Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Os 30 Melhores Filmes de 2017

O Cinema de Buteco orgulhosamente apresenta a sua lista de 30 melhores filmes de 2017. Deixe um comentário com os seus favoritos!

O cinema de 2017 presenteou os cinéfilos com obras incríveis (como Blade Runner 2049 e mãe!, para falar apenas de dois exemplares) e mostrou que as mulheres podem e devem ocupar os espaços entre os principais filmes do ano (Patty Jenkins e Kathryn Bigelow lançaram algumas das melhores produções da temporada), assim como há espaço para debater o racismo de maneiras ousadas e criativas, como é o caso de Corra!.

Para saber mais sobre todos os grandes filmes lançados em 2017, acesse o nosso guia completo com os principais lançamentos da temporada. A seguir você descobre quais foram os melhores filmes de 2017. Quantos desses você já viu?

- Advertisement -

Agradecimento especial ao parceiro Marcelo Seabra, do blog O Pipoqueiro.

Melhores Filmes de 2017

33- A Vilã

Desde a sensacional sequência inicial, filmada em primeira pessoa, A Vilã é admiravelmente fiel àquela que é a essência de sua protagonista, tomando para si a inevitável máxima que persegue sua existência, na qual a eterna promessa de uma “vida normal” fatalmente seria frustrada: de uma infância traumática – e, diga-se, acertadamente exposta de maneira não-linear, levando-nos a experimentar parte da perturbação que as desordenadas recordações brutais provocam na personagem – a um presente desolador de esperanças, a violência é a única que jamais abandonou Sook-hee; ela esteve intrínseca e insistentemente acompanhando cada passo de sua jornada, independentemente de sua vontade. Sook-hee (Ok-bin Kim) está matrimonialmente ligada à brutalidade. (Leonardo Lopes)


32- Fome de Poder


A história do McDonalds recebeu um tratamento super especial com Michael Keaton no papel principal, como o cara que se apropria da criação alheia. Existia muita expectativa de que Keaton concorresse ao Oscar pelo seu trabalho, mas acabou não acontecendo.

Fome de Poder, que já está disponível na Netflix, inclusive, é uma dica obrigatória para empreendedores e publicitários. Podemos discutir por horas se as ações do protagonista são condenáveis ou não, e isso é apenas um dos detalhes que tornam essa produção tão importante e necessária. Descubra como foi que tudo começou e divirta-se comendo no Burger King!


31- Paterson

Os melhores filmes do primeiro semestre de 2017Paterson (Adam Driver, ótimo) compartilha do mesmo nome com a cidade onde vive. Ele trabalha como um motorista de ônibus, gosta de escrever poemas, encontrar alguns poucos amigos e dividir o lar com sua companheira Laura (a iraniana Golshifteh Farahani, adorável).

Jim Jarmusch é um diretor conhecido do cinema americano independente, que gosta de explorar personagens talentosos, porém que preferem o anonimato. Em sua visão a felicidade não está no reconhecimento público, mas sim na possibilidade de simplesmente realizar aquilo que ama ao lado da sua “alma gêmea”, ideia que é explorada através dos vários irmãos gêmeos que surgem na tela. (Marcelo Palermo)


30- Jim e Andy

Melhores Filmes da Netflix em 2017 - JIM E ANDYEnquanto tem gente no Twitter dizendo que quem chama Jim e Andy de “puta documentário” é porque não entende porra nenhuma de documentário, nós vamos direto na contramão dessa opinião boba e autoritária.

O documentário Jim e Andy é fruto dos registros do próprio Jim Carrey durante as filmagens de O Mundo de Andy, e mostram como funcionou o seu processo criativo. Você pode sim considerar as filmagens como uma espécie de masturbação para o ego do ator, mas também pode se deliciar com um dos momentos mais inspirados de sua carreira e um grande desabafo de um dos principais artistas de Hollywood dos anos 1990.

Se você gosta de Jim Carrey, possui um ego enorme ou ama conhecer os bastidores das produções do mundo do cinema, Jim e Andy é imperdível. Puta documentário mesmo!


29- Como Nossos Pais

Histórias familiares são ótimas para nos fazerem refletir sobre nossas próprias vidas.

Em Como Nossos Pais, vemos uma mulher enfrentar várias questões ao mesmo tempo, sendo a principal delas o relacionamento conturbado com a mãe.

Uma história comovente e carregada por atuações de primeira de Maria Ribeiro, Paulo Vilhena e Clarisse Abujamra. (Daniela Pacheco)


28- A Guerra dos Sexos

A direção da dupla responsável por Pequena Miss Sunshine + roteiro do cara que adaptou Quem Quer Ser um Milionário? + Emma Stone desafiando Steve Carell + tênis = ingredientes improváveis que quando reunidos resultam em A Guerra dos Sexos, um dos principais longas da temporada.

A comédia baseada numa história real apresenta os bastidores da disputa entre a tenista número 1 do mundo, Billie Jean King, contra o ex-campeão e tenista aposentado Bobby Riggs na partida que ficou conhecida como a Guerra dos Sexos.

