Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Os 25 Melhores Filmes de 1995

Poster Braveheart Coração Valente 19955- Coração Valente, de Mel Gibson

“Mel Gibson esbanjou talento dos dois lados da câmera neste épico que emocionou o mundo e provou que nem sempre o protagonista precisa sobreviver para alcançar a vitória.”

- Advertisement -

Michael Anderson

“Difícil ter um filme que tenha uma palavra que consiga resumi-lo tão rápido e bem quanto Coração Valente. Ou você consegue pensar em “liberdade” sem lembrar imediatamente dos momentos finais da produção?”

Tullio Dias

Guerras, pau quebrando, heroísmo, bravura e Mel Gibson. Precisa de mais?

Joubert Maia

Poster Heat Fogo Contra Fogo 19954- Fogo Contra Fogo, de Michael Mann

“O grande encontro entre Al Pacino e Robert De Niro, em lados opostos da lei, prometia muito. E Michael Mann cumpriu, com muita violência, diálogos ágeis e uma fotografia fantástica. Os atores vieram a se encontrar novamente no Cinema, com As Duas Faces da Lei, mas nada aos pés do duelo travado em 1995. “You’re going down”, disse Pacino a De Niro, e os dois mostraram o que sabem fazer melhor. Nem precisava de tanta gente boa no elenco de apoio, como Val Kilmer, Jon Voigt, Tom Sizemore e até Natalie Portman, em seu segundo papel.”

Marcelo Seabra, do blog O Pipoqueiro

“Depois de O Poderoso Chefão II, o tão esperado reencontro entre Al Pacino e Robert De Niro finalmente tomou forma neste filme policial recheado de nitroglicerina.”

Michael Anderson

“Assistir ao encontro de De Niro e Pacino sob direção de um cineasta competente como Mann é uma experiência inesquecível. Daquelas que ficam em nossa memória por muito tempo, assim como a vontade de separar um tempinho apenas para rever o filme inteiro.”

Tullio Dias

Poster Toy Story 19953- Toy Story, de John Lasseter

“Ao infinito e além” nasceu como o bordão de Buzz Lightyear, mas poderia muito bem descrever a influência de Toy Story e das mentes brincalhonas e geniais por trás da obra.”

Lucas Paio

“E se todos os seus brinquedos ganhassem vida quando estivessem longe da presença humana? Como eles se sentiriam? O que eles já teriam visto que mais ninguém no mundo viu? A já clássica animação Toy Story levanta estas e outras questões que antes faziam parte apenas das mentes mais criativas.”

Joubert Maia

“Divertido e espetacularmente inovador, Toy Story apresentou ao mundo o brilhantismo da Pixar, personagens inesquecíveis e, de quebra, transformou completamente o status quo dos filmes de animação. Um marco histórico e definitivo.”

Marcus Alves

“A animação em estado da arte feita pela Pixar nos presenteou com a emocionante história da vida dos brinquedos que transcorre enquanto não estamos olhando.”

Michael Anderson

Se7en 19952- Se7en – Os Sete Crimes Capitais, de David Fincher

Visceral, cruel, causador de agulhadas aflitivas na alma. Este é Se7en, filme que redefiniu seu gênero e gerou inúmeros ‘replicantes’ — sendo que a maioria, por mais que tente e apele para meios escusos (sim, Jogos Mortais, estou falando de você) falha miseravelmente em replicar a potência narrativa e visual desta obra de Fincher.

Marcus Alves

“Brad Pitt já vinha fazendo alguns trabalhos interessantes, como Mundo Proibido, Kalifornia e Entrevista com o Vampiro. Umas coisas românticas também, como Nada É Para Sempre e Lendas da Paixão, além da tão comentada ponta em Thelma e Louise. Mas Seven trouxe muita atenção e, o mais importante, muito respeito. Kevin Spacey era uma estrela em ascensão e Morgan Freeman já estava mais do que consagrado, e somou-se a pouco conhecida Gwyneth Paltrow. David Fincher, conhecido por clipes e Alien 3, se mostrou para o mundo e soube aproveitar a nova fama, ao contrário do sumido roteirista Andrew Kevin Walker, tido então como uma grande promessa. Independente do que estejam todos eles fazendo hoje, Seven já é um clássico policial do nosso tempo.”

Marcelo Seabra

“Se alguém ainda duvidava do talento de Brad Pitt, esta é a prova incontestável que nos foi dada através de um dos melhores thrillers de todos os tempos.”

Michael Anderson

“Um dos meus filmes prediletos de todos os tempos sem ser apenas da última semana, Seven – Os Sete Crimes é como um vinho que fica melhor a cada ano. Ok. Eu não entendo droga nenhuma de vinho porque o meu negócio é cachaça, mas entendo o suficiente de cinema para dizer que o longa-metragem de David Fincher é um clássico moderno que merece ser visto urgentemente por todos aqueles que ainda não tiveram o prazer de descobrir o motivo dele ser tão especial assim.

Tullio Dias

Poster Antes do Amanhecer Before Sunrise 19951- Antes do Amanhecer, de Richard Linklater

“Primeiro de uma trilogia concebida com muita sutileza, Antes do Amanhecer é o romance dos ‘slackers’ e o maior triunfo cinematográfico da carreira de Richard Linklater até hoje. Sim, maior do que o ótimo Boyhood.”

Marcus Alves

“Um filme em que sua maior atração são dois protagonistas e seus diálogos precisa ser muito bom para nos prender e ‘Antes do Amanhecer” é um ótimo exemplo disso.”

Michael Anderson

“Foi aqui que Jesse e Celine se encontraram: em um trem na Europa. Eles se conhecem, passam o dia juntos em Viena e mudam suas vidas para sempre depois disso. No primeiro capítulo dessa belíssima história de amor, vemos Ethan Hawke e Julie Delpy interpretando jovens apaixonados e empolgados com a vida, mas que ainda têm muito o que aprender e amadurecer. E posso dizer que acompanhar essa jornada sincera e desimpedida deles é um dos maiores prazeres que já tive no cinema. E isso se repete nos outros dois filmes.”

Dani Pacheco

Antes do Amanhecer foi lembrado por boa parte da turma que votou para eleger os melhores filmes de 1995. Considerando tudo que o Cinema de Buteco é, é um resultado até previsível. Não sou o único que já fez questão de declarar meu amor pela trilogia de Richard Linklater: Nathália Pandeló, Daniela Pacheco e Larissa Padron também tem culpa no cartório, e esse amor todo que nós e muitos de vocês, leitores lindos e cheirosos, sentimos pela história de amor de Celine e Jesse. É difícil escolher um filme para ser o “melhor”, afinal são três obras preciosas sobre um romance que cresce junto do espectador, mas o que me chama a atenção nessa primeira parte é a ingenuidade dos protagonistas e o jeito tímido com que cada um tenta ir se aproximando do outro. É apaixonante. Também gosto bastante de como as coisas acabam e nos deixam imaginando se eles chegaram a se encontrar novamente um dia. Antes do Amanhecer é uma obra indispensável para os cinéfilos e recompensadora para quem conseguir vencer todo o excesso de diálogos que podem deixar algumas pessoas entediadas a princípio, mas depois é impossível não se render ao carisma dos personagens e o seu romance.

Tullio Dias