Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Resenha: Gata em Telhado de Zinco Quente @ CCBB BH

“Eu não estou vivendo com você. Nós apenas ocupamos a mesma jaula.”

A frase acima define em poucas palavras todo o sentimento e significado por trás da peça Gata em Telhado de Zinco Quente, uma das obras mais icônicas do dramaturgo americano Tenesse Williams em cartaz no CCBB até o dia 28 de novembro.

teatro2

- Advertisement -

A peça acompanha a festa de aniversário do patriarca da família Pollitt, apelidado por todos de Paizão (Big Daddy no original), interpretado pro Zécarlos Machado, e, como toda família, os Pollitts tem muitos segredos entre si e têm uma convivência bastante conflituosa, em especial o caçula da família, o jogador de futebol aposentado Brick (Augusto Zacchi) e sua esposa Maggie (Bárbara Paz) por quem nutre um sentimento intenso de repulsa, mas continua casado para manter as aparências. A família também conta com Mãezona (Noemi Marinho) a matriarca que tenta manter a paz e a harmonia entre os familiares nervosos, Gooper (André Garolli) o filho mais velho que se gaba de ser o mais exemplar e responsável da família, e Mae (Fernada Viacava) esposa de Gooper que, como seu marido, também tenta manter a fama de nora exemplar, especialmente por já ter cinco filhos (o sexto a caminho), enquanto Maggie ainda não tem nenhum.

Tenesse Williams ficou famoso não só pelo seu indiscutível talento como roteirista, mas também pela intensidade e acidez de suas histórias, e Gata em Telhado de Zinco Quente não foge da regra. Nada é perdoado ou esquecido entre os Pollitt, e a todo momento os membros da família fazem questão de se atacarem, muitas vezes sem motivo, apenas para terem a última palavra, e isso faz com que os nervos dos personagens estejam constantemente à flor da pele, e, consequentemente, do público, que se sente no fogo cruzado dessa verdadeira guerra civil familiar.

Mas o texto brilhante de Williams não teria tanta força e impacto sem um bom elenco para interpretá-lo, e  felizmente esse não é o caso. Todos os atores se comprometeram de forma digna e competente a seus papéis, deixando o clima de tensão e nervosismo quase palpável, em especial Augusto Zacchi e Bárbara Paz, que traduzem espetacularmente os sentimentos e frustrações de seus personagens, seja em acessos de fúria e colapsos nervosos, como é o caso de Maggie, ou em silêncios intermináveis e completa apatia, como é o caso de Brick. Por mais satisfatório que seja todo o elenco (destaque também para Zécarlos Machado, que rouba todas as cenas em que interpreta Paizão), é a interação dos dois que realmente te atrai à peça, um retrato honesto e perturbador da deterioração de um casamento sustentado por mentiras.

gata-6

A peça também se destaca por falar sobre homossexualidade no contexto hostil e complicado do sul dos Estados Unidos na década de 50, contexto esse extremamente marcado pelo fundamentalismo e pelo patriarcado, o que torna a obra de Williams ainda mais brilhante, por abordar um assunto tão delicado para a época e de uma forma tão positiva e válida, pois a principal mensagem da obra é justamente a de quanto viver uma mentira pode ser destrutivo.

Gata em Telhado de Zinco Quente nos apresenta um cenário caótico e problemático construído com mentiras, falsidade e discórdia, e que nos convida a refletir no quanto estamos sendo verdadeiros não só com as outras pessoas, mas principalmente com nós mesmos.

 

FICHA TÉCNICA

Patrocínio: Banco do Brasil

Realização: Centro Cultural Banco do Brasil

Autor: Tennessee Williams

Tradução: Augusto Cesar

Diretor: Eduardo Tolentino de Araujo

 

Elenco / Personagem

Bárbara Paz / Maggie

Augusto Zacchi / Brick

Fernanda Viacava / Mae

Noemi Marinho / Mãezona

André Garolli / Gooper

Zécarlos Machado / Paizão

 

Figurino: Gloria Kalil

Cenário: Ana Mara Abreu e Alexandre Toro

Iluminação: Nelson Ferreira

Cenotécnicos: Jorge Ferreira e Denis Nascimento

Supervisão Musical e Sound Design: Marcelo Pellegrini

Produção Musical: Surdina

Operação de som: Luciano Monson

Operação de luz: Jonas Ribeiro

Hair Stylist: Ricardo Rodrigues

Fotos: Ronaldo Gutierrez

Arte: Rafael Branco

Assistente de Produção: Ariel Cannal

Produção Executiva: Paloma Galasso

Produção Geral: Cesar Baccan / Baccan Produções

Idealização e produção geral: Grupo TAPA

 

Comentários