Review: Scream Queens s01e06 – “Seven Minutes in Hell”

Review Scream Queens Seven Minutes to Hell

A vida não melhorou para Ryan Murphy e seu Scream Queens. Além de nova queda na audiência, o episódio “Seven Minutes in Hell” foi o primeiro em que senti um pouco de preguiça da série. É como se a piada tivesse perdido a graça, entende?

A moral da série é tamanha que ninguém da equipe se animou a escrever sobre o episódio durante a minha semana ausente para o show do Damien Rice e o Muse em São Paulo.

“Seven Minutes in Hell” apresenta as Kappas decidindo que a presidência será dividida e o assassino aparece para fazer mais duas vítimas: o adolescente sem braços e também a Kappa lésbica que conquistou o coração da Chanel 3. E basicamente, é isso.

As piadas desta vez não funcionaram tão bem e não identifiquei as referências ao universo do cinema de terror durante as mortes e sequências. Chad começou a refletir sobre o seu comportamento sexual e decidiu optar pela monogamia com Chanel 1 – mas apenas depois da pressão de seus colegas de fraternidade, que consideravam as opções sexuais do amigo muito esquisitas pegando as tias.

O que mais chama a atenção e diverte em Scream Queens é a sua falta de noção com roteiros deliciosamente crueis e recheados de diálogos ácidos e ofensivos. Não há nada disso. E é uma fucking pena ver o potencial da série caindo e caminhando para apenas uma única temporada (o que é melhor, já que a trama certamente não necessita de uma continuação).

Tullio Dias

Dizem que sou legal, mas eles estão mentindo só para me agradar. Gosto de Molejo, acho Era Uma Vez no Oeste uma obra-prima, prefiro baixo de quatro cordas do que os de cinco, tenho um MBA de MKT Digital e um curso de Publicidade, não tenho filhos, não tenho um coração, mas me derreto por caipirinhas.