Top 5: Filmes sobre prisão

Adentramos o ano chocados com as rebeliões nos presídios que expuseram todo o horror que acontece nas prisões brasileiras. Como a arte sempre imita a vida, o Cinema de Buteco separou alguns títulos cujos personagens viram o sol nascer quadrado.

O Expresso da Meia-noite

Este filme tornou-se um clássico ao contar a história verídica de um jovem norte-americano preso por tráfico de drogas na Turquia. Submetido a uma condenação injusta por ser estrangeiro e a incontáveis agressões que o deixaram em estado quase catatônico, o Expresso da meia-noite é mais um exemplo da máxima “o crime não compensa!”.

Um sonho de liberdade

Uma das melhores versões de uma obra de Stephen King, Um sonho de liberdade é aquele tipo de filme que nos enche de esperança e otimismo. Contado de forma leve e edificante sem deixar de mostrar a dura realidade dos prisioneiros. A gente consegue até sorrir diante do engenhoso plano criado pelo personagem de Tim Robbins, e principalmente seu final feliz.

Carandiru

Carandiru é o nome de um antigo presídio em São Paulo que carrega uma das piores tragédias do nosso sistema presidiário. Inspirado no livro do médico oncologista Drauzio Varella (sim! O doutor do Fantástico) que prestou trabalho voluntário durante 10 anos na antiga casa de detenção.

É um trabalho sensível que mostra o Carandiru como um microcosmo constituído de pessoas convivendo numa espécie de “panela de pressão” que a qualquer momento pode explodir. Tudo relatado pelos olhos humanizados do doutor que sabe que sua missão é só um pequeno alento diante do turbilhão de problemáticas do sistema.

A outra história americana

O menos conhecido da seleção, mas não menos interessante, por mostrar a redenção de um ex-jovem delinquente. O neonazista vivido com “fúria” por Edward Norton é preso depois de atacar ferozmente um rapaz negro e provocar sua morte (se não gosta de violência é melhor evitar essa cena!). Ao contrário do esperado, uma vez encarcerado, o personagem se desfaz da raiva latente e sai de lá transformado.

Ótimo filme por mostrar que sempre há tempo para segundas chances e para a compaixão.

Em nome do pai

É incrível como a humanidade parece viver um grande círculo vicioso… A história real dos Quatro de Guildford, condenados à prisão pela justiça britânica por alegarem ligação com o IRA, simplesmente porque estavam no lugar errado e, claro, por serem irlandeses. Em tempos em que a xenofobia encontrou o Terrorismo como seu maior representante assistir a Em nome do pai nos faz lembrar que essa questão está à frente dos confrontos sangrentos há muito tempo.

Juliana Uemoto

Especialista em Comunicação. Amante da linguagem escrita e fã de cinema. Otimista – teima em acreditar no ser humano -, bem-humorada e comunicativa por natureza. É no escurinho do cinema que embarcou nas suas primeiras viagens. Nascida em São Paulo. Nutre um carinho especial por Belo Horizonte e o povo mineiro.