Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Top 5 – Melhores Animações de 2012

Quem falar que desenho é coisa de criança é um bobão. As animações estão cada vez melhores e sempre tentam atingir também o público adulto, que na maioria das vezes acompanha a molecada durante as sessões. Prova disso é que os temas abordados nos filmes amadureceram e não são mais tão infantis assim.

O ano teve uma surpresa decepcionante: Valente, último lançamento da Pixar, ficou abaixo do esperado e acabou ficando de fora das nossas cinco animações favoritas de 2012. O primeiro longa da Pixar estrelado por uma menina não chega a ser ruim, mas justamente por ser uma obra da Pixar, que sempre prima por o alto padrão de qualidade, a expectativa era bem maior e o resultado foi decepcionante.

Confira a lista completa:

- Advertisement -

Menção Honrosa:

Madagascar 3 é uma graça de filme. A história saiu um pouco daquela mesmice e o visual está renovado. Os novos personagens surgem para apresentar o circo à uma nova geração de crianças. No mundo de fantasias de Madagascar, são os animais que comandam o circo e gostam do mesmo, por isso querem vê-lo funcionar. O filme é uma forma de apresentar a tradição circense para a criançada, já que na vida real o circo está morrendo. Um show de cores para se emocionar e rir. Bem superior ao 2° filme da franquia, Madagascar 3 continua com a pegada: só a criançada vai apreciar como se deve. (Thais Vieira)

 


A Origem dos Guardioes A Origem dos Guardiões5
 – A Origem dos Guardiões

“EA Origem dos Guardiões, o novo longa-metragem da Dreamworks, que é dirigido por Peter Ramsey baseado no livro “The Guardians of Childhood”, escrito por William Joyce, os personagens que habitam o imaginário infantil mostram como são importantes para o equilíbrio entre o bem e o mal na nossa infância.

Durante a história, Papai Noel, Sandman, Fada do Dente e o Coelho da Páscoa, ou simplesmente OS GUARDIÕES são incumbidos de zelar pelas crianças, as livrando do malvado Bicho-Papão, que voltou das trevas mais forte e com sede de vingança. Para isso, o homem da Lua os convoca e apresenta um novo guardião que junto aos quatro começa uma empreitada contra o mal. Se trata de Jack Frost, um menino com poderes como os dos guardiões, porém muito solitário. Ele tem o poder controlar o frio, o vento, a neve, é muito bagunceiro e completamente irresponsável. E ao contrário dos outros guardiões, Jack é invisível para as crianças, justamente porque elas não acreditam nele.” – Clique aqui para ler a resenha completa


4 – Hotel Transilvânia

O grande problema de Hotel Transilvânia (aliás, é o problema de todos os desenhos que são lançados nos cinemas brasileiros) foi o fato de só existirem sessões dubladas. Não que eu quisesse ouvir a voz de Adam Sandler e seus amigos, mas o bom é ouvir o produtor original do jeito que o diretor do filme planejou. A animação é bem divertida e apresenta uma verdadeira reunião de monstros, enquanto um jovem adolescente se apaixona pela filha do Drácula.  – Clique aqui para ler a crítica no blog Cinema Sem Erros

A ambientação de As Aventuras de Tintim é acertada e respeita o fato de Tintim ser um jovem repórter europeu de meados do século 20. Mantiveram a trama no passado, os personagens usam câmeras e carros antigos, Tintim datilografa em uma máquina de escrever – ótimo, porque ver o Tintim procurando pistas no Google seria de doer. A cidade onde a história começa é uma capital europeia indefinida, pode ser Paris, pode ser Bruxelas. Como o filme é americano, os personagens falam inglês, mas todo o elenco principal é britânico e o sotaque não soa fora de lugar. E quem conhece as HQs originais vai sacar um monte de referências, do letreiro de aeroporto nos créditos iniciais (onde se lê “Congo”, “Shanghai” e outras localidades visitadas por Tintim nos quadrinhos) à homenagem a Hergé na divertida cena inicial.” – Clique aquipara ler a crítica de Lucas Paio.

 

2 – ParaNorman

Pelos trailers e vídeos de divulgação, a comédia ParaNorman prometia ser um dos grandes destaques da temporada. Ela não ficou apenas na promessa e acabou se revelando como um entretenimento de primeira. Diversas piadas engraçadas, referências aos clássicos do horror e uma trama divertida estrelada por um garotinho bem esquisito chamado Norman. Prato cheio para quem gosta de desenhos um pouco menos coloridos, digamos assim.

 

 

1 – Frankenweenie 

Tim Burton anda numa fase ruim, vamos admitir. Depois de consecutivos fracassos (embora Alice no País das Maravilhas seja um dos 20 filmes que mais arrecadaram em toda a história), parecia que o cineasta iria descansar um pouco a sua imagem. No entanto, ele lançou dois trabalhos inéditos em 2012: Sombras da Noite e Frankenweenie. Enquanto o primeiro filme dividiu opiniões, a animação foi uma grata surpresa e mostrou que ainda é possível se emocionar de verdade conferindo algum trabalho inédito de Burton. Todos os detalhes fantásticos que transformaram o diretor em referência estão lá, incluindo diversas referências a outros grandes clássicos do cinema. Uma animação deliciosa e imperdível – Clique aqui para ler a crítica no blog O Pipoqueiro


Nota:[cinco]

Comentários