado dos realizadores com elementos dos mais primordiais. Com personagens homogeneamente aborrecidos e uma subtrama mais ridícula que a outra (por que uma expedição criptozoológica precisa contar com o velho conflito entre pai ausente e filho rebelde? Por quê?!), Projeto Dinossauro jamais parece interessado em investigar, por exemplo, os acordes sonoros que surgem em diversos momentos da projeção: os sons são algum tipo de interferência? O problema pode ser da sala de cinema em que assisti ao filme? Os expedicionários executaram as músicas in loco? Ou o texto que isenta os produtores de responsabilidades por quaisquer modificações no conteúdo é mentiroso?

Piores Found Footages - Projeto Dinossauro


2) Atividade Supernatural

Imagine um filme que reúna paródias de Fenômenos Paranormais, O Último Exorcismo, A Bruxa de Blair, O Exorcismo de Emily Rose, Atividade Paranormal, A Origem, Vozes do Além e do seriado The Office em um roteiro coeso. Conseguiu? Os realizadores de Atividade Supernatural também não. Sem encontrar um meio termo entre o nonsense e a linguagem documental, a comédia (?) acompanha o narcisista apresentador de um programa fraudulento sobre assombrações que, para produzir seu season finale, corre atrás da lenda do Mini Pé Grande. Embora desperdice algumas boas ideias (como o enjoo que a câmera inquieta típica do subgênero causa no cinegrafista), Atividade Supernatural ao menos prova sua preocupação com o espectador ao conceber um demônio cujo hábito predatório envolve matar suas vítimas (literalmente) de tanto rir – o que garante que, a menos que você morra de vergonha, de preguiça ou de raiva, fatalmente sobreviverá ao filme.

Piores Found Footages - Atividade Supernatural


1) Desaparecidos

Desaparecidos é um filme sobre botânica. Esta foi a conclusão a que cheguei após dedicar setenta e dois minutos da minha vida à observação do comportamento noturno da flora de Ilhabela, enquanto os personagens concebidos por Rafael Blecher e David Schurmann andavam, gritavam, escorregavam, choravam, gritavam mais um pouco, tropeçavam, perambulavam, berravam, choramingavam e andavam mais um bocado por uma mata densa e escura da cidade. Alguns descrevem a trama como as desventuras de uma penca de jovens que viaja rumo a Ilhabela para uma balada cujo abadá é – pasmem! – uma câmera de alta resolução pendurada no pescoço, com acionamento automático e periódico, e acabam perdidos em uma mata das redondezas, onde acabam sendo vitimados por algum maníaco ou monstrengo que preferi esquecer. Pra mim, a coisa é bem mais simples que isso: uma aporrinhação com muita andação, uma câmera na mão e nenhuma tensão. E plantas, pra quebrar a rima. Muitas plantas.

Piores Found Footages - Desaparecidos

Comentários