Warning: call_user_func_array() expects parameter 1 to be a valid callback, class 'AGPressGraph\manipulator' does not have a method 'httpsCanonicalURL' in /home/wp_c5zves/cinemadebuteco.com.br/wp-includes/class-wp-hook.php on line 286

Review: Westworld s01e07 – “Trompe L’ Oeil”

O episódio se inicia com Bernard acordando de um sonho que teve com seu filho Charlie morrendo. No laboratório, ele analisa os pensamentos de Hector (Rodrigo Santoro) sem encontrar nenhuma anormalidade aparente e tenta localizar Elsie, mas sem sucesso.

No trem rumo ao labirinto, William explica a Lawrence que eles estão ali porque era seu cunhado quem queria conhecer os limites do parque e o fora da lei discorda dizendo que, se ele ainda está ali, era por vontade própria. Neste momento, Dolores os interrompe após ver o “Território Fantasma”, onde há os seres mais selvagens do parque. O andróide criminoso avisa ambos que haverá uma carnificina e a única forma de passar pelo local é ficando no trem.

Theresa pergunta a Bernard se ele tinha algo a dizer sobre a noite em que saiu bruscamente de seu quarto. Com a negativa, ela o alerta de que o trabalho está atrasado e não estaria se ele não desperdiçasse o tempo tentando “derrubá-la”. A diretora parece saber bem o que estão tramando pelas suas costas.

Após ouvir gemidos vindos do quarto de Charlotte Hale e esta abrir a porta nua dos pés à cabeça, Theresa descobre que a nova diretora executiva estava transando com o anfitrião Hector, amarrado à cama. Westworld pega fogo de todo jeito, meus amigos!

Hale conta que a empresa responsável pelo parque só está interessada nas pesquisas que o Dr. Ford vem mantendo e questiona por que a líder de operações tem que ser a nova responsável pelos dados. “Porque vocês vão demití-lo”, respondeu de forma inocente. “Não se demite alguém que criou um império… você vai precisar de uma carta na manga”, disse a membro do conselho, deixando claro que também espera pela transição no comando.

Maeve acorda e vai ao Mariposa, como sua narrativa pede. De cara, é perceptiva sua mudança de comportamento. O piano que está sempre tocando, ela desligou. Faz com Clementine (Angela Sarafyan) o mesmo tipo de análise pela qual todos os anfitriões são submetidos. Pergunta à prostituta sobre seus sonhos, se neles tem a vontade ser outra pessoa. Ao concluir, a narrativa do bordel é pausada e funcionários chegam para levar uma anfitriã que está no bar (as duas estão) e que fez algo de errado (Maeve já empunha uma faca). Eles levam a jovem, para surpresa da experiente meretriz.

Romance

De volta ao trem, William pergunta como Dolores sabe que o lugar que procura existe. Ela diz não saber, apenas sente que o mundo em que viveu antes era uma mentira e que não deseja voltar jamais. Questiona por que ele não ficou em “Pariah” e veio com ela. O visitante responde que quando era criança tinha livros apenas e que, no parque, se vê em uma das histórias. A mocinha se mostra contrária a viver uma história: quer viver apenas o presente (ali com ele). “Love’s in the air…”.

Pobre Dolores! William conta que fora tem uma noiva lhe esperando e que, por isso, não pode ficar no parque. Ela sai correndo do vagão. Ele vai atrás e diz que sempre viveu fingindo ser o que não é, mas que agora pode ser parar de fingir. Eles se agarram e se beijam. Pobre Teddy!

No dia seguinte, os Confederados alcançam o trem e armam uma emboscada. Com o veículo parado, eles disparam inúmeros tiros com uma metralhadora. Em resposta, Lawrence, que só tem a cara de bobo, solta um cavalo com o anfitrião cheio de nitroglicerina para, com um tiro, causar uma bela explosão e poder sair em fuga junto ao novo casal de Westworld. Inicia-se uma perseguição digna de faroeste.

No bang bang, Dolores acaba caindo do cavalo, sendo ajudada por William em seguida. Os Confederados vão matando um a um do grupo de Lawrence, mas são parados e mortos pela Tribo Fantasma, deixando o trio livre para continuar fugindo. No meio do caminho, a mocinha avista os canions divididos por um rio, como havia desenhado antes. O casal decide, então, ficar por ali. Antes de seguir rumo ao labirinto, o criminoso os avisa para terem cuidado, pois todos os que atravessaram o rio jamais voltaram.

Revelação

No laboratório, Theresa e Charlotte estão reunidas com Dr. Ford e Bernard para falar sobre as atualizações dos anfitriões seguidas de devaneios. No espaço ao lado, Clementine é utilizada para demonstrar que quando o sistema é reiniciado, há perda total no controle sobre o androides.

A srta. Cullen explica que, por não reiniciarem corretamente, houve uma falha no sistema, os impossibilitando de seguir as regras primárias. A preocupação maior é que os anfitriões poderão se lembrar do passado e a lacuna deixada é preenchida pelo livre arbítrio. Elas questionam o diretor de criação se ele havia notado a mudança quando adicionou o código de atualização. Ele responde que não e é demitido. Parece que o plano inicial do duo feminino deu certo e o Dr. Ford tem um aliado a menos a seu lado.

Mais tarde, Bernard conta à Theresa que já sabia que era ela a responsável pela anomalia e transmissão via satélite, mas que isso não importa agora. Ele explica que há um erro no código dos androides ocorrido por causa de interações anteriores e que, após várias repetições de ciclos narrativos, houveram variações e agora estão a ponto de se transformarem.

Plano de fuga

Maeve diz à Lutz e Sylvester que, com a ajuda de ambos, pretende fugir de Westworld. Sylvester diz que jamais deixarão que uma propriedade intelectual escape, que tudo no parque foi feito para mantê-la ali.

Ela diz não ter medo nem da morte, pois já morreu milhares de vezes: “Sou boa nisso”. E o ameaça: “Se não me ajudar, vou matar você”.

Uma grande revelação

No elevador rumo à superfície, Theresa diz à Bernard que tudo o que fez foi para proteger as propriedades intelectuais de Westworld e que a DELOS temia que Dr. Ford destruísse tudo quando saísse. Logo chegam ao casebre no setor 17.

Embaixo do cenário descobrem um laboratório onde o mentor do parque criava anfitriões por conta própria. A diretora encontra por lá o projeto de Dolores, inclusive. Dentre os papéis, encontra talvez a maior revelação da série: o projeto de criação de Bernard. Sim, ele também é um androide!

Dr. Ford entra e diz que o criou para ser livre do autoquestionamento. Theresa o chama de monstro, mas ele rebate dizendo que é ela quem os quer destruir. Ela insiste que não são livres pois Bernard a trouxe até ali, mas o doutor a surpreende dizendo que foi ele quem mandou.

Baixando a frieza de Hannibal, Dr. Ford frisa novamente que foi ele quem criou o parque e o Conselho já havia tentado impedí-lo de continuar com suas criações. Disposto a não tolerar nova intervenção, ele ordena à Bernard que mate Theresa. O anfitrião se prepara e a agride violentamente contra a parede, matando-a. Simples assim.

Que episódio! Que série, meus amigos! Já falamos de muitas teorias, muitos enigmas, mas depois do que vimos, alguém consegue saber para onde realmente estamos indo? Sem mais. Que venha o oitavo.

Walter Riedlinger

Jornalista. Palmeirense fanático e Pé vermelho com orgulho. Escrever e cantar são minhas paixões.