Cinema por quem entende mais de mesa de bar

Jessie Evans

A maior parte das músicas comerciais (99,9999%) tocadas nas rádios e televisões brasileiras são incrivelmente decandentes. Nas redes sociais, os pseudo-artistas que dublam tais fracassos, geralmente são enaltecidos de maneira grandiosa, embora sejam apenas reprodutores imagéticos de produções padronizadas criadas em laboratório. Mas, enquanto a crise se instala cada vez mais, à margem dessa maldita indústria devoradora, na beira de uma calorosa praia de Ubatuba (SP), encontra-se uma sereia, sempre acompanhada de seu saxofone: esta artista (artista de verdade) chama-se Jessie Evans.

Atualmente, além de compor, tocar saxofone e cantar, ela também é produtora musical e artista visual. Nasceu na Califórnia (EUA), mas ao longo de sua carreira, passou por vários outros lugares, nos quais sempre esteve colaborando com diversas bandas e músicos e participando, assim, de variados projetos musicais. Tocou ao lado de grandes nomes, como, por exemplo, Bettina Koester, da banda Malaria!, Budgie (ex-Siouxsie And The Banshees), Lydia Lunch, Steve Mackay (Iggy And The Stooges) e outros importantes artistas. Todas estas experiências tornaram Jessie Evans uma artista potencialmente dinâmica, de imensa criatividade e dona de um talento admirável. Suas obras costumam carregar e misturar um pouquinho de vários estilos musicais diferentes, e isso as torna elogiavelmente agradáveis, uma vez que fogem de enquadramentos tradicionais e destacam-se por sua originalidade.

As influências da cantora são bastante diversificadas e bem interessantes. Ela aprecia e se inspira em nomes como, Salvador Dalí, James Chance, Marc Bolan, Frida Kahlo e Carmen Miranda. E de quebra, ainda tem algumas influências vindas do cinema, com destaque para Fellini, Almodóvar e Alejandro Jodorowski, três grandes e conhecidos mestres da sétima arte. Do Fellini, gosta especialmente do filme Satyricon (1969), de Almodóvar, tem preferência pelo clássico Mulheres à Beira De Um Ataque De Nervos (1988), filme com a brilhante atriz Rossy de Palma. Estes dois mencionados cineastas atraem a artista pela maneira corajosa como abordam o surrealismo em suas obras, mostrando a vida tal qual ela é, de maneira crua e realista. Além disso, em certa ocasião, Jessie Evans já esteve pessoalmente ao lado do mencionado Jodorowsky. O encontro acorreu em uma feira internacional de livros na cidade de Guadalajara, e na ocasião, Jessie ouviu-o discursar, e as palavras do diretor lhe foram bastante atrativas. Além de

- Advertisement -

apreciar seus filmes, ela também estuda um barulho de tarô inspirado no livro “O Caminho do Tarô”, escrito por Jodorowsky.

No momento, Jessie Evans está finalizando um novo álbum (“In Love With”) que está sendo criado com um cantor angolano chamado Pitshu, e com apoio dos produtores Victor Rice (Nova York) e Kasdub (Brasil). Além de desse projeto, está trabalhando também em um documentário referente à gravação do álbum “In Love With”, que explora, entre outros aspectos, a união e o projeto entre ela e o músico angolano. Se você é apaixonado por músicas compostas de maneira original, livre, pura e composta por uma saborosa dose de amor, não deixe de explorar as músicas, vídeos e shows desta cantora que, felizmente, mora orgulhosamente em solos brasileiros.

Discografia:

Carreira solo:

* Jessie Evans “Is it Fire?” – 2009

* Jessie Evans “Glittermine” – 2013

Com outros músicos:

* The Vanishing “ In the Bat Haus” – 2002

* The Vanishing “ Songs for Psychotic Children” – 2003

* The Vanishing “Still Lifes are failing” – 2004

* Subtonix “Tarantism” – 2002

* Autonervos “Bettina Koster and Jessie Evans” – 2006