Destaques Listas

Top 10 – Melhores Filmes de Drama de 2015

Dani Pacheco selecionou os 10 melhores filmes de drama de 2015 e convidou a redação para indicarem seus favoritos. Confira a lista completa (e clique aqui para ver os votos individuais):

10 – Macbeth

macbeth-posterMacbeth é uma adaptação com falhas, sim, e William Shakespeare deve estar se remoendo ao ver Lady Macbeth tão pouco utilizada por Justin Kurzel. Por outro lado, o filme britânico se destaca pela maneira poética, intensa e humana que relê a clássica obra sobre um casal que chega ao poder ao matar um rei. A fotografia de tirar o fôlego, o elenco impecável, sobretudo a química entre Michael Fassbender e Marion Cotillard, e as cenas de ação à la Game Of Thrones, tornam esta versão um prato cheio para quem busca algo diferente do que já foi feito antes.


9 – Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo

foxcatcher-2014-08Foxcatcher é, como diz um amigo meu, um soco no estômago. Por quê? Como o próprio título em português diz, a história contada aqui é chocante. Desde o início, Steve Carell nos aterroriza na pele do detestável e egocêntrico Dupont, mas o que ele guarda para o final é simplesmente um balde de água fria; acho que fiquei pelo menos uma semana com as imagens do desfecho na minha cabeça. Sem dúvida, uma leitura extremamente dramática e dura de um fato tão trágico na história dos EUA e do esporte em geral. E com um Channing Tatum como ninguém nunca viu.


8 – O Clã

poster_final_para_argentina_de_el_clan__2015___by_dwowforce-d91kv0rO Clã é uma adaptação que mistura rock dos anos 80 e sequestros. Pode parecer um pouco estranho e isso até incomoda em alguns momentos por causa do tom frio do filme, mas a produção argentina faz uma análise de alta qualidade do caso Puccio, que marcou o país há 30 anos.  Análise que foca na relação entre o pai, cabeça de tudo, e o filho, estrela da seleção nacional de rúgbi e seu braço direito.


7 – Ponte de Espiões

ponte_de_espioes_posterPonte de Espiões parecia ser monótono no trailer. Você deve imaginar minha surpresa quando sentei no cinema para vê-lo e vi que estava totalmente enganada e não vi ali outro Lincoln (2012). Steven Spielberg, com roteiro dos irmãos Coen, fez um longa envolvente do início ao fim, carregado pelas atuações de Tom Hanks e Mark Rylance. Nada de exaltação aos EUA, mas uma produção que explora os interesses políticos dos dois lados e como ambos tentam se dar bem de todas as maneiras possíveis.


6 – Mapa Para as Estrelas

Maps-to-the-Stars-Official-Poster-Banner-PROMO-XXLG-15AGOSTO2014-02Mapa Para as Estrelas é uma sátira hollywoodiana hilária e chocante de David Cronenberg, com duas atrizes excepcionais de protagonistas. Loucas cada uma de seu jeito, Julianne Moore e Mia Wasikowska dominam o longa e fazem dele o que querem. Para quem não conhece muito os bastidores da indústria americana, aconselho a produção, pois ela diz muitas verdades sobre o showbiz e até cita algumas personalidades, como Harvey Weinstein e Demi Lovato.


5 – Hipócrates

Hippocrate-Affiche-2-FranceHipócrates é um filme que ilustra uma realidade que muitos de nós vamos reconhecer: um sistema de saúde cheio de falhas, sejam elas salários precários ou erros médicos acobertados. Mas, acima de tudo, é um longa sobre a Medicina em si e os questionamentos que um jovem recém-formado faz quando vê que a profissão não é um mar de rosas.


4 – Sentimentos que Curam

Infinitely-Polar-Bear-Poster-10Abril2015Sentimentos que Curam é uma história de amor. Mas não de um casal propriamente dito; o filme dá atenção à relação de um pai maníaco depressivo e as duas filhas. Enquanto a mãe faz um MBA em Nova York, ele deve cuidar das crianças em Boston por 18 meses. Damos boas risadas em função do comportamento sem noção do personagem de Mark Ruffalo e como as meninas têm vergonha dele (de uma maneira que todos os filhos sentem dos pais), mas também nos comovemos com as dificuldades que eles enfrentam e como o protagonista se transforma por causa de uma bela coisa chamada amor.


3 – Whiplash

whiplash-poster-cold-open-is-firm-dont-know-artist1Nem parece que já faz quase um ano que assisti a Whiplash. Um dos melhores filmes que vi nos últimos tempos, em todos os sentidos: direção, roteiro, atuação, trilha, fotografia, entre outros. A experiência insana e intensa que Damien Chazelle nos faz passar durante todo o longa é algo que poucos cineastas conseguem fazer, ainda mais no primeiro longa que dirigem. A busca pela perfeição faz o protagonista sangrar, faz o professor severo se enfurecer e faz os espectadores se deliciarem com um cinema de primeira classe. Medalha de bronze!


2 – Que Horas Ela Volta?

557050.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxRegina Cazé é a protagonista em um filme de extrema importância social. O roteiro não só discute o papel dos pais na vida dos filhos, mas a desigualdade social. A filha da empregada está errada em querer ser tratada de igual para igual em relação aos patrões? Ou a mãe que está errada em querer que ela se comporte e fique perto dela? Quantas pessoas vão olhar para a patroa e se enxergarem nas atitudes dela? Por discutir questões tão relevantes, Que Horas Ela Volta? recebe nossa medalha de prata.


1 – Casa Grande

116336Casa Grande é outro filme brasileiro que ganha muitos pontos por discutir temas essenciais em nossas vidas. Dei a medalha de ouro e cinco caipirinhas em minha crítica porque ele consegue englobar em suas histórias tópicos de relevância e sempre de maneira profunda e impactante. Cotas raciais, dinheiro, amizade, sexo, tudo isso por meio de personagens como eu e você, o que ajuda ainda mais a nos identificarmos com o roteiro. Pessoas boas e, ao mesmo tempo, cheias de falhas, mas com características de certa forma carismáticas aos olhos do espectador. Eles não são os protagonistas, mas roubam a cena no drama: Marcello Novaes e Suzana Pires.

Daniela Pacheco

Fascinada por cinema desde pequena. Ídolos? River Phoenix, Audrey Hepburn, Wagner Moura e Marion Cotillard.