Review: Prison Break s05e01 – Ogygia

Review Prison Break s05e01 - Ogygia

Após oito anos de hiato, a famosa série Prison Break está de volta. Com o mesmo tom misterioso de sempre, mesmo elenco principal e a resposta para a pergunta: o que aconteceu com Michael Scofield? É coisa de grego. É coisa de louco. Vamos à análise.

Recomeço em Prison Break s05e01 – Ogygia

Vimos que os anos realmente se passaram na vida dos personagens. É como se a história fosse real e todos tivessem vivido em segredo durante esse temporada. Isso dá uma credibilidade maior à série. Parabéns aos responsáveis. Porém, a responsabilidade aumenta e as interpretações têm de ser diferenciadas.

Lincoln Burrows (Dominic Purcell) ainda seria o brutamontes duro na queda de sempre ou já estaria mais fraco, debilitado pela idade? Porque o tempo passou. A energia e disposição não são as mesmas, não podem ser.

Mas isso aqui ainda é ficção. Burrows reapareceu correndo de dois homens em um carro que lhe cobram uma dívida alta. Depois de se esconder e voltar para casa, ele encontra T-Bag (Robert Knepper), que acabara de sair da prisão, lhe esperando na varanda com um envelope. Pronto, a “gangue” começou a se unir novamente.

Mensagem misteriosa

No envelope, há uma foto com, supostamente, Michael Scofield (Wenworth Miller) com grades e medinas atrás. O suficiente para acender o estopim de Lincoln e ele querer saber onde está o irmão. Ah, para “ajudar”, embaixo da imagem há a frase “Pela sua mão, você conhecerá a glória de sua progenitura e nosso mundo será consertado para sempre”. Eu pensei “Isso é bíblico? Poxa vida, quanto mistério já de cara”.

Os fãs de Prison Break sabem que além de brincar de polícia e ladrão, assistir a série significa bancar o detetive, tentar decifrar os enigmas que o gênio tatuado deixa pelo caminho. Tarefa que o irmão mais velho conseguiu executar. Da frase emblemática citada acima, Burrows reduziu-a e descobriu a palavra “OGYGIA”, que descobrimos ser uma prisão situada no Iêmen. O grandalhão decide, então, ir até lá.

Recrutando a equipe

Primeiramente, Lincoln vai até a casa de Sara (Sarah Wayne Callies) e a vemos casada com outro homem e com o pequeno Mikey já com 7 anos (faça suas contas). O ex-presidiário conta sobre o envelope e a foto e, obviamente, ela não acredita na sobrevivência de Michael. Normal, nem eu ainda. Mas, percebemos que algo muito ruim foi desencadeado após uma serial killer tentar matar a “viúva” e sua nova família.

Para a missão de tentar resgatar o irmão, Burrows vai atrás de C-Note (Rockmond Dunbar), que virou um jihadista pacífico e, com seus contatos e fluência em arábe, decide ajudá-lo. Do nada, aparece Sucre (Amaury Nolasco), que agora trabalha com navio cargueiro, querendo colaborar, mas o irmão de Scofield acha melhor ele ficar de “plantão”. Prison Break é foda! Os protagonistas precisam de ajuda e a equipe de apoio surge rapidamente, de qualquer buraco, qualquer lugar. Impressionante.

Ogygia e Kaniel Outis

Com o elenco principal apresentado, conhecemos o “lar” deste recomeço da série. Trata-se de “Ogygia”, uma prisão tão suja e de baixo nível como Sona (3ª temporada). Para quem curte literatura e mitologia, Ogygia é uma ilha fictícia do livro “Odisseia”, de Homero, onde Odisseu ficou preso por 7 anos. Hummm, entenderam a referência? Pessoal do roteiro não brinca em serviço.

Com a ajuda de Sheeba (Inbar Lavi), Lincoln e C-Note conseguem entrar no presídio e procuram por Michael, mas não há nenhum registro. Para sorte, o funcionário reconhece Scofield como “Kaniel Outis”, mesmo nome contido no paletó que o careca encontrou ao desenterrar o túmulo do irmão caçula. Para azar, Kaniel Outis (ou novo Michael) não quis papo, nem se envolver com a história. E fim de papo.

O episódio foi bom para um recomeço. Quem gosta de muita explicação e da enrolação de Prison Break, tivemos o suficiente. Por exemplo, T-Bag foi surpreendido, após a cirurgia da mão mecânica, com o mesmo nome e nova identidade de Michael, o que nos deixa a dúvida sobre quais são os reais planos do tatuado e qual sua ligação com aquele médico. A temporada está só começando, mas serão apenas nove episódios, jogo rápido. Vamos esperar para ver por quanto tempo Scofield será “ninguém”. Até a próxima.

Walter Riedlinger

Jornalista. Palmeirense fanático e Pé vermelho com orgulho. Escrever e cantar são minhas paixões.