2 espetáculos da Broadway na Netflix que você não pode perder

Como ator, compartilho com muitos colegas de profissão um pesadelo: se ver em cena; ou melhor: assistir à filmagem de um espetáculo no qual você está atuando! É bem difícil explicar o porquê, mas é uma sensação tão forte que dá pra acertar com um tapa. Todavia, sabendo que a efemeridade é um aspecto absoluto do teatro (e, para muitos, a característica que o torna divertido e excitante), a filmagem é uma ferramenta importante para a divulgação, registro e memória de um espetáculo, entre outras coisas.

Uma diferença do teatro pro cinema é que o primeiro acontece num horário pré estabelecido num lugar pré determinado. Você consegue assistir à um Scorsese no Brasil, ao mesmo tempo que o filme estreou nos Estados Unidos, mas não rola assistir à um espetáculo da Ariane Mnouchkine enquanto o SESC não trazer toda a produção pra cá! E pra você que (assim como eu e muita gente) não pode sair pegando um avião toda vez que tem vontade de assistir um espetáculo, as filmagens podem quebrar um belo galho!

Por isso, separei dois musicais da Broadway que estão na Netflix para você curtir e se inspirar à conhecer mais desse mundo. Confira:

SHREK – O MUSICAL

Baseado na animação da DreamWorks, o musical estreou na Broadway no final de 2008, ficou em cartaz até 2010. Foi indicado a oito Tony Awards – incluindo o de Melhor Musical, e ganhou o de melhor figurino. O musical conta a jornada de Shrek, acompanhado de seu escudeiro Burro, no resgate à Princesa Fiona em uma torre. Shrek aceita a missão para ganhar de volta seu pântano, que foi ocupado por seres mágicos dos contos de fadas à mando do malvado Lord Farquaad. Shrek só não contava que acabaria se apaixonando pela princesa.

Christopher Siebert nos entrega um hilário Lorde Farquaad, exagerando positivamente numa simples e genial construção de corpo (o ator fica de joelhos durante todo o musical, representando um anão) e disputa a comicidade com Daniel Breaker como Burro, atuando num afiadíssimo timing. Sutton Foster ganha o desafio de interpretar Fiona nas medidas certas de seu difícil gênio e Brian d’Arcy James nos deixa facilmente apaixonado pelo ogro de coração grande. A cenografia dinâmica soma à trilha divertida, brincando com outros musicais às vezes com discretas inspirações e às vezes debochando na cara dura, para resultar num grande show de produção memorável.

BILLY ELLIOT THE MUSICAL LIVE

Esse musical é originalmente da terra da Rainha. Estreou em 2005 no West End, que é a Broadway de Londres, e foi (e ainda é) um sucesso absoluto, conquistando cinco Laurence Olivier Awards, incluindo o de Melhor Musical Novo. Na Broadway, estreou em 2008 conquistando 13 indicações ao Tony Awards e levando 10, incluindo o de Melhor Musical.

Elton John assina a música da história que acompanha o jovem Billy Elliot, que abandona as luvas de boxe quando descobre seu amor pelo Ballet. Em meio à greve dos mineiros de sua cidade, Billy precisa arranjar forças para vencer o preconceito da família e de sua comunidade. Billy Elliot é um verdadeiro espetáculo, em todos os sentidos da palavra. As músicas de Elton John dão uma vida excepcional às letras e a história toda, nos emocionando em vários momentos e deixando alguns hits grudados em nossa cabeça por muito tempo.

Ruthie Henshall é brilhante dando vida à Mrs. Wilkinson, a professora de ballet e mentora de Billy. Com uma poderosa voz ela nos encanta e inspira a platéia a respirar junto com a história. Elliott Hana nos deixa de queixo caído e nos cativa com a jornada de seu personagem, nos mostrando que a força e a paixão de Billy andam lado à lado. Isso sem mencionar o show de técnica que o menino nos dá, seja sapateando, dançando jazz ou no ballet clássico. A montagem é impecável em todos aspectos e tudo anda como se o backstage estivesse dançando com todas as crianças e adultos da enorme companhia, culminando no arrepiante final que merece destaque, com os mineiros descendo para o trabalho enquanto Billy segue com a sua vida.

Em todo caso, garanto pra você que nem HD, nem 4K, nem Realidade Virtual ou seja lá qual tecnologia estiver disponível, chega aos pés da sensação de assistir um espetáculo ao vivo! Estar lá, vendo com os próprios olhos a vida no palco, nos faz não só assistir mas vivenciar de coração e alma as histórias que são contadas. Sempre que tiver a oportunidade, se proponha à essa experiência!

Leandro Galor

Leandro Galor é apaixonado pelo teatro desde que se conhece por gente. Se formou ator, mas também dirige, produz, ensina e o que mais precisar. Só não faz café porque não toma.