Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Review: Game of Thrones s01e08 – “The Pointy End”

Em Game of Thrones s01e08, “The Pointy End”, o caos começa a se formar lentamente. Os eventos da acusação contra Nedd e a sua prisão, causam as primeiras grandes reviravoltas na trama da série.

Decidido a atacar os Lannisters para resgatar o pai, Robb reúne as tropas do Norte para iniciar um ataque. Primeiramente, o jovem lobo enfrenta desconfianças e desprezo de seus companheiros – algo que o acompanharia durante muito tempo.

Mas Robb não é idiota e deixa isso claro quando anuncia para um soldado rival que irá atacar em determinado lugar e o deixa ir embora com essa preciosa informação para o desespero de todos – que mal imaginavam que era tudo parte de um grande plano estratégico para conseguir combater os exércitos de Twynn e Jaiminho Lannister.

- Advertisement -

Com a prisão de Nedd, a vida de suas filhas em Kings Landing passa a correr grande perigo. Enquanto os aliados do norte são massacrados covardemente, incluindo a pobre ama de Sansa, Arya e seu professor de “dança” se vêem diante um conflito contra Montanha e seus soldados. Lógico que isso não poderia acabar bem, mas a pequena consegue escapar e fugir.

Na sua cela escura e solitária, Nedd recebe a visita de Varys. O eunuco sempre foi dúbio em suas ações e eu desconfiava bastante dele nessa época. Durante a revisão percebemos que suas ações misteriosas tinham a intenção de lutar pelo melhor para o Reino, sem que isso significasse um desejo de ocupar o trono de ferro, como é o caso de Mindinho.

Já Jon Snow recebe a notícia da suposta traição do pai e fica pistola da vida depois de ser provocado por Thorne – que desde cedo foi um cara bem cuzão na série. Após tentar agredir seu superior e levar uma bronca de Lord Mormont, o bastardo é levado para seus aposentos para “pensar” sobre o que fez.

Fantasma começa a ficar agitado e a série nos presenteia com a primeira vez que um personagem principal luta contra um dos zumbis. Jon salva a vida de Mormont durante a luta contra esse adversário inesperado.

Tyrion finalmente chega até a concentração do exército do seu pai e o público não tarda a descobrir como é a relação entre os dois. O anãozinho é completamente desprezado e ainda é obrigado a servir no front da batalha, ou seja, junto dos soldados que são os primeiros a morrer. Isso que é amor de pai, né?

Por último, mas não menos importante, do outro lado do mundo, Khaleesi descobri o apetite voraz e selvagem dos Dohtraki e tenta impedir um estupro. Isso causa revolta nos soldados de Khal Drogo, que acaba sendo desafiado por um de seus soldados. Durante o combate, Drogo é ferido, mas arranca a língua do seu adversário numa nova sequência chiliquenta.

Hoje, tantos anos após conhecer a série e o personagem, não consigo manter a mesma admiração por Drogo. Ele provavelmente seria um adversário letal contra qualquer outro que cruzasse o seu caminho, mas a falta de inteligência em suas ações é perturbadora. Teria sido incrível uma luta dele contra o Montanha, Lady Brienne ou até Jon Snow. A força da sua turma está no conjunto de homens nascidos para a guerra, mas sabemos que estratégia faz toda a diferença no final das contas.

Comentários