Review: Fear the Walking Dead s03e13 - "This Land is Your Land" | Cinema de Buteco
Fear The Walking Dead

Review: Fear the Walking Dead s03e13 – “This Land is Your Land”

É, bicho… Faltando três episódios para o encerramento da sua terceira temporada, o spin-off de The Walking Dead garantiu a sua independência e identidade própria. Em Fear the Walking Dead s03e13, “This Land is Your Land”, acompanhamos um pouco mais da evolução da Alicia rumo a um papel de liderança cada vez maior.

Para quem não viu, o episódio mostra Alicia presa junto com outros sobreviventes do rancho e lidando com o peso das decisões irreversíveis que terá que tomar para garantir sua própria sobrevivência. Enquanto isso, Troy e Nick bolam um plano para tentar salvar a vida das pessoas.

Alicia era a nossa adolescente retardada favorita quando surgiu e até boa parte da segunda temporada. Sua fragilidade mental e física eram motivos de deboche, além dos comentários de que era a personagem “bonita” que a série precisava ter. Bem. Ela continua bonita, claro, mas deixou pra trás uma imagem negativa e se tornou – definitivamente – uma das peças-chave de Fear. Nick e Madison agora terão mesmo que dividir o seu espaço com a jovem, que se tornou responsável pelo melhor arco de desenvolvimento de personagem ao longo desses três anos.

Nick e Troy até tentaram uma missão de resgate, mas acabaram mostrando o quanto são imaturos e incompetentes. Foi a pior tentativa de resgate de todos os tempos, provavelmente. Pelo menos, deu para notar como a relação de amizade dos dois está evoluindo cada vez mais. Por mais bizarro que seja ver o comportamento de ambos diante a morte certa, torço para ver esses caras crescendo na série!

Ainda não sei se Daniel Sharman continuará no elenco da quarta temporada, mas Troy é uma das melhores coisas de Fear. Um personagem autêntico, atormentado e daqueles que você ama odiar/odeia amar. Sabemos que Fear não costuma manter seus personagens vivos por muito tempo, especialmente os coadjuvantes, mas Troy pode dar muito. Vou lamentar sua possível morte ou forma dos produtores tratarem seu destino como um vilão.

Incomoda bastante quanto as séries desse universo tratam seus protagonistas como imortais em sequências que coadjuvantes morreriam facilmente. Alicia ter sobrevivido naquele ambiente fechado cercada por walkers foi forçado demais, assim como Madison surgir como a salvadora no exato momento em que tudo estava perdido. Um pouco de originalidade nunca matou ninguém, mas deve causar desemprego nas redes de televisão que nos obrigam a engolir qualquer coisa…

Recomendo ouvirem o Walking Cast desta semana:

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.