Saudades da Poussey? Samira Wiley está voltando com tudo! | Cinema de Buteco
Destaques Notícias

Saudades da Poussey? Samira Wiley está voltando com tudo!

Depois do grande sucesso interpretando Poussey Washtington em Orange Is The New Black, Samira Wiley está saindo de Litchfield rumo ao estrelato! Recentemente, a atriz foi anunciada no elenco da terceira temporada de You’re the Worst, uma comédia dramática exibida pelo FX.

Em You’re the Worst, Wiley dará vida a Justina, a nova terapeuta de Gretchen (Aya Cash). Sua personagem é descrita como uma terapeuta lutando com as próprias dificuldades, como um namorado sem ambição e um possível vício em mídias sociais. O papel de Wiley na série será pequeno, totalizando apenas cinco episódios.

Além desta série, Samira Wiley entra para o time de atrizes que farão parte da adaptação da distopia O Conto de Aia (The Handmaid’s Tale), de Margaret Atwood. Publicada originalmente em 1985, esta ficção científica nos apresenta uma sociedade em que as mulheres são propriedades do governo após tragédias ambientais afetaram a taxa de natalidade.

Em O Conto de Aia, Samira Wiley será Moira, a melhor amiga da protagonista Offred (interpretada por Elisabeth Moss, a Peggy Olson de Mad Men). A série conta com roteiro de Bruce Miller (The 100) e terá dez episódios. A previsão de estreia é para 2017, no serviço de streaming Hulu.

Confira a seguir a sinopse de O Conto de Aia:

1692354-200x300 Saudades da Poussey? Samira Wiley está voltando com tudo!A história de ‘O conto da aia’ passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos.

Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado – há as esposas, as marthas, as salvadoras, etc. À pobre Offred coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família.

É uma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo. Com esta história, Margaret Atwood leva o leitor a refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal qual o conhecemos, o futuro e, principalmente, o presente.

Veja o trailer da adaptação cinematográfica de 1990:

 

Felipe Borba

Nasceu no Pará, cresceu no Maranhão e vive em Minas Gerais. Além de se considerar um explorador da natureza; Felipe é publicitário com especialização em Marketing Estratégico, é viciado em novas tecnologias, queria ser adotado pelo Neil Gaiman e tem mais livros do que dá conta de ler.