Mas engana-se quem acha que é um filme exclusivamente sobre homens se achando melhores que as mulheres. Emma Stone dá uma aula de atuação e nos deixa perdidamente apaixonados por sua personagem e luta para manter a carreira e sua vida pessoal.


27- Fragmentado

A carreira de M. Night Shyamalan certamente teve altos e baixos. Fragmentado é mais uma tentativa de voltar à boa forma e mostrar que ele pode escrever e dirigir um filme sem estragar tudo.

O cerne do roteiro, dessa vez, é o transtorno dissociativo de identidade, antes chamado de transtorno de múltiplas personalidades. Normalmente, ele é atribuído a um trauma severo e repetitivo na infância, seja sexual, físico ou emocional. Em uma dessas situações se encaixa Kevin (James McAvoy). Em tratamento com a Dra. Karen Fletcher (Betty Buckley), o sujeito apresenta 23 personalidades distintas já mapeadas, e elas se revezam.

Fragmentado não deixa de ter suas loucuras “shyamalanianas”, mas segue uma linha coerente e as máximas de seu próprio universo. Para histórias marcadas pelo absurdo, é importante seguir as regras estipuladas. (Marcelo Seabra)


26- Star Wars: Os Últimos Jedithe last jedi poster

Escrito e dirigido por Rian Johnson (de Looper: Assassinos do Futuro, 2012), Os Últimos Jedi é um filme de Star Wars com todas as qualidades e defeitos que são a característica da saga.

Johnson demonstra ter um conhecimento profundo do material que tem em mãos e, mesmo se apoiando bastante na nostalgia que Star Wars desperta, especialmente nos fãs antigos (mesmo recurso utilizado por J. J. Abrams em O Despertar da Força), ele não faz dela seu principal recurso.

O que Johnson entrega é um filme épico e divertido na dose certa. (Rodrigo Monteiro, O Pipoqueiro)


25- Ao Cair da Noite

postersmaisbonitosAlguma coisa aconteceu, não sabemos o que é. Uma família se refugiou numa casa numa floresta, não sabemos onde fica. O que sabemos é que, o que quer que esteja acontecendo, é mortal. E não será fácil sobreviver. Se a premissa não é das mais originais, a condução e o resultado são e garantem a satisfação do público. Ao Cair da Noite (It Comes at Night, 2017) é uma ótima surpresa num gênero que passa longe do gol com tanta frequência que cria certa desconfiança. Em pouco menos de uma hora e meia, o diretor constrói uma atmosfera que poucos conseguem e deixa uma impressão forte e duradoura. De forma enxuta e direta, ele segue uma das mais antigas recomendações quando o assunto é o Cinema de terror: menos é mais. Quanto menos o público vê, mais aterrorizado fica. (Marcelo Seabra)


24- Dunkirk

Christopher Nolan resolveu fazer diferente e escrever um roteiro baseado em uma batalha da Segunda Guerra Mundial.

Mais uma vez, surpreendeu a todos com mais um filme recheado de reviravoltas, suspense de sobra e uma narrativa brilhantemente regada pela trilha sonora do mestre Hans Zimmer. (Daniela Pacheco)


23- OKJA

OKJA é uma espécie de super porco, criado livremente na Coréia do Sul por um fazendeiro e sua neta Mija, mas que foi descoberta pela empresa multinacional de abate animal liderada por Lucy Mirando (Tilda Swinton), e que possui planos duvidosos para o simpático animal.

O elenco, cheio de nomes conhecidos de Hollywood como Jake Gyllenhaal e Paul Dano, está super entrosado dentro desse universo criado por Bong Joon Ho, mas quem rouba a cena mesmo e é o coração do filme é a jovem atriz Ahn Seo-Hyun, que faz de Mija uma formidável heroína.” (Marcelo Palermo)


22- A Ghost Story

poster a ghost story Um homem que faleceu recentemente se transforma num fantasma e começa a acompanhar a sua esposa. A Ghost Story é uma viagem que explorar a perda, reflexão da nossa própria existência, legado e, acima de tudo, o amor.

Dirigido por David Lowery, que já havia nos encantado com Amor Fora da Lei, de 2013, o longa-metragem até pode enganar os distraídos que logo imaginam que “Ghost” tenha relação direta com o gênero de terror. A Ghost Story não é um filme de terror, mas um drama sobre o amor que apresenta para o público uma série de acontecimentos que nos obrigam a pensar sobre o que é viver, afinal.


21- Eu Não Sou Seu Negro

Merecidamente indicado ao Oscar 2017 de Melhor Documentário, Eu Não Sou Seu Negro é uma obra obrigatória. Se você não gosta de documentário, bem, fica mais obrigatória ainda. Documentário é vida.

Contando uma passagem da história de três grandes líderes do movimento negro nos EUA, o doc causa revolta no público porque estamos diante uma série de injustiças que aconteceram (e continuam acontecendo) com pessoas apenas por conta de sua cor.

Comentários