Os Piores Filmes do Primeiro Semestre de 2016

TODO ANO É SEMPRE A MESMA HISTÓRIA: a gente lança essa lista, um número pequeno de leitores fica chateado da vida com o Cinema de Buteco e a maioria entra no clima para rir das nossas opções às vezes pouco convencionais. Arrisco dizer que talvez essa lista de piores filmes do primeiro semestre de 2016 seja ainda mais atraente que a de melhores. Afinal, existem sempre aqueles grupos de pessoas que gostam de assistir principalmente as recomendações consideradas ruins. O velho clichê injusto de “crítico não entende nada”.

Não sei qual é o seu nível de interesse em assistir a filmes ruins, mas posso dizer que o meu é elevado. Faço questão de anualmente preencher a minha cota de no mínimo 20 bombas – embora tenha me resguardado em relação a determinadas obras que realmente não merecem o investimento de tempo.

No ano passado nossa lista polemizou por causa das regras. Funcionava assim: se você viu 10 filmes no ano, automaticamente os cinco últimos entrariam na lista de piores. Independente de serem ruins, de você ter gostado ou não. Era um pouco injusto, mas necessário para manter a nossa tradição de produzir listas de piores ativa. Para 2016, não tivemos nenhuma regra. Bastava escolher cinco títulos e lidar com o amor dos haters

É preciso ressaltar que as listas de melhores/piores são produzidas a partir da união da opinião e, principalmente, conhecimento técnico de críticos e convidados. Nada fica gratuito e tudo é explicado, cabendo ao leitor tirar as suas próprias conclusões sobre o que leu.

LEIA TAMBÉM: Os melhores filmes do primeiro semestre de 2016

Confira agora o resultado! Esperamos sinceramente que apreciem!

Menções (des)honrosas: X-Men: Apocalipse; Orgulho e Preconceito e Zumbis; Deuses do Egito; Tirando o Atraso; Tartarugas Ninja – Fora das Sombras; e Martyrs.

10- Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Poster Batman vs Superman

Embora não seja a bomba horrorosa que a crítica pintou, o filme também não é bom. Tem milhões de erros que não cabem aqui, mas o principal é: em nenhum momento alguém da minha plateia gritou, riu, suspirou ou xingou no cinema. Isso vindo da audiência de um filme de super heróis é extremamente preocupante, já que uma das principais reações que se espera a filmes assim é a empolgação. (Débora Anício)


9- Casamento de Verdade

poster casamento de verdade

Embora o tema seja muito bom: mulher que precisa sair do armário pra família quando decide se casar com a companheira de anos (que todos pensam ser sua roommate), a execução não é tão legal. O filme exclui a posição/voz da parceria da protagonista e não explora as muitas possibilidades e conflitos deste momento tão delicado. (Débora Anício)


8- Independence Day 2: O Ressurgimento

poster independence day ressurgimento
Guily pleasure do ano, Independence Day 2 é um blockbuster bobão cheio de efeitos visuais de primeira e humanos trocando tiros contra alienígenas. Fãs de games ficarão alucinados, assim como quem é apaixonado pelo filme original, cuja “idiotice” foi herdada com juros nessa sequência bastante divertida e indicada para quem é feliz o suficiente para rir do fato de ter gastado muito dinheiro para ver isso nos cinemas em tempos de crise.” (Tullio Dias)


7- A Quinta Onda

poster 5 onda

Mais uma obra literária juvenil que ganha as telas, o longa-metragem já começa enfrentando um ambiente saturado de produções relativamente parecidas – independente de cada uma contar, obviamente, com suas particularidades. Para piorar, A Quinta Onda coloca informação demais em cena e se prejudica pelo excesso de clichês. (Tullio Dias)


6- A Série Divergente: Convergente

poster divergente convergente

Se você se esforçar um pouquinho até consegue assistir Convergente sem entortar o olho tanto quanto nos filmes anteriores. Desta vez tudo parece adequado e na dose certa, mas ainda é muito pouco para essa franquia sem graça e que fracassou miseravelmente em preencher a lacuna deixada por Jogos Vorazes. Pelo menos é bem melhor que o anterior e no nível do original. (Tullio Dias)


5- Invasão a Londres

poster invasao a londres

A segunda tentativa de Gerard Butler imitar Bruce Willis é presença obrigatória nessa pequena seleção dos piores filmes do ano até agora. Não por ser um péssimo espécime de ação, mas por ser uma das coisas mais desprovidas de graça que assistir em 2016. (Tullio Dias)


4- Visões do Passado

poster visoes do passado

“Raramente há credibilidade em filmes protagonizados por psicólogos mais perdidos que as mentes insanas que analisam e essa nova tolice protagonizada pelo bom Adrien Brody ainda tenta se passar por esperta com uma roupagem sobrenatural estapafúrdia.” (Alex Gonçalves, do Cine Resenhas)


3- Joy: O Nome do Sucesso

poster joy

Contando a história insossa e cheia de clichês de uma mulher que ganhou a vida inventando e vendendo o esfregão, o diretor se repete em seus erros e insiste em escalar JLaw para papéis acima de sua idade. A atriz demonstra aqui como a fama subiu à sua cabeça por meio de escolhas que privilegiam o seu destaque em detrimento da qualidade da obra. (Débora Anício)


2- A Garota Dinamarquesa

poster garota dinamarquesa

Com um roteiro que em vários momentos se afasta da história original apenas para deixar o protagonista mais ‘gostável’ ou a co-protagonista mais palatável aos olhos do público conservador, o filme se arrasta em uma narrativa morna, entediante e sem vida. Redmayne torna tudo muito seco e distante com sua interpretação técnica. Sem contar que a intérprete da personagem principal deveria ter sido uma trans… (Débora Anício)


1- Floresta Maldita

Poster Floresta Maldita
Floresta Maldita é dirigido pelo iniciante Jason Zada e explora um local real no Japão para transformar num produto voltado apenas para o lucro, sem qualquer compromisso reflexivo para tratar do assunto com o devido cuidado. Não que eu seja contra fazer um filme de terror sobre a atração que a Floresta de Aokigahara exerce sobre suicidas. O que me deixa chateado é ver um cineasta claramente incapacitado com um roteiro medíocre falando disso para uma quantidade enorme de pessoas e ignorando as suas responsabilidades.” Resumindo: é ruim pra caralho, véi! (Tullio Dias)


Continue lendo para acompanhar os votos individuais:

Redação do Buteco

Cinema por quem entende mais de mesa de bar.