Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Review: Scream s01e01 – Pilot

Scream Pilot

Pânico foi uma criação do mestre do terror Wes Craven, que faleceu recentemente, no último dia 31 de agosto, aos 76 anos de idade. Em 1996, o gênero terror estava fora de moda. Especialmente o sub-gênero slasher, já que as franquias que representavam o estilo estavam completamente desgastadas. Tudo mudou quando Pânico chegou aos cinemas e revigorou o interesse do público por produções de horror com um assassino perigoso.

Após três continuações – nenhuma superior ao original – a franquia parecia dar sinais de que descansaria em paz e seria apenas revisitada por cinéfilos e jovens curiosos, mas a MTV entrou na história e preparou um reboot numa série produzida em 2015.

- Advertisement -

Com toda uma história inédita e até com novo visual para o psicopata Ghostface, a série surpreende por sua capacidade de criar tensão e já no episódio piloto parecer superior às continuações de Pânico nos cinemas. Aliás, o longa-metragem é devidamente homenageado com uma espécie de refilmagem da sequência inicial estrelada por Drew Barrymore. Tudo bem que os responsáveis pela série estão bem longe de possuírem o apuro técnico de Craven, mas ainda assim fazem um bom trabalho.

O piloto brinca com os velhos clichês do horror em diversos momentos, com direito até mesmo a conversa sobre cultura pop atual citando Walking Dead. Os nerds curtiram isso. Mas o grande trunfo é apresentar personagens que aparentemente escondem muitos segredos. Fica difícil criar uma suspeita sobre qual deles (ou quais) estão por baixo da máscara do assassino.

Trabalhando mais no suspense e contabilizando apenas duas vítimas até o momento, Pânico inicia como uma grande promessa que espero que seja concretizada ao longo da temporada.