Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Review: The Walking Dead s07e05 – “Go Getters”

MAIS UM EPISÓDIO DE PREPARAÇÃO. Ainda que isso não signifique episódios ruins para essa sétima temporada, preferia um pouco mais de ação ao invés de apenas acompanhar as peças se encaixando para os momentos emocionantes que virão. Em The Walking Dead s07e05 – “Go Getters” temos o reencontro com Sasha, Maggie, Jesus e o pessoal de Hilltop, mas é “só”.

Ao invés de explorar as chances de deixar seu público pirado com a possibilidade da dita morte de Maggie (conforme o Padre Gabriel diz para Negan em s07e04) ou dela ter perdido o bebê, “Go Getters” trata logo de jogar limpo e esclarecer todas as dúvidas. Maggie não morreu e muito menos perdeu o filho: ela foi se recuperar em Hilltop acompanhada de Sasha.

O episódio mostra um pouco dessa recuperação e da tentativa de Gregory (o líder da comunidade) em se livrar das duas por causa do risco dos Salvadores descobrirem que ele se aliou com Alexandria; paralelamente temos Enid e Carl viajando juntos até Hilltop por motivos distintos. Enquanto a mocinha deseja apenas ficar próxima de Maggie, a quem vê como uma mãe, o filho de Rick possui um plano mais elaborado envolvendo a boa e velha vingança.

- Advertisement -

Eu confesso que tinha a esperança de ainda assistir o que acontece imediatamente após a morte de Glenn e Abraham, além da chegada de Sasha e Maggie em Hilltop. Infelizmente. Acreditava na chance mínima de Jesus e Rick terem tido um papo reto para se organizarem contra Negan, mas pelo jeito teremos que esperar mais um pouco para isso.

Por outro lado, é altamente satisfatório ver Gregory demonstrando claramente ser um babaca covarde (o jeito dele perguntando pra Maggie se Negan descobriu do combinado deles dá muita raiva; nos quadrinhos, ele faz a mesma pergunta pro Rick e leva uns sopapos) depois que sua comunidade é atacada por um grupo de walkers. Se não fosse pela liderança de Maggie, a invasão planejada pelos Salvadores poderia ter sido trágica. Inclusive, vamos combinar que essa sequência já entra para o hall de melhores momentos da sétima temporada: quem nunca quis dirigir um trator e atropelar um carro que atire a primeira pedra!

O ator Xander Berkeley dá um show e rouba a cena como Gregory. Depois de Carol (Melissa McBride) ser a encarregada de nos dar um pouco de humor no segundo episódio, agora é a vez do público se divertir com a covardia e lerdeza do personagem, que sequer sabe quem é quem ou o nome de cada um dos moradores de sua própria comunidade.

Outro ponto alto do episódio é ver Jesus (Tom Payne) chutando traseiros mortos na televisão. Ele é um dos personagens mais queridos dos fãs das HQ’s e possui um papel fundamental no desenvolvimento desse arco de histórias, mas recebeu pouco destaque até aqui. Vamos torcer para que isso comece a mudar agora. Ainda mais depois da conclusão de “Go Getters”, na qual seu destino se cruza com o de Carl, quando ambos partem juntos descobrir o paradeiro de Negan…

Como escrevi no começo do review, não se trata de um episódio ruim. Reencontrar Maggie e Sasha foi interessante, assim como ver Jesus em ação. A importância de “Go Getters” é quase que exclusivamente para estabelecer Maggie como a verdadeira líder da comunidade, mas já está na hora dos produtores injetarem um pouco mais de emoção nessa temporada depois de começarem no 220v. Já tivemos tempo para nos recuperar das mortes trágicas e conhecemos muitos personagens. Que tal um pouco de ação agora?

ps: vamos todos comemorar o primeiro beijo do Carl!!!! <o>

Acompanhe também toda terça-feira, às 20h, na página do Walking Dead Brasil, as transmissões de Lives comentando o episódio e respondendo as perguntas dos seguidores. Já na quarta-feira temos edição nova do Walking Cast, podcast dedicado exclusivamente para The Walking Dead. Não perca!

Comentários