Cinema por quem entende mais de mesa de bar

O sucesso de Mulher Maravilha

Após uma onda de fracassos com a crítica, DC acerta com heroína

 

Não se pode negar que Batman v Superman e Esquadrão Suicida foram ambos sucessos de bilheteria. Talvez não o que a Warner e a DC esperavam se comparado com os mais de um bilhão faturados pela Marvel em filmes como Guerra Civil (2016) e Os Vingadores (2012), mas foram bem em termos financeiros.

 

O problema é que as duas primeiras apostas do universo cinemático da DC foram muito mal recebidas pela imprensa. Enquanto BvS tem 28% de aprovação no Rotten Tomatoes e 44/100 no Metacritic, ES tem 25% e 40/100, respectivamente. Essas notas claramente impactaram os produtores, estúdios e até mesmo os atores dos longas.

 

- Advertisement -

Com Mulher Maravilha, as expectativas acabaram não ficando tão altas por causa dos resultados anteriores. Foi somente quando os primeiros tweets de reações saíram que as pessoas começaram a pensar: “Uai, será que a DC finalmente acertou?”. OK, tivemos algo similar com Batman e Esquadrão, mas nada na mesma proporção. O buzz gerado pela reação positiva dos sortudos que tiveram a chance de conferir o blockbuster antes de todo mundo foi tão grande que a Warner antecipou o embargo da produção.

 

Veredicto? 97% no Rotten Tomatoes e 76/100 no Metacritic. Com os jornalistas a favor, até as previsões nas bilheterias aumentaram um pouco. O Box Office Mojo, por exemplo, espera um fim de semana norte-americano com uma arrecadação em torno de $ 89 milhões. A Warner optou por deixar as previsões abaixo disso, por volta dos $ 70 milhões, mas eles provavelmente sabem que o resultado será maior e vão poder dizer posteriormente que o longa teve uma performance “acima das expectativas”.

 

Bom, sem dúvidas o boca-a-boca está excelente, algo que provavelmente vai impulsionar as arrecadações ao redor do mundo. O fato do orçamento de Mulher Maravilha ter sido relativamente baixo se comparado aos demais longas de heróis – $ 149 milhões – também ajuda muito. Além disso, todo o women power que está em voga só tem a contribuir para o sucesso que promete ser estrondoso. Não dá pra prever o tamanho, mas não fiquem surpresos se Gal Gadot e cia alcançarem as bilheterias de BvS ou chegarem perto disso.

 

Para os que dizem que o filme só está sendo bem recebido por causa do feminismo e blá blá blá – essas pessoas existem e estão falando a respeito nas redes sociais e fóruns de cinema -, olha só: não só a equipe do CdB como também a imprensa em geral destacam o fato de Patty Jenkins (Monster: Desejo Assassino) ter dirigido uma adaptação com cores mais vivas, uma visão bem menos sombria do mundo e uma heroína com bastante carisma pra encabeçar tudo do início ao fim. A DC mudou a linguagem e aparentemente acertou em cheio. E que bom que isso aconteceu com a Mulher Maravilha, pois quem sabe não vemos outras personagens femininas ganharem filmes sobre elas futuramente?

 

Você arrisca alguma previsão para as bilheterias?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.