Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Review: Game of Thrones: s01e09 – “Baelor”

Game of Thrones s01e09, “Baelor”, é até hoje um dos episódios mais chocantes de toda a história da série. É aquele que você ficou de queixo caído pela primeira vez se perguntando se aquilo realmente aconteceu. “Bicho, eles mataram o protagonista?

Com uma das melhores cenas de morte em Game of Thrones de todos os tempos, “Baelor” eleva a tensão no público e na proximidade de um confronto imenso entre todos os sete reinos. As emoções estão na flor da pele.

Antes de ser preso, Nedd descobriu que Robert não teve nenhum filho com Cersei. Joffrey, Myrcella e Tommem seriam bastardos da rainha com seu irmão. Com essa informação e tomado pela sua ética (vamos falar sobre isso), ele envia uma carta para Stannis Baratheon, aquele que realmente merecia o trono.

- Advertisement -

O que Game of Thrones ensina nessa sua reta final é que ter ética ou querer fazer a coisa certa nem sempre é a opção mais inteligente. Na verdade, agir corretamente muitas vezes significa perder oportunidades e colocar sua vida/relações/carreira em risco. Quando lidamos com forças maiores ou dispostas a qualquer coisa para ter o que desejam, é necessário se resguardar e saber quando agir. Nedd foi picado pelo mosquito da integridade e se fodeu. Muitas pessoas seguem o mesmo caminho na vida real. A maioria, obviamente não tem a cabeça decepada (pelo menos literalmente), mas pagam por acharem que fazer a coisa certa garante sua noite de sono.

Cersei Lannister não tem escrúpulos, mas tem noção de até onde pode ir. Ela sabia perfeitamente que a melhor saída para todos seria exilar Nedd para a Muralha. Isso evitaria uma guerra com o Norte. No entanto, seu filho bastardo, mesmo prometido para Sansa Stark, não compartilha essas noções de limites. Num ato impulsivo, o loirinho psicótico ordena que arranquem a cabeça de Nedd.

Isso choca todos os seus conselheiros, e principalmente a sua mãe, que tenta convencê-lo a não fazer isso. Até Mindinho fica um pouco surpreso e apreensivo. Decidido, Joffrey não muda de ideia e um único golpe da espada do açougueiro do reino sela todo o destino dos sete reinos. Agora, definitivamente, não há mais espaço para rendições ou negociações. Não há mais chance de ofertas de paz. Existe apenas o desejo de vingança contra o de proteção.

O paralelo curioso é que, completamente alheios ao que acontece em Kings Landing, Robb e suas tropas comemoram a “vitória” na primeira batalha contra os exércitos dos Lannister e a captura de Jaiminho. Engraçado como a série dá ao público um gostinho de vitória para nossos “heróis” para logo depois mostrar que toda alegria dura pouco.

Vou deixar pra falar sobre a morte de Khal Drogo no texto de semana que vem, mas não posso encerrar sem comentar uma das cenas mais pessoais de Tyrion Lannister até hoje. Num bate-papo íntimo com Bron e Shae, sua amante, o anão revela como foi sua primeira história de amor e como isso o mudou para sempre.

Tyrion se apaixonou por uma mulher que estava sendo atacada por um grupo de mercenários. Com a ajuda do irmão, impediu que o pior acontecesse e começou a viver uma história de amor. Perdeu sua virgindade e timidez, decidiu se casar, mas sua felicidade foi interrompida quando o pai descobriu. Twynn obrigou o filho a assistir enquanto vários homens estupravam sua esposa. Para completar, ainda revelou que tudo havia sido uma armação de Jaime para Tyrion transar: a mulher seria uma prostituta…

Tyrion compartilhando isso mostra o quanto ele sofreu ao longo de sua vida e os motivos de sua relação com Twynn ser tão tóxica. Também explica o seu apego imediato a figura interesseira e manipuladora de Shae, uma mulher realmente perigosa emocionalmente falando e desprovida de qualquer amor que não seja por ela mesma.

Legal mesmo de toda essa ideia louca de falar da série inteira é oferecer mais conteúdo para os fãs da série que buscam por textos sobre os episódios antigos, que poucos portais e/ou blogs dedicaram espaço na época. Nesse caso, quero destacar e parabenizar a turma do MundoBla, que falou da 1ª temporada com a perspectiva de quem estava acompanhando a história sendo feita e sem ter como imaginar o fenômeno que Game of Thrones seria.

Comentários