Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Review: The Walking Dead s08e07 – “Time for After”

Faltando apenas mais uma semana para o encerramento da 1ª metade desta oitava temporada, The Walking Dead segue agradando aos fãs com um ritmo bem superior ao que assistimos na temporada passada e um encerramento realmente empolgante para deixar seus telespectadores malucos para o que virá no próximo episódio.

SINOPSE:

Negan continua a reunir seus tenentes para ajudá-lo a resolver um grande problema prestes a atingir o Santuário. Rick e o grupo seguem com o plano.

- Advertisement -

Review completo The Walking Dead s08e07 – “Time for After”

“Time for After” é outro ponto alto nessa oitava temporada. Conduzido com sabedoria e paciência, o episódio já se garante como um dos principais do atual ano da série. Pelo menos, acho que não há muita competição para escolher o grande cliffhanger, não é mesmo?

Fora a morte dos soldados do Reino num episódio anterior, ver a cara de desespero do Rick diante a surpresa de ver o Santuário limpo sem nenhum walker é espetacular. O nosso herói se vê realmente numa situação extrema e que perdeu toda a sua vantagem. Resta saber qual será a vingança de Negan.

Aliás, nesses minutos finais há um belo easter egg para os fãs. Ou uma pista, vai saber… Depois de conseguir convencer o pessoal do Lixão a se unir à sua causa, Rick vai até o Santuário e passa por um soldado dependurado de cabeça pra baixo numa escada e sendo devorado por Walkers. Assim como na semana passada, quando Gregory perguntou da forca (que é como ele morre nos quadrinhos), esse detalhe do cara sendo engolido remete diretamente à morte de um personagem principal…

Daryl conduz Michone, Rosita e Tara até o Santuário com a intenção de tocar o terror e matar geral. Rosita é a primeira a perceber que se tratava de um plano ruim e desiste. Michone até cogita embarcar na ansiedade vingativa de Daryl e Tara, mas também tem o bom-senso de tomar a decisão certão. Apenas Morgan apoia o plano, que até dá certo, pelo menos em partes.

Gosto de ver as reflexões que ficam após esses episódios. Afinal, a ação irresponsável de Daryl e Tara para acelerar o fim da guerra causou uma reviravolta que colocará todos em risco. Caso eles tivessem ouvido Rick e esperado, do jeito que deveria ter sido, as coisas poderiam ter sido bem diferentes, já que Eugene não se candidataria a resolver o problema criando munição (como faz nos quadrinhos, mas a favor da turma de Rick).

Eugene, o covarde, recebe um excesso de atenção incômodo. É muito ruim, como telespectador que viu toda a trajetória do personagem, ver o cara se mostrando como um verdadeiro cuzão. Compreensível o seu instinto de sobrevivência falando mais alto (vide os diálogos com Dwight nos minutos iniciais e o desabafo feroz com Padre Gabriel no final), mas isso significa trair seus velhos amigos (ou companheiros de viagem).

Bela atuação de Josh McDermitt, que rouba a cena e torna “Time for After” um momento deliciosamente doloroso na série. Ainda acredito que ele possa morrer em breve, mas acredito que tudo caminha para ele se tornar uma figura cada vez mais forte antes do seu fim.

PS: A Jadis não sabe levar toco e ainda não desistiu de ter o corpinho do Rick, né?

Comentários