Cinema por quem entende mais de mesa de bar

RetrospectivaButeco2014 #7 – Melhores Cenas Musicais

MÚSICA E CINEMA SÃO PAIXÕES QUE FUNCIONAM MUITO BEM JUNTAS. A equipe do Cinema de Buteco se esforçou para relembrar algumas das melhores cenas musicais presentes no cinema ao longo de 2014 e preparou um post muito especial com uma seleção de mais de 10 sequências, com direito até a “Let it Go”, em Frozen, e “I Want You Back”, em Guardiões da Galáxia. Por motivos de força maior não foi possível incluir as cenas de Boyhood, já que para isso seria necessário postar o filme inteiro.

Quais foram as suas cenas musicais favoritas de 2014?


“Roll Jordan Roll”, em 12 Anos de Escravidão

- Advertisement -

Sempre ouvi dizer que o Blues foi inventado pelos escravos para extravasar a dor sentida pelas intermináveis e desgastantes jornadas diárias colhendo algodão, isso sem mencionar as atrocidades e crueldades da escravidão propriamente dita. Durante todo o decorrer de 12 Anos de Escravidão, o protagonista é uma pessoa contida, que escolheu suportar a dor e a injustiça na esperança de um dia reencontrar a família, ao contrário de outros que preferiram a morte. Na cena em questão, dá pra notar no momento em que Chiwetel Ejiofor em close começa a entoar o cântico “Roll, Jordan Roll”, junto com outros escravos. A música exalta o seu próprio sofrimento e por isso ela vem de dentro, e no fundo aquela era a única forma dos escravos colocarem pra fora toda a revolta acumulada em anos como escravo. (Leonardo Lopes Carnelos)


“Higher”, do Creed, em Anjos da Lei 2

Enquanto Channing Tatum tem uma viagem super feliz depois de consumir uma nova droga, seu companheiro Jonah Hill embarca numa terrível bad trip com direito a ouvir Creed no inferno.


“Let it Go”, em Frozen

Uma longa trança sobre o ombro, um vestido branco, um castelo particular de gelo e a música “Let it go” marcam o momento de libertação da princesa Elsa em Frozen: Uma Aventura Congelante. A música marca um dos pontos altos da animação dos Estúdios Disney, rendendo o prêmio de melhor canção no Oscar além de ter se tornado grande sucesso entre as princesas mundo afora.(Leonardo Lopes Carnelos)


“Wayfaring Stranger”, de Johnny Cash, em Alabama Monroe

Alabama Monroe conta a história de um cantor de música Bluegrass (uma vertente da música country) com uma tatuadora. Foi difícil escolher uma canção apenas, porque é maravilhoso ver como a letra e o clima das canções foram usados para compor o humor do casal durante todo o filme, desde a empolgação inicial da paixão até os problemas enfretados pelo casal após o diagnóstico de doença de sua filha. No final das contas, a história dos dois compõe perfeitamente uma linda canção Bluegrass. “Wayfaring Stranger”, de Johnny Cash, está mais ou menos no meio do filme. Veja, ouça e sinta:


“I Want You Back”, de Jackson 5, em Guardiões da Galáxia

A gente pensou em incluir também a introdução, ou diversas outras cenas que acontecem no meio do filme, mas o destaque de Guardiões da Galáxia ficou por conta da dancinha feliz do Groot no final.


“Everything is Awesome”, em Uma Aventura Lego

Provavelmente, a música é a única coisa que me fará lembrar dessa “aventura”.


“Hanging Tree”, com Jennifer Lawrence, em Jogos Vorazes: A Esperança

Perdão pela qualidade (?) do vídeo, mas foi o melhor que conseguimos encontrar para ilustrar a melhor cena do terceiro filme da franquia. Arrepiante.


“Please Mr. Kennedy”, de Justin Timberlake, em Inside Llewyn Davis

Oscar Isaac dá um esporro básico no autor da música sem saber que ele era o Justin Timberlake. A cena por si já seria engraçada, mas somos recompensados com uma música divertida e a performance de um homem com voz de sapo cantando como se estivesse realmente fora do nosso mundo.


“Lost Stars”, de Adam Levine, em Mesmo se Nada Der Certo

Após uma discussão sobre o melhor arranjo para a música, o personagem de Adam Levine dá o braço a torcer e reconhece que sua companheira Keira Knighley sabe mais das coisas do que ele mesmo. De quebra, ainda temos uma bela canção para ouvir balançando a cabeça.


Youth“, de Daughter, em Uma Longa Queda

Logo depois de uma cena de festa ao som de “I Will Survive” (uma escolha irônica, diga-se de passagem), o personagem de Aaron Paul mergulha no meio do oceano ao som de “Youth”, de Daughter. Linda cena.


“I Love You All”, de Michael Fassbender, em Frank

Michael Fassbender incorpora Ian Curtis em mais uma cena musical que facilmente entraria na seleção de melhores cenas do ano.


Fuhre Mich“, de Rammstein, em Ninfomaníaca

Lars Von Trier e R+ tinha que resultar na melhor introdução do ano. Quebradeira para entrar no clima de Ninfomaníaca.


“Deep Blue”, de Arcade Fire, em Boyhood

Boyhood inteiro merecia fazer parte desta lista. Seria impossível selecionar uma ou outra sequência para representar a obra: a dica é você mesmo assistir ao filme e ter a certeza de que terá várias cenas musicais favoritas saindo de lá.


Song on the Beach“, de Arcade Fire, em Ela

Escolhi encerrar a lista com outra cena que provavelmente merece reconhecimento como melhor do ano. No mínimo como parte dos diálogos mais interessantes que acompanhamos no cinema. Como resistir a um papo cabeça com uma música do Arcade Fire no fundo?


Menções honrosas

Dead Snow 2: “Total Eclipse of the Heart” enquanto Martin resgata a sua amada para reencenar a cena do vidro do carro em Titanic.

Tim Maia e seu “Ela Partiu” depois que Janaína dá um pé na bunda dele.

Enquanto os meninos apaixonados de Hoje eu Quero Voltar Sozinho passeavam de bicicleta de noite é possível ouvir “Vagalumes Cegos“, do Cícero.

Entre Nós foi escolhido pela equipe do Buteco como um dos três melhores filmes nacionais de 2014. Nele existe uma sequência em que o grupo de amigos cantam “Na Asa do Vento” num clima gostoso que nos dá vontade de fazer parte dessa turma.

Para impressionar a sua companhia durante um encontro romântico, a protagonista de Homens São de Marte e é Pra Lá Que Eu Vou experimenta diversas calcinhas diferentes para descobrir qual combina mais para os seus planos “perversos”. Tudo ao som de “Valerie”, na versão de Amy Winehouse.

Malévola é simplesmente a personificação do mal. O cajado, chifres, corvos e até a a áurea verde fétida e podre ajudam a compor uma das personagens mais icônicas das animações Disney. Em 2014 o estúdio resolveu recontar a história dela e a música tema da personagem, interpretada por Angelina Jolie, tinha que reforçar esta ideia. A solução dos compositores da trilha sonora foi recorrer ao tema clássico do Balé de Tchaikovsky, mas agora com uma roupagem totalmente diferente, tanto do original quanto da versão para a animação de 1959. “Once Upon a Dream“, na versão cantada por Lana Del Rey ficou de arrepiar, uma pena que o filme escolheu um caminho diferente